• @rgpatrickoficial

Clichê - Terceira Temporada - Cap. 30

#Augusto

Ela terminou de comer e foi para o banho, eu até iria entrar, mas Luan me liga, tipo muito cedo;

- Bom dia, tudo bem?

- Oi, bom dia, sim e você?

- Ótimo, e com novidades.

- Sim.

- Vou te enviar a localização do cartório, vamos já redigir a certidão de Kalleb.

- Ótimo, que horas?

- Daqui uma hora, pode ser?

- Vou ligar para ela, me manda a localização.

- Tudo bem.

Me troquei enviando mensagens e falando com ela, e Helena sai do banheiro;

- Tudo bem?

- Sim, Luan ligou, vou conseguir resolver algumas coisas hoje.

- Aí que notícia boa Guto. Vou me trocar então, se quiser ir, tudo bem, eu vou de carro.

- Te prometi uma carona, pode se vestir.

- É rápido.

Levei a bandeja para a cozinha, e ajeito a bagunça que eu fiz, quando volto, ela já estava vestida, e se maquiando.

Salto alto preto, calça jeans de “cós alto” com a barra dobrada na altura da canela, blusinha básica preta, e uma bolsa de oncinha.

- Gostei da bolsa.

- Haha, obrigada.

Helena termina sua make, e descemos;

- Vou tentar ir em casa tomar um banho, serio estou ainda cheirando fumaça de ontem.

- Você tomou banho ontem Guto.

- A roupa né.

- A sim.

Bem, eu não entrei na Petrini, até porque já estava atrasado.

Ainda fui em casa tomar um banho e me trocar, ficar apresentável, pois não tinha certeza de como seria meu dia.

Quando entrei vejo o Matheus com o Kaleber;

- Preciso que envie um carro para a Julia imediatamente. – Falo entrando.

Já subindo as escadas Kleber questiona;

- Que foi?

- Vamos para o cartório, Luan conseguiu.

- Mas a papelada do Juiz saiu, Julia tem que ir para o Fórum.

- Meu Deus, serio?

- Sim.

- Uma coisa de cada vez, deixa eu tomar um banho tudo bem.

- Certo.

- Cadê minha mãe? – Eu grito lá de cima já.

- No Jardim.

É hoje, tem que ser hoje!

Tomei meu banho, me troquei e desci, isso foi questão de uns vinte minutos;

- Vai comigo?

- Sim.

Kleber sai com sua pasta.

Direto, quase furando semáforos para o Cartório. Por segurança, Julia estava com o Matheus e alguns homens.

Quando chegamos, eles descem do carro entrando, e Luan vem ao nosso encontro;

- Vamos para a sala do Tabelião, ele é um amigo. – Luan nos direciona.

Cumprimentamos o senhor, e o Kleber conversando com a Julia;

- Terminando aqui, vamos te levar para o Fórum, lá você assina a papelada do Kalleb, e as empresas serão sob sua gestão.

- Certo, aí hoje o dia será daqueles.

Depois da conferencia de toda documentação, assinamos uns papeis e então ele confirma os dados de todos e o Tabelião pega o documento;

- Bem será então Kalleb Montanari Petrini de Lacerda, filho de Julia Silva de Lacerda e Augusto Afonso Montanari Petrini, confiram os documentos por favor. – Ele entrega a certidão.

- Meu Deus, é oficial. – Eu falo emocionado.

O papel estava tremulo em minhas mãos.

- Desculpe, mas senhores, a notícia do Fórum vazou, tem jornalistas a caminho, precisamos ir. – Matheus chega na porta.

Conseguimos pessoal sair dali ainda sem alarme de fotógrafos.

- Sei que não precisa de mim, e estou entendendo o que está acontecendo, vão resolver suas coisas, depois nos encontramos. – Julia fala quando eu iria entrar no carro.

- Tem certeza disso?

- Absoluta.

Minhas pernas tremeram nessa hora, um frio na coluna subiu. Matheus fecha a porta do carro e eu entro em outro;

- Kleber liga para o Camilo, vamos para a AFAIR.

Rio de Janeiro, 31 de agosto de 2022, “mesmo dia”.

Três carros pretos e disfarçados cortavam a cidade do Rio de Janeiro seguindo para a AFAIR Airlynes, onde se localizava o polo das empresas.

Nas três torres do conglomerado se encontrava na mais alta delas, o conselho, reunido como sempre discutindo o futuro de milhares de funcionários.

Henrique desce de sua sala, acompanhado por Camilo que estava a sua direita, seguindo para a sala de reuniões.

Encontra com Edson na máquina de café frente a imensa parede de vidro;

- Os documentos ficam prontos hoje, já vi no jornal, que está pensando em fazer? – Edson pergunta a Henrique.

Ele abre o saque de açúcar enquanto escutava o deputado;

- Oferecer dinheiro, é o que essa gente quer.

- Henrique, ela é bilionária agora, não vai aceitar qualquer quantia.

- Não seja idiota Edson, uma pensão mensal, sei lá, enquanto Augusto estiver vindo com o milho já teremos o fubá pronto. Vamos? – Ele aponta para a sala.

- Sim.

Última reunião do mês, concelho completo e acessória aos fundos, Camilo fica frente a porta e Henrique entra, com todos se sentando e conversando baixo;

- Bom dia senhores, vamos para mais uma reunião de balanço de mês, eu sei que foi o pior de todo o ano, pelos acontecimentos, mas... – Henrique falava quando Valquíria o atrapalha.

- Foi o melhor mês Henrique. – A senhora levanta a caneta.

- Não, está errada, eu olhei ontem os números da AFAIR.

- Petrini faz parte desse concelho, e com a aparição de Nice Petrini as vendas subirão 70% nessa semana.

- Está me dizendo que uma mulher apareceu e fechamos o mês em alta? – Ele levanta os óculos.

- É doida, está doente, mas ainda vende, e muito. – Edson comenta anotando algo.

Eles ainda discutindo sobre números, e ao lado direito de Machado uma movimentação, seguranças correndo no corredor, todo mundo na sala olha, e se levantam quando identificam.

Augusto, Kleber, e Luan seguindo no corredor. Guto chega no velho amigo segurança abraçando ele e dando um beijo na bochecha sendo retribuído.

Camilo abre a porta, e os três entram;

- Mas... o que é isso? Virou um circo? – Henrique grita. – Camilo faça o favor. – Ele aponta para Augusto.

- Desculpe senhor. – Camilo cruza as mãos frente ao corpo.

- Que está acontecendo aqui?

- Sem drama, por favor! – Augusto levanta a mão para Henrique.

- Guto. – Luan estende a mão com o celular no viva voz.

- Pode falar Matheus.

- Os documentos estão assinados, Kalleb é oficialmente herdeiro.

- Obrigado. – Guto fala.

Augusto olha para o lado e vê Thiago;

- O que estão fazendo é invasão de propriedade particular, vocês tirem eles agora. – Edson grita aos outros seguranças.

Eles até avançam, mas acima da ordem de um executivo havia a de seu superior;

- Ninguém faz nada. – Camilo se impõe.

- Você, leia. – Augusto entrega um papel timbrado para o Thiago.

Ele que estava no canto, e já desconfiava do que estava por vir, se levanta, pega o papel, e sua primeira expressão;

- Meu Deus!

- Que foi? – Henrique questiona.

- Fale em voz alta Thiago. – Augusto fala.

Thiago se posiciona frente a imensa mesa, todos de olhos arregalados, com expressões de espanto e medo;

- Heitor deixou sua herança para seu sobrinho, Kalleb, filho de Julia Silva de Lacerda e.... – Ele respira fundo, estava com taquicardia. – E também filho de Augusto Afonso Montanari Petrini, agora o herdeiro se chama Kalleb Montanari Petrini de Lacerda. Com isso.... Com isso... – Ele olha para o Luan, e tenta complementar. – Senhores sinto dizer que Augusto é o novo Diretor dessa companhia, responsável por todas empresas de sua família, AFAIR e Petrini, acionista majoritário e presidente desse concelho.

Henrique pega o papel tirando seus óculos e limpando o rosto do suor;

- Isso é uma fraude.

- Cala a boca! – Augusto aponta o dedo para ele. – A parte ruim disso é que não posso colocar você na rua. Escutem todos. – Ele se posiciona frente a todo o concelho que estavam desesperados. Com as mãos na mesa, apoiadas em seus dedos. – Se estão nervosos, se estão desesperados, eu vou dar razão para isso. Heitor uma vez me disse, que o sonho dele era me ver onde estou agora, sabem o porquê? Porque eu tenho a coragem de mandar todos vocês a MERDA.

- Onde a gente foi parar. – Valquíria se levanta.

- Vai onde? – Augusto a questiona.

- Já sei que estou demitida, não é?

- Haha’ Acha mesmo que depois de todos esses anos vou demitir você assim? Não será tão fácil. Você e você. – Augusto aponta o dedo para Edson. - Se quiserem pedem demissão e perdem todos os seus direitos, eu não vou mandar vocês embora, mas garanto que daqui para frente farei da vida de vocês dois um inferno diário. Me comprometo com isso, então senta a porra da sua bunda nessa cadeira. Agora vou ser coerente e só uma pessoa será mandada embora. Thiago está demitido.

Eles se encaram e o Thiago ironicamente abre um sorriso;

- Tenho contrato milionário que me protege garoto, não pode me afetar.

- Aí gente! Não aceito, mal caráter, agressor, e cara de pau trabalhando comigo, está na rua. Tem um contrato milionário é? Pois acabo de abrir um processo contra você e sua conduta de trabalho, eu pago milhões a advogados, mas não pago um real sequer de multa contratual a você. Camilo.

O segurança se aproxima de Thiago retirando ele da sala;

- Continuando, você. – Augusto encara Henrique, que estava muito nervoso, e o olhava com ódio. – Se receber mais algum eleitor nessa empresa lhe aplico uma multa diária, somos uma empresa privada e não palanque para seu circo de partido. Ao concelho, será reduzido, em setenta por cento, os custos para ter todos vocês aqui são uma vergonha, a maior parte dos investidores não vivem dentro da AFAIR, e isso será aplicado também a vocês. Vão mamar nas tetas de outro.

45 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia