• @rgpatrickoficial

Clichê - Terceira Temporada - Cap. 46

Todos os modelos e profissionais batem palmas, fazendo a estilista cair em lagrimas;

- Gente parem, estão me fazendo borrar a maquiagem! Obrigado pelo esforço de todos, e de se dedicarem, eu também me empenhei muito e tudo foi por essa mulher, nos te agradecemos. – Helena abraça a Nice.

Para se encontrar com jornalistas e amigos, e seus amigos é claro.

Ao sair, Helena se encontra de cara com o Fabiano e Kevin, ambos acabaram de sair do show de encerramento proporcionado pela dupla.

Como Fabiano tem um “histórico” com a família, Camilo prontificou deixar ele se aproximar.

- A senhora foi esplendorosa, tudo magnifico! – Ela pega em sua mão.

- Obrigado, mas ela quem fez tudo, eu somente auxiliei. – Nice aponta a Helena.

- Que achou do desfile que saiu na metade? – Fabiano a encara.

- Eu tinha o meu para me preocupar Fabiano. Mas eu gostei, ousado, mas gostei. Parabéns.

- Parabéns para você também, o golpe do baú foi bem aplicado fofa.

Helena acerta um tapa em cheio na cara de Fabiano, que se vira com o golpe, ele olha gritando;

- Ficou maluca garota! – Seu grito veio com ameaça física.

A questão era a proximidade que todos estavam de Nice, e a ordem de Guto prevaleceu.

Quando Fabiano Iria aproxima de Helena, é empurrado pelos seguranças, caindo ele com Kevin no chão. Os meninos não queriam derrubá-los, mas sim afastá-los, porem ambos sendo fotografados e gravados se levantando.

“- Olá boa noite a todos, começamos essa edição indo ao vivo para o último dia de São Paulo Fashion Week, com Clarissa e Eliana, boa noite meninas.

- Boa Noite Patrícia. Olha a semana começou quente e terminou fervendo. Hoje encerraram como anunciamos ontem, João Pimenta, Gucci e Nice Petrini. João Pimenta vem com o tradicional e mostrando o porquê é um dos brasileiros mais relevantes na moda. Gucci com mudanças de últimas horas, atrasos, traz o futuro na visão do Estilista, ex-Petrini, Fabiano. Para a crítica é gostar ou odiar, não tem meio termo.

- Aí Eliana me deixa falar do que foi o desfile da Petrini... Rodeada de criticas das mais pesadas, e dizendo barbaridades, a Helena Barcellos calou as más bocas com um desfile de modelos Ultra Femininos, inspirados nos ícones de Hollywood dos anos 50 e 60. Para a Criação Primavera/Verão 2022 a criadora brasileira levou a passarela o glamour, com toque vintage e boêmio inspirado em ninguém mais ninguém menos que Nice Petrini. A Papisa da Moda Brasileira e Mundial deu o ar da graça aqui esbanjando sorrisos me pareceu super bem.

- E o que foi aquele tênis, gente ela está causando por todos os lados, todo mundo aqui na SPFW comentando de Nice Petrini estar usando Adidas, é muito poder não Clarisse?

- Sim, e no desfile tivemos uma bomba jogada em todos os amantes de alta costura. Foi revelado com provas que Augusto Petrini é co-criador da coleção de 2014, mostrando aí que é de que o talento da família.

- Desculpem, mas... Ele está passando, vamos ver se conseguimos uma palavrinha. Augusto por favor! Augusto. Augusto estamos ao vivo na rede Globo, e gostaria de saber sua opinião quando viu sua mãe usando um Tenis naquele look, chiquérrimo.

- Boa noite, olha, o tênis é um mero detalhe. Clássico e irreverente. Foi uma ousadia que somente ela, por ser quem é pode fazer.

- E o que você tem a dizer, sobre a segurança escolhida a ela, não acha de certa forma exagero?

- Não, ela está doente, não é fases, eu não queria privar ela de viver isso, pois minha mãe passou a vida nesse mundo. A escolha da segurança foi minha, para prezar pelo bem dela.

- O que a Semana de Moda De Paris pode esperar?

- Olha eu participei dessa coleção, mas Helena tem o toque que sempre remete ou relembra criações de minha mãe, com certeza espere o clássico na sua mais pura elegância e inovação, obrigado.

- Obrigado Augusto.”

"- Bom dia a você que nos assiste nessa manhã de quinta feira. Hoje como sempre acompanhada do meu velho amigo Ricardo.

- Bom dia Clarisse bom dia a todos em casa, olhem temos o que falar hoje viu.

- Nice Petrini está oficialmente fora do concelho da AFAIR.

- Isso mesmo Clarisse, exatos dez meses depois do desfile que mostrou que a super grife está de a todo vapor. Augusto Montanari enfrentou inúmeros processos e perseguições com essa decisão tomada pelo seu próprio pai no passado.

- Sim, e Ricardo saiu uma notícia que li, dizendo que foi gasto uma nota preta com advogados.

- Agora o desafio de Helena Barcellos dobrou, depois de sua badalada viagem a Paris, a Presidente volta com o barco total a seu comando.

- Sim, antes tinha uma bancada de executivos disponível, agora ela vai contar com o namorado e com o Kleber seu amigo de longa data.

- Kleber que está em meio ao fogo cruzado, Augusto afundando a AFAIR aos poucos com Kleber tendo que tapar cada buraco.

- Não sei Ricardo se já vimos isso antes. Mas mesmo sendo perigoso está funcionando, com a manobra, Augusto retirou mais da metade do conselho da empresa.

- Sim, é uma forma de monopólio, e os acionistas aceitam, então ele vai para cima.

- Queremos lembrar o público também que três meses depois do desaparecimento de Heitor Montanari, ele foi dado como morto pelas autoridades, e seis meses depois o grupo de busca particular da família confirmou a morte do jovem empresário.

- Praticamente um ano depois da morte de Heitor as aguas não se acalmaram para aquela família. Mas já digo são aguar bem mais claras do que eles enfrentaram no início."

#Helena

- (...) Aumenta o estoque de todas lojas, estive em Paris e alguns clientes estavam a procura de modelos de bolsas e pulseiras, e nada.

- Helena e sobre a parceria com a Adidas?

- Wilker, vou só falar com Augusto e dou um parecer amanhã.

- Última coisa...

- Wilker é sete e meia da noite.

- Calma última coisa, amanhã será feito o evento beneficiente da Casa 1. Peça que Augusto compareça, já falei com Kleber.

- Tudo bem, falo com ele. Pronto?

- Sim, porque a pressa, ontem saiu às nove da noite.

- É meu aniversário de namoro, me deixa,

Ele começa a pegar suas coisas, e diz;

- Vão fazer algo?

- Não, jantar em um restaurante de um conhecido, e ele quer ir pra Floripa no fim de semana, mas...

- Não pode, tem a apresentação da...

- Eu sei Wilker, eu sei. Vamos estou atrasada, logo ele me liga puto, e com razão. - Saio trancando minha sala.

Com poucas pessoas na Petrini por causa do horário, vou descendo para o estacionamento e Guto me liga;

- Amor tá onde?

- No trabalho.

- Vai sair que horas?

- Estou saindo agora Guto!

- Helena lembra que temos uma reserva no restaurante?

- Guto já estou arrumada... Oi Matheus vamos? - Entro no carro.

- Sim.

- Estou no carro, quer que eu vá para o restaurante e te encontre lá?

- Amor vem pra casa. - Ele fala com a voz trêmula.

- Guto está tudo bem?

- Sim, só te esperando, já todo arrumado.

- Desculpa amor, tô indo.

Aproveitei hoje e me arrumei no estúdio com as modelos, pois já sai atrasado. Ir para casa se arrumar ele me mataria.

Durante o caminho, Matheus falou algumas vezes no rádio, e todas em códigos, sim esses safados tem medidas de conversar sem que a gente compreenda.

- É o Camilo de novo? - Pergunto.

- Sim. É que tem que me aguardar chegar para poder sair.

- Sei.

Seguimos direto para a mansão, quando chegamos, já achei estranho, porque todas as luzes do jardim acessas, e não fica! O carro parou eu abri a porta saindo e Matheus segue para a garagem.

Entrei procurando meu celular na bolsa, sabe olhando para baixo fazendo barulho, toda perdida na minha bagunça.

Com a luz da sala principal toda acesa, eu paro com a bolsa e olho.

Tinha umas 20 pessoas, amigos e família, parados me olhando, a minha esquerda Guto parado com um buquê de rosas.

Gente eu quase me mijei ali!

- Que está acontecendo? - Falo com muita vergonha.

- Eu queria que fosse algo especial e que você se lembrasse, e seria ignorância minha fazer isso sem quem participou desde o início. - Guto se aproxima.

Eu comecei a tremer tanto, olhei para o lado. Minha mãe estava chorando, ao lado da Raquel, Kalleb, Caio, Paulina, Kleber, todo mundo;

- Guto! Meu Deus tô confusa. - Falo com ele pegando minha mão.

- Calma. - Ele me beija.

- Não tem como ficar calma. - Quase gritei.

Todo mundo riu, até ele;

- Meu Deus, pensei que falar com meu filho seria difícil, isso é muito pior. - Guto fala.

Ele estava com a mão molhada de suor, tremendo mais que eu.

- Não fiz rascunho, texto ou anotação do que dizer. Queria que fosse o mais natural possível. Quando te conheci não existia Helena, só a força dela em um garoto que eu adimirava. E olha que tenho testemunhas que a gente não se suportava. Né Caio? Era ficar juntos para brigar. Mas desde 2018 eu tinha uma queda por você, era visível, mas eu era um idiota, eu fui um idiota, precisava sofrer e apreender um pouco para tentar chegar ao seu nível. Não era válido alguém como eu ter você! Helena você é muita mulher para qualquer homem que exista. E a partir de hoje quero te acompanhar ao seu lado nesse mundo de desafios que alguém como você ainda enfrenta, quero sofrer com você, lutar com você, sorrir e cuidar de você. Helena aceita se casar comigo?

Choque!

Eu estava em choque, um nó na garganta, que se eu falasse algo começaria a chorar e comecei!

Gente aquele homem estava de joelhos na minha frente, fiquei com medo de abaixar para beijar ele e cair, não me aguentava de alegria;

- Tem certeza? - Pergunto rindo já.

- Eu te amo Helena.

- Sim Guto, é Sim. Eu te amo mais que tudo.

Ele estava com um anel em mãos que eu nem tinha visto, Guto pega minha mão colocando-o;

- Meu Deus que maravilhoso. - Falo louca olhando minha mão.

Pessoal nem conseguiu gritar, todo mundo chorando.

Ele me abraça chorando. Guto estava todo emocionado;

- Te amo tanto, tanto Helena, obrigado por ser assim, perfeita pra mim. - Dessa vez ele fala para mim, só pra mim.

- Amor não consigo mais viver sem você.

Dona Nice vem segurando a mão da minha Dona Cida, rsrs. Abraçamos elas, dando Parabéns, e eu comecei a exibir meu anel com um diamante gigantesco a todos;

- Guto isso aqui é de verdade?

- Sim, Helena, rsrs.

- Aí gente, amigo! - Abraço o Kleber e meio que me desfiz do meu sentimento de alegria.

Apertei ele que estava chorando, assim como a maioria;

- Amiga você está noiva!

- Eu sei, nem seu tô acreditando.

Ele se afasta limpando meu rosto;

- Você é guerreira, e merece tudo que há de melhor. Parabéns.

- Eu te amo amigo.

- Eu também.

- Olha isso!

- É gigante Helena.

- Pensa isso com meu vestido preto, aquele aberto, aí meu Deus.

- Pensa com o vestido de noiva.

- Kleber eu tô noiva!

- Sim.

Começo a sentir uma falta de ar, e o coração a disparar, tire uma tonteira na hora, que me fez sentar;

- Gente alguém trás uma água pra ela?

Kleber me auxilia, todo mundo fica preocupado;

- Tudo bem, nada estava minha noite, aí obrigada.

Bebo a água, ainda cumprimentando todo mundo;

- Guto vamos sair ainda? - Falo sem entender o que ele tinha planejado.

- Vamos jantar aqui, Raquel preparou quase que um banquete. Ei cadê as bebidas? - Ele pergunta a ela.

- Vou chamar os garçons, Helena me assustou! Tô tremendo.

Os rapazes entram com os copos e champanhe, Guto o estoura servindo todo mundo, e claro fazendo uma bela sujeira no chão.

- Tia deixa eu ver como ficou?

Kalleb vem do meu lado;

- Claro meu amor, olha, que acha?

- Bonita, eu que ajudei a comprar.

- Ah meu Deus! - Abraço ele. - Obrigada amor.

- Que é isso? - Kalleb aponta para o copo.

- É champanhe Kalleb.

- Eu quero.

- Não, cadê seu suco?

- É só um gole.

- Que foi em? - Julia chega.

- Alguém quer champanhe.

- Só um gole mãe?

- Um gole, pode Helena pra ele ver o quanto é ruim.

Deixei minha bolsa com Kleber que estava de frente;

- Segura amigo, Calma Kalleb.

Entrego o copo e fico do seu lado, para ele experimentar;

- Nossa Luan está brincando, disse que estaria aqui a tempo. - Kleber estava olhando o celular.

- Meu Deus, é mesmo, cadê aquele viado? - Olho ao redor.

- Disse que iria trazer um presente de noivado, mas até agora nada, e não me atende. HELENA. - Kleber grita com o Kalleb quase terminando minha champanhe.

- Sangue de Cristo menino. - Falo puxando o copo.

Acabo por derramar em sua roupa e em meu braço, graças a Deus as pessoas pensaram que Kleber gritou porque derramei bebida;

- Tu é louco Kalleb, sua mãe me mata. - Falo limpando sua boca.

Esse menino soltava aquelas gargalhadas mais gostosas da vida.

- Gente posso ser presa por fazer isso. Como pode, vc não avisa Kleber.

- Eu avisei.

- Eu tô com fome. - Kalleb fala quando Guto chega perto.

- Calma filho. Raquel, o jantar?

- Guto, em vinte minutos.

- Espera um pouco tá, da para aguentar?

- Sim.

Luan chega entrando e cumprimentando algumas pessoas, procurando por mim e Guto.

Ele nos dá os parabéns e eu puta com ele;

- Você perdeu o pedido Luan.

- Desculpa amiga, mas vai entender. Vem aqui. Os dois. - Ele puxa a mim e a Guto ao meio da sala.

Pede atenção de todos, e chama o Kalleb;

- Vem você me ajuda?

- Ajudo.

Os dois saem;

- Alguém sabe que ele foi buscar? - Olho para trás.

Todos dizem que não e que era surpresa para eles também.

Eles entram com a surpresa, olhamos com o grito de Kalleb;

- Olha quem chegou!

Kalleb estava de mãos dadas com Heitor, e Luan a passos atrás.

38 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia