• @rgpatrickoficial

Clichê - Terceira Temporada - Cap. 15

Estava eu, Henrique, Valquíria, três acionistas e Kleber, quando o Thiago entra na sala;

- Me desculpem a demora, mas é que o transito na principal está...

- Kleber não fode comigo, me faz vir aqui e traz ele?

Aponto para o Thiago;

- Me ajuda a te ajudar Guto. – Kleber coloca a mão no rosto.

- Também não gosto muito de você então, sejamos profissionais. – Thiago me encara.

- Fala comigo de novo que quebro você.

- Thiago não vai dar.... Chame outro.... Cadê o Luan? Peça ele para vir. – Kleber dispensa ele.

- Não me parece muito crescido. – Henrique me olha.

- Gente vamos começar... – Kleber abre a ata. – Estamos aqui, Henrique Argollo como representante do Concelho dessa companhia, com testemunhas, para tratar da negociação de terras em nome de Augusto Afonso Montanari Petrini.

- Quanta são? – Henrique pergunta.

Kleber entrega as folhas para todos e diz;

- São cinco propriedades. Quatro com fabricas das empresas e uma com centro de pesquisas. Conforme a reunião da semana passada dia 21. Pede-se a compra de ambas terras, avaliadas em vinte e três milhões de reais. Augusto?

- Eu vou querer trinta nelas.

- Haha’ isso aqui não é banco imobiliário. – Henrique fica rindo.

- Estou com cara de que estou jogando, estamos negociando, meu preço, trinta milhões.

- Henrique temos que chegar em um acordo, a AFAIR paga mensalmente quase dois milhões de aluguel. É poupar gastos. – Kleber fala com ele.

- Ele está nos desafiando Kleber.

- Augusto isso é sério, não é hora de brincar. – Valquíria me olha.

- Esquece essa compra, continuamos com o aluguel, não vou ceder para ele.

- O contrato acaba em dois meses, irei cobrar cinco milhões mensais de cada terreno.

Ele estava bebendo álcool, e quase quebra o copo na mesa;

- Que Deus me perdoe, mas que você queime no inferno.

- Vou queimar e usar seu dinheiro como combustível. Kleber, sobe para trinta e cinco, a forma de pagamento depois a gente conversa. – Me levanto pegando meu celular.

- O que? – Henrique grita.

- Quarenta e a gente não conversa mais sobre. É o meu preço. – Saio da sala deixando eles se matarem lá.

#Kleber

Três Fucking horas Augusto me fez ficar na sala com o Henrique pulando metros de altura.

Ele ficou furioso, e falou um monte.

Eu sai para almoçar e aproveitei para ligar para Heitor, que havia terminado a reunião;

- Como foi?

- Fechei o contrato, temos agora um aeroporto no Chile.

- Ai meu Deus, que noticia excelente, nossa tudo que eu precisava.

- E meu irmão?

- Cobrou 40 milhões, o Henrique está soltando fogo pelas ventas.

- Não vou brigar e nem esquentar a cabeça agora, deixa o Henrique se enlouquecer um pouco.

- Vão matar ele isso sim. E não espera o Edson, vem embora logo.

- Tudo bem.... Amor logo a gente se vê, ajuda meu irmão a cuidar da minha mãe e visita meu pai.

- O que?

- Cuida do meu pai.

- Que conversa é essa Heitor?

- Só estou falando amor.

- Kleber o carro está pronto. – Camilo diz.

- Tenho que ir, beijo, te amo.

- Te amo.

Desci com ele indo para Petrini pegar os livros de balanços, e participei de uma reunião com uns parceiros.

E também tive uma boa conversa com o Pierre, sobre suas ambições na Petrini, e digo, ficar satisfeito com ele ali.

Na recepção com a Helena, e o Camilo aguardando para sair, nós conversávamos sobre ela;

- (...) amigo eu acordei ele não estava mais lá. Viajou sem nem se despedir.

- Estranho amiga, vocês brigaram?

- Não, Kevin estava normal até então.

- Ee é estranho né amiga.

- Te contar.... Quando eu subi aquele dia, o Guto veio falando, não tinha alguém melhor para você não?

- Mentira.... Quero detalhes. – Puxo ela para o sofá. – Camilo calma aí. – Olho para ele.

- Eu vi a Nice, e fiquei emocionada, fui no banheiro me limpar e na conversa, perguntei do namorado, o Pierre, ele disse que não, eram só amigos.

- Aí que fofo.

- Aí ele disse isso do Kevin.

- Eu já te falei que não sou fã do Kevin né, mas respeito muito vocês...

- Eu sei amigo, ele me faz bem sabe.

- Você ama ele?

- Não sei responder isso Kleber.

- E o Guto, você gosta dele?

- É claro, é meu amigo.

- Helena.

- O que?

Recepção da Grife de Nice Petrini, 17 horas e 33 minutos.

Helena e Kleber cortam a conversa, pois o Augusto chega cumprimentando o Camilo que estava de pé na entrada.

Ao ver o amigo, Helena se cala, o Kleber olha, já abrindo um sorriso.

E de capacete em mãos ele entra indo até os amigos;

- Oi Helena... Então Kleber?

- Vai matar aquele velho Augusto.

- Seria um sonho... Pierre está aí em cima? – Ele pergunta a Helena.

- Não amigo, ele acabou de sair, estava esperando Kleber terminar a reunião e eles conversaram, acabou de sair.

Telefone de Camilo chama, e no ponto no ouvido ele atende;

- Fala Matheus.

- Senhor, código vermelho!

Camilo olha para trás e vê Guto rindo e conversando com Helena e Kleber;

- Repete!

- Tenho um código vermelho.

Com o áudio aberto para a equipe de segurança, alguns guarda costas se aproximam;

- Senhor temos um código vermelho. – Camilo pega no braço de Augusto.

Levando ele e outro guarda costa lega Kleber, eles entram ficando dentro da loja e protegidos. Mais alguns seguranças se aproximam e Camilo volta ao ponto no ouvido;

- Detalhes Matheus.

- Eu perdi o “Rei de Copas”.

- Repete.

- Eu perdi o Heitor.

- Eu sei que aconteceu alguma coisa Camilo, quando vai abrir a boca. – Guto fala atrás do amigo.

- Confirma Matheus? – Camilo começa a soar.

- A aeronave dele não pousou, são meia hora de atraso.

- Preciso da remoção do Augusto e Kleber imediatamente, para o carro e depois para a mansão. – Camilo fala a equipe.

- Que aconteceu? – Kleber fala com Camilo.

- É o Heitor, o helicóptero dele ainda não pousou.

- Não brinca comigo Camilo. – Kleber fala procurando o celular no corpo.

Eles desceram para o estacionamento, e saíram com o comboio levando Guto para a mansão e Kleber no celular, desesperado;

- (...) Como assim ele veio? Seu idiota, você quem disse que queria vir com ele. – Kleber gritava com Edson.

Ele estava tão nervoso que desliga o celular;

- Edson disse que ele veio sozinho, ele entrou no helicóptero e veio sozinho, como? Heitor não faria isso.

- Já pedi que Matheus fale com as autoridades do aeroporto, vamos manter a calma. – Camilo diz, tentando fazer seu trabalho.

Ao chegarem em casa, Guto olha a mãe na varanda e diz a Raquel;

- Preciso que ela fique isolada do que estamos conversando aqui.

- Tudo bem. – Ela sai, indo falar com a enfermeira.

- Quero atualizações AGORA MATHEUS. – Camilo fala sério no ponto.

- Uma agua Raquel, pelo amor de Deus. – Kleber senta no sofá.

Augusto de pé na frente de Camilo, olhando para seus olhos;

- A Guarda Costeira foi acionada. A aeronave sumiu do radar vinte minutos depois de decolar. Camilo ele estava sozinho. As autoridades estão se deslocando.

- Irei entrar em contato com a central da AFAIR, me atualize a todo momento.

- Sim, senhor.

- O Controlador perdeu o contato com ele após vinte minutos da decolagem. Ele estava pilotando. A guarda costeira foi acionada, pelas autoridades.

- O que você está falando? – Guto grita com ele.

- Desculpe senhor. – Camilo fala com a voz tremula.

- Desculpa o que? Cadê meu irmão? – Augusto empurra o Camilo com força.

- Calma senhor.

- Meu Deus... Meu Deus... Meu Deus... – Kleber andava de um lado para o outro.

- Senhores, com licença. – Raquel liga a TV.

“- Temos a informação da guarda costeira de São Paulo ser acionada para um helicóptero que desapareceu a caminho do Rio de Janeiro. A identificação da aeronave é AFAIR Airlines, o modelo AR-1480. Existem poucos desses modelos no Brasil pelo preço alto e ser usados aqui no Rio pela Família Petrini. Essas são as informações que temos nesse momento. ”

- Mano que está acontecendo.... Que está acontecendo? – Guto confuso olhando a TV.

Camilo volta a mão no ouvido, e fica com o olhar perdido, dizendo;

- Confirmado.

Kleber e Augusto olham para ele;

- Kleber, Augusto! Está confirmado ser o helicóptero com o Heitor, que desapareceu. Eu sinto muito.

Kleber cai de joelhos no chão, próximo a Guto, o choro dele era em meio a gritos, e suspiros com uma respiração falha.

Augusto abraçando ele, mas sem forças, o irmão chorava da mesma magnitude que tremia.

23 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia