• @rgpatrickoficial

Clichê - Terceira Temporada - Cap. 19

No atelier, eu fazia uma prova de tecidos e a Paulina chega do meu lado;

- Helena, menina.... Está sabendo? – Ela pergunta me cutucando.

Eu estava de joelhos no chão, já finalizando minha busca;

- Que foi?

- Fabiano demitiu o Wilker.

- O QUE? – Literalmente gritei.

- Xiu! Acabei de ficar sabendo, Misael está desesperado.

- Paulina o Fabiano ficou louco? Ninguém aqui faz o que aquele menino faz.

- Concordo com você.... Por favor, nada de bater de frente com ele hoje Helena não sei que faço mais aqui sem você.

- Me ajuda. – Levanto, pegando minhas coisas e seguindo para minha sala.

Gente isso era por volta de umas dez e meia da manhã, eu vejo o Camilo na entrada principal e uma tropa de pessoas importantes, e até Thiago estava no meio;

- Que isso? – Eu paro olhando.

- São representantes do Concelho. – Misael chega do meu lado.

- Que estão fazendo aqui? – Pergunto com todos subindo as escadas para sala principal da Grife.

- Não sei.... Vê aquele primeiro é o ex deputado Henrique Argollo, lembra dele?

- Sim, safado do caralho. Kleber vive reclamando dele.

Se Fabiano estava mandando pessoas embora assim, eu que não iria arriscar, voltei para minha sala, tentando finalizar meu trabalho.

E depois do almoço a Paulina volta com a informação;

- Se lembra da visita do concelho essa manhã? – Ela entra fechando a porta.

- Sim, que tem?

- A secretaria do Fabiano, me contou que eles vieram falar com a Julia, a reunião foi a portas fechadas, até com advogado.

- Meu Deus. Cadê meu celular... – Falo procurando na mesa, entre os tecidos. – Preciso falar com Kleber.

O peguei fazendo a ligação;

- Oi amiga.

- Oi Kleber, tudo bem?

- Sim.

- Amigo, está sabendo que a diretoria esteve na Petrini?

- Meu Deus, já acharam a Julia?

- Sim, Kleber eles estavam com Thiago e tudo, não consegui nem conversar com o Camilo.

- Obrigado amiga, vou ver que consigo descobrir.

- Tudo bem, beijo.

- Beijo.

Foi desligar e o Kevin liga, nem desliguei Kleber, e já o atendi;

- Oi amor!

- Boa tarde.... Não me responde desde ontem está tudo bem?

- Sim, desculpa, noite difícil.

- Já voltou para sua vida normal?

- Sempre estive nela Kevin.

- É que você passou praticamente a última semana na casa do seu amigo né.

- Quer dizer algo?

- Não.... Chego essa tarde no Rio, tenho um evento no YouTube Brasil, que vai acontecer aí na cidade. Vem comigo?

- Poderia ter avisado antes né Kevin.... Mas eu vou sim.

- Mando mensagens quando chegar.

- Beijo. – Desligo o telefone.

Eu e Paulina, trabalhando e falando da vida dos outros ali, especulando o porquê Fabiano tomou essa atitude, e criando conjecturas da visita da diretoria.

Quando estava saindo, eu consigo falar com Wilker, ele ainda abalado, xingou por minutos o Fabiano, e disse que foi uma situação pífia, que ele havia discordado da opinião dele;

- (...) Wilker, agora com a diretoria sem uma posição, e Guto na situação que está ele vai fazer o que quiser. Eu mesma nem estou querendo encontrar com ele.

- Fica longe Helena, ele está impossível.

Eu estava falando com ele no viva voz do carro, e a Paulina do lado passando os “Stories” acho que do instagram, e vejo um vídeo do Kevin;

- Wilker segura aí. – Falo diminuindo a velocidade. – Onde é isso? – Pergunto a ela.

- É de uma amiga minha a Vera, ela trabalha no Copacabana Palace, ele estava lá.

- Helena esse vídeo foi postado a quatro minutos. Ele disse que não estava no Rio... Liga para essa sua amiga agora, e pergunta se esse vídeo é de hoje, por favor.

- É Kevin? – Wilker pergunta.

- Sim, porque?

- Fica esperta amiga, seu namorado não é santo.

- O que está falando Wilker, sabe de alguma coisa?

- Não, mas a gente sempre conhece. Aí Helena vou desligar, minha mãe está ligando.

- Beijo, e tudo vai ficar bem amigo. Fica com Deus.

- Você também.

- Se Kevin estiver me traindo, me escuta Paulina, eu vou transformar ele em anjo com minhas próprias mãos eu mato ele. LIGA mulher.

- Calma. – Ela diz preocupada.

Coitada quase mato a velha de estresse.

Ela consegue falar com a amiga, coitada, Paulina desliga o telefone com medo de falar;

- É de agora Helena.

- Filho da Puta, porque estaria mentindo para mim?

- Que vai fazer?

- Poderia ligar e ir atrás dele agora, mas seu empresário iria acobertar tudo. Vou esperar essa noite, que pergunto quando estivermos a sós. Agora tenho compromisso amiga, vou na ONG.

- Obrigado pela carona, fique com Deus.

Paro o carro, para ela descer;

- Obrigado viu.... Me ajudou muito.

- Não vai fazer nada de cabeça quente em. – Paulina fala pela janela.

- Pode deixar.

Como havia marcado com o Guto de levar ele a um lugar, queria muito que ele conhecesse a ONG, que ajudou a anos atrás, acreditava eu que seria positivo ele conhecer outras pessoas e se ver dentro da vida de pessoas que ele mudou.

Em quinze minutos eu estava na Mansão, depois da entrada autorizada, eu nem tirei a chave da ignição, entrei e a Raquel me recepciona;

- Boa tarde Helena.

- Boa tarde mulher... Augusto está?

- Sim, no atelier da dona Nice.

- Posso ir lá?

- Claro, se precisar de algo chama.

- Obrigada.

Vou seguindo para a direita e desço a escadaria, vendo os dois juntos debruçados na mesa de desenhos.

Desci com ele me olhando de longe;

- Olha quem está aqui.

- Boa tarde para vocês.

- Doutora, o que faz aqui? Aconteceu algo? – Nice me olha.

Ainda não estava acostumada, e Guto me olha aguardando uma resposta;

- Vim ver como a senhora está Dona Nice.

- Que dona o que... Só Nice! E estou ótima. – Ela vem pegar em minha mão. – Quero te apresentar um dos meus filhos, esse é o Augusto. Querido essa é a doutora que cuidou de mim esses anos na clínica, Helena certo?

- Sim.

- Prazer Helena. – Ele pega em minha mão, beijando meu rosto.

- Ele é muito lindo né filha? – Ela fica com minha mão direita entre as dela.

Ele de volta os cotovelos a mesa, mas fica atendo ao comentário da sua mãe;

- Eu não acho muito não. – Falo rindo.

- Mas olha! – Ela abre um sorriso. – Não é porque eu sou mãe não, não estou puxando saco, mas é um ótimo partido.

Eu dou uma risada boa, e ela continua;

- Gosta de beber um pouco, mas prometo, é um fofo e carinhoso.

- Hum a senhora sabe vender o peixe... Mas o que está querendo dizer com isso?

- Que formam um belo casal.

Vermelha eu fiquei, nossa muito sem graça, muito mesmo;

- Ei cupido, tira uma folga, eu sei me virar tudo bem. – Ele fala rindo.

Ela volta brava;

- Você não fala eu tenho que falar.

- Ai mãe, está bom, chega.

Guto que fica sem graça desta vez!

- Veio ver Kleber? – Ele pergunta.

- Temos um compromisso, eu e você, se esqueceu?

- Sim, rsrs.

- Vamos?

- Sim, vou trocar a camiseta.

Eu chamei a enfermeira da Nice, e despedi dela, indo esperar o Guto no carro.

23 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia