• @rgpatrickoficial

Clichê - Terceira Temporada - Cap. 27

Ficamos conversando ali, ao lado da churrasqueira, comendo e bebendo;

- (...) Sim, eu passei na rua de trás e tinha homens lá, de certa forma deixa a gente mais calmo. – Caio fala servindo carne as meninas.

- Matheus propôs que vocês se mudassem, mas respeito sua decisão. – Falo a Julia.

- Já mudamos demais, e quem está mais sofrendo com isso é ele.

Julia aponta para o Kalleb;

- Guto que história é essa da Valquíria na empresa? – Helena se levanta.

- Muita coisa de ruim está acontecendo lá dentro, hoje o Luan foi mandado embora.

- Serio? – Todos ficam surpresos.

- Estão afastando todos que eram próximos a mim e minha família, por isso Kleber pediu que fique mais tranquila e longe do Fabiano, precisamos de você lá dentro.

- Não foi anunciado, mas paramos hoje os trabalhos para a SPFW.

- Vou resolver isso.

- Então o desfile está cancelado? – Julia pergunta.

- Sim.

- Quando eu consigo um trabalho olha isso... Gente precisamos nos benzer, ir na igreja está complicado, rsrs. – Julia fala rindo.

O Kalleb não soltava a Helena, e como ela estava do meu lado, eles falam;

- Kalleb, fala para o tio Guto que você vai ser quando crescer?

- Vou ser o Thor.

- HAHA’ ai gente, melhor escolha. Você gosta muito dele é? – Me aproximo.

- Sim. Já assisti todos os filmes.

- Ah sabe quem eu queria ser quando crescer?

- Hum.

- O Homem aranha.

Ele abre a boca rindo;

- Eu também.

- Não, pode escolher só um.

- Rsrs, O Thor.

- Kalleb conta para ele que você fez hoje, comigo, sua vó e tia, fala seu safado. – Caio diz.

Gente Kalleb foi até o Caio, levantou a camisa dele e mostrou um rabisco de caneta. Em Caio, Julia e a tia. Ele fez a sua pinta, marca de nascença em todo mundo de casa;

- E eu? – Helena pergunta.

- Calma aí. – Ele corre para dentro de casa.

- Ele achou um máximo você ter a mesma marca. – Julia me diz.

Kalleb volta com uma caneta. Gente a Helena estava com uma blusa de manga e longa, até as cochas, como se não usasse nada embaixo, com as pernas a mostra. Kalleb veio subindo sua blusa, pois a marca é na cintura abaixo das costelas;

- MENINO. – Helena grita.

Ele rindo, e ela toda sem graça, claro que usava uma bermuda curta por baixo, mas mesmo assim, ele veio subindo a roupa.

Ficamos bebendo, e enchemos rápido de carne e o Caio deixou a churrasqueira acesa, pois o Kalleb dormiu nos meus braços, e como estava quente perto do fogo, ele ficou mais confortável.

A tia e a Julia, já haviam ido dormir, por causa da hora, Caio e Helena brigando, e eu com pequeno no colo;

- Caio onde é o quarto dele? – Falo me levantando.

- É com a mãe, mas como Julia dormiu, coloca ele na minha cama.

- E você?

- Eu durmo no chão.... Pode ir, não tem problema a gente dorme junto direto.

- Beleza.

Entrei com ele, e o coloquei no quarto do Caio, fechei a janela e liguei o abajur.

Me ajoelhei na sua frente, e fiquei fazendo carinho em seu cabelo, rosto e bracinhos gordos, olhando aquele anjo dormir.

Era muito estranho para mim ter esse sentimento, ele nesse tempo, havia passado minha mãe em grau de amor, e como pode isso? Não sei responder.

A única coisa que vinha a cabeça era o quanto eu amava e estava orgulhoso dele, e como poderia de toda e qualquer forma proteger Kalleb. Falar assim vocês podem não compreender, mas deve ser algo de pai, sei que demorou para eu falar isso, mas antes precisava sentir.

O cobri e deixei a porta entre aberta, voltei ao quintal e eles estavam discutindo;

- Eu dei na cara dele Caio.

- Mas tinha que ter chamado a gente, Helena eu quebrava a cara dele na porrada.

- Eu também, falo me sentando do seu lado.

- E sei me defender. – Ela olha irônica para mim.

- Cara mais escroto do caralho, porque ele fez aquilo?

- Ciúmes do Caio comigo.

- De mim? Ele sabe que vocês? – Caio aponta.

- Não Caio, não tem a gente. – Helena gesticula apontando eu e ela.

- Haha’ Fala que não sentiu falta do Guto? – Caio cruza os braços.

- É Helena sentiu? – Encaro ela.

Gente ela tem um olhar de raiva, característico;

- Sentir sim, falta sua e sua, os dois me abandonaram.

- Mas voltamos, estamos de volta para você, eu e o Guto.

- É e agora não vamos mais sumir.

- Mano aproveitar queria falar com você... – Caio me encara.

- Ah esperou beber para criar coragem? – Helena o repreende.

- Cala a boca, que já estou tenso.

- Não me manda calar a boca menino.

- Gente, foco por favor, aconteceu algo?

Caio fica desconfortável e diz;

- Olha quero dizer que você é meu melhor amigo, e serio o cara que eu mais amo. Se dizer que não, tudo bem, vou respeitar...

- Fala logo porra.

- Ele e a Julia estão tendo algo. – Helena fala.

- Helena!

- Serio?

- Sim.

- Mas porque esse drama?

- Eu disse Caio, você é desesperado demais.

- Me deixa Helena! Tudo bem por você?

- Não, claro que não, está me achando com cara de palhaço? Nem conquistei meu filho e você já cai matando para cima? – Falo puto com ele.

Caio fica branco, e sem palavras, de boca aberta ele sem reação;

- To zoando, tudo bem, por mim. – Falo rindo.

- Filho da puta, que susto da porra. – Ele respira.

Helena rindo e então Caio para completar a noite diz;

- E vocês?

- O que? – Pergunto.

- Estão ficando?

Na maior tranquilidade e normalidade Caio pergunta.

- Não, somos amigos. – Helena respondeu.

- Gente, conheço os dois tem anos, não precisa mentir. E aí? – Ele me encara jogando a sobrancelhas.

Eu abro um sorriso;

- Vocês estão transando e nem me contaram?

- Cala a boca Caio, e a gente não ficou.

- Ficou sim Helena.

- Me ajuda aqui. – Levo um tapa dela.

- Eu sabia.

- Nós só beijamos, nada demais. – Ela responde toda cheia de si.

- Ficou toda derretida Caio. – Falo rindo.

Ele começou a rir e ela quase me derruba da cadeira;

- Parem os dois, não tem graça.

- Mas vai rolar ou não em? – Ele insiste.

- Eu acabei de sair de um namoro de meses, não vou sair ficando com qualquer um.

- Oi? Eu sou qualquer um para você?

- Eita, vai! Quem mandou.

- Cala a boca Caio. Não estou falando de você Guto, mas não estou pronta para sair com alguém e começar tudo de novo sabe.

- Começar o que Helena? Temos um lance desde o terceiro ano.

- Está brincando comigo Guto?

- Não.

- Se fosse vocês se beijavam logo.

- Você fica na sua. – Ela aponta para Caio. – E você não fica alegre. E eu vou embora, amanhã eu trabalho, diferente de vocês né. – Helena se levanta.

- Eu também, agora estou empregado... E quero vocês no meu primeiro jogo, no começo do mês.

- Beleza.

Ajudamos o Caio a levar algumas coisas para dentro, e dar uma ajeitada, só depois despedimos para ir embora.

Helena pegou sua bolsa, e saímos os três, atravesso a rua indo para meu carro e vejo a Helena de pé olhando;

- Cadê seu carro?

- Vou de Uber, eu bebi Guto, não vou voltar dirigindo.

- Haha’ como se fizesse diferença para você ne.

Ela aponta dedo, puta comigo;

- Vem eu te levo.

Ela desce da calçada com o Caio gritando no portão;

- EH HOJE TEM HELENA.

29 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia