• @richardsongaarcia

Clichê - Terceira Temporada - Cap. 37

Fico encarando ele por alguns segundos, o celular vibra;

- Tenho uma reunião agora. Normalmente fazemos duas entrevistas, uma comigo e uma com meu superior, com a aprovação dele autorizo sua contratação ao RH.

- Por mim tudo bem.

- Ótimo, venha comigo, que já resolvemos isso. – Me levanto pegando minha agenda e caneta.

- Sim, senhor.

- Me chame de Kleber, ok?

- Desculpe.

Descemos para a sala de reuniões, e o Luan já estava, junto com o Guto conversando, esperavam o Henrique creio eu.

Eu estava me aproximando quando o Camilo barrou o garoto;

- Desculpe, mas sem identificação de funcionário não pode entrar nesse andar. Tem que sair.

- Ele está comigo Camilo, desculpa! Vem João.

Entrei na sala e o Guto idiota como é olha para mim;

- Quem é o modelo?

- Há! Há! Que engraçado. João Gabriel, esse é Augusto Petrini, Augusto, João Gabriel. Foi enviado pelo RH para a vaga de Assistente. – Entrego o currículo ao Guto que estava sentado.

Mando o João se sentar na sua frente, ele pega na mão do Augusto e ficou branco o coitado.

Guto olha o currículo por quase um minuto;

- Você se formou em Administração, tem uma pós-graduação e veio me procurar um serviço de assistente?

- É um excelente salario para a vaga senhor.

- É eu concordo, devemos pensar em diminuir esses salários em Kleber. – Ele me olha.

- Augusto, o valor é alto, pois se depende demais, deles, com viagens e trabalhos na madrugada.

- Ouviu ele? – Guto deixa o papel encarando João.

- Sim.

- Não existe horário, não existe dia ou noite, e terá que ter disponibilidade de 100% para viajar.

- Estou ciente disso.

- Kleber aumenta para dois dias de folga, e você também, não quero que trabalhe no sábado.

- Mas eu preciso.

- Não vai precisar mais, você não trabalha na fábrica! Por mim está contratato, você gostou dele? – Augusto me olha com uma cara lerda.

Para me ajudar o Luan começa a rir saindo da sala;

- Sim, gostei do curriculum dele Augusto.

- Está contratado João. – Guto pega em sua mão.

- Muito obrigado senhores.

- Agora desce e faz uma credencial como essa, porque se não, aquele cara ali vai te jogar pela janela, pois ele já está olhando com a cara ruim.

Augusto passa medo no garoto, ele agradece mais uma vez descendo, eu me sento do lado de Guto já esperando ouvir;

- Pede uns dois desses ai para mim também, acho que vou precisar de assistente também. – Guto fala rindo.

- Eu vou, vou perguntar Helena se não tem uns modelos lá?

Ele olha todo descontente.

- Não sabe brincar é?

- Relaxa, só espero que não seja só um rostinho bonito, já que meu chefe está me passando toda a responsabilidade né? – Falo bravo.

- Quando percebeu que eu não vou ficar aqui?

- Hoje, depois de assinar tudo aquilo.

- Kleber você irá tomar conta da AFAIR, eu não quero ter que ficar vindo aqui.

- Guto eu não sei se consigo.

- Passo meu salário daqui para você, me ajuda Kleber.

- Depois a gente conversa sobre isso...

- Olá meus amigos, como vocês estão em? – Henrique entra na sala.

- Transou ontem foi? – Augusto pergunta.

- Sempre fui educado garoto, você que é ranzinza.

- Escuta não passou da sua hora de morrer não? Porque não se aposenta em? Pode nem levantar a mão que Deus puxa né.

- Augusto! – Camilo fala assustado.

Ele leva a mão no ouvido, e dois seguranças entram na sala;

- Que foi agora? – Guto pergunta.

- A Policia Federal está aqui.

- Qual problema?

- Estão subindo.

- Como assim? – Pergunto assustado.

Entraram uma tropa de policiais, um deles, sem esconder o rosto, se aproxima da porta e Camilo o libera a entrar;

- Desculpe atrapalhar senhores, por favor. Augusto Afonso Montanari Petrini?

- Sou eu.

- Senhor tenho um mandato de busca e apreensão. – Ele estende o papel para Guto.

- Qual seu nome?

- Me chame de Muniz.

- Muniz fique a vontade, mas não entendo muito bem o que está nesse papel... Chame o Luan, Kleber.

- Sim, claro.

- Obrigado, podem começar. – Ele dá ordem para os policiais.

- É sobre a investigação da Alcântara? – Guto olha o papel.

- Sim.

- Existe um local separado no arquivo morto, onde tem a maioria dos documentos, e se eu estiver certo na sala do meu amigo Henrique vão encontrar algo também.

- Já tenho homens lá senhor.

Luan chega, pedindo licença e pega o papel;

- Muniz aceita um café ou uma agua?

- Não, obrigado.

- Luan, o que diz ai? – Pergunto.

- Vão levar tudo que achar valido como prova para a investigação e Augusto, você será levado também.

- Oi?

- Irá depor, como quando levaram o Ex Presidente Lula.

- Mas Luan eu não estava aqui eles começaram essa bagunça.

- É determinação do Juiz, vou preparar as coisas e vou com você.

- Gente como assim? – Eu já fico desesperado.

- Na sala do papei, quero que você pegue o computador dele e você entregue a esse policial, lá sim tem umas coisas importantes. Eu não sei que vai acontecer, mas você e a mamãe estão resguardados.

- Para de falar besteira, Luan vai com você e logo estarão de volta.

- Peço que autorize uma equipe de segurança como reforço. – Camilo fala ao policial.

- Temos uma escolta especializada.

- Eu insisto. – Camilo se impõe.

- Mande seus homens para a delegacia, você pode vir conosco.

- Tudo bem.

- Podemos? – O policial acompanha o Guto.

Ele desceu com a polícia, e todo o andar, haviam homens colhendo provas.

#Helena

Com isso de ir dormir no Guto, acabei deixando várias coisas na mansão, então hoje quando sai do trabalho, iria passar lá.

Por volta das seis da tarde, fui descendo caladinha, passando pela recepção dou de cara com o Matheus;

- Aff, tu me segue mesmo ne?

- É meu trabalho. Vamos?

- Vão dormir lá em casa?

- Não, mas estaremos sempre por perto.

- Ai meu Deus. – Vou acompanhando ele. – Vamos na mansão, tenho que pegar umas coisas tudo bem.

- Sim, senhora.

A parte boa é que você pode fazer outras coisas, com um motorista. No meu caso liguei para Guto, e nada, liguei para Kleber e nada, nem Luan me atendeu.

Cheguei a desistir, porque cheguei na mansão e ninguém me atendeu.

- Quer que espere? – Matheus pergunta.

- Eu vou pegar umas coisas, pode descer tudo bem.

- Ok.

Entrei e vejo a Julia, carregando algumas coisas;

- Oi Helena.

- Boa tarde, mulher, viu Guto ou Kleber hoje?

- Não.

- Hum, quer ajuda? – Falo pegando uma das sacolas.

- Ai sim.

Ela estava mudando de quarto, eu ajudei com algumas coisas, até o Matheus veio auxiliar;

- Cadê o Kalleb? – Pergunto por não ver no quarto.

- Com a avó.

- Coitada de Dona Nice, rsrs.

- Menina ele ama ficar com ela, só tenho que regrar o café, pensa o quanto gosta viu.

- Eu imagino, nisso ele puxou o tio, como o Heitor gostava de café viu.

- Helena deixa eu te perguntar, acha que consigo voltar a tempo para o desfile? – Ela fala se sentando na cama, com as roupas.

0 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia