• @rgpatrickoficial

Clichê - Capitulo 6

Bem durante a semana o Samuel me ajudou muito com Álgebra, mas no time estava do mesmo jeito de goleiro, ainda sendo a piada do grupo.

Bem na semana de trabalhos do “Jaó”, eu estava finalizando meu trabalho de álgebra e meu celular não parava de tocar, a todo momento.

Eu entrego as folhas para o professor, e digo;

- Tenho treino do time, posso sair?

- Pode sim Caio.

- Obrigado.

Arrumo minhas coisas saindo! No corredor atendo, era o meu irmão.

- Fala mano.

- Brother estou aqui na frente da sua escola, pode colar aqui?

- Que está fazendo aqui Cauã? – Falo seguindo para o portão.

- Preciso da sua ajuda porra.

Desliguei saindo do prédio e já olhando ele do portão conversando com o segurança;

- Conhece ele? – O cara me pergunta.

- É meu irmão.

- Se avançar além do gramado já sabe. – O cara ameaça ele.

- Valeu, parça.

Ele entra e segurando meu braço, afastando dos seguranças, e entrega dois celulares;

- Preciso que guarda esses aí pra mim.

- Está maluco Cauã, e se forem rastreados?

- Relaxa já dei um jeito nas peças, leva para casa, e não liga.

- Mano, vai trazer mais problema cara.

- Relaxa Caio, só leva. Tenho que ir nessa, valeu. – Ele sai pelo portão.

Fiquei com o cú na mão com aqueles aparelhos na mochila, fui para dentro e guardei dentro do meu armário;

- Que está fazendo. – Samuel me assusta.

- Puta merda, quer me matar de susto cara.

- Haha’ você é muito mole, e então como foi no trabalho? – Ele pergunta encostado no armário.

- Acho que fui bem, e essa maquiagem aí? – Pergunto fechando o armário.

- Está uma merda, pode falar. – Ele se olha pelo celular.

- Não entendo muito bem, mas depois de umas cervejas fica bonito.

- Idiota.... Vai para o refeitório?

- Sim. – Seguimos juntos.

- Estava mostrando uns truques para a Marcela. – Ele entra no banheiro. – Deixa só eu tirar esse blush, parece que levei uma chinelada na cara.

- Beleza.

Eu entrei no reservado e ele ficou na pia, tirando sua maquiagem.

Quando abro a porta do reservado, o Elias abre com muita força a porta do banheiro;

- Cadê ele.... Eu te pego Samuel. – Ele vai para cima do cara.

- Ei, ei, ei! – Eu e os meninos tenta segurar ele.

- Que isso seu escroto, ficou maluco. – Samuel grita.

- Cadê seu celular? Você filmou a gente na casa do Guto, e postou no Instagram idiota?

- Sim, fiz uns Stories de todo mundo qual problema?

- O problema borboleta. – Ele gesticulava. - É que você me filmou ficando com a Bianca, e eu namoro idiota.

Samuel não disse nada, e como postou só para os Melhores amigos, não foi todos que viram;

- Apaga isso, agora.

Ele apega o celular e apaga o vídeo, mas não satisfeitos e um dos meninos disse;

- Talvez ele tenha salvo no celular.

- Me entrega esse celular sua bicha!

- Não! – Samuel responde encarando ele.

Elias volta a pular nele, tentando pegar e no meio da bagunça a Guto entra no banheiro, até porque estava maior gritaria. E acham que o Samuel estava se escondendo? Muito pelo contrário. Eu estava segurando ele, e que carinha forte;

- Que merda está acontecendo aqui! – Guto grita, entrando no meio da galera.

- Esse troglodita quer pegar meu celular. – Samuel arrumava seu cabelo.

- Ele me filmou pegando a Bianca mano, e postou.

- Tu fez isso cara? – Guto pergunta.

- Sim, mas eu postei para os melhores amigos, e já apaguei, pode ver ai – Ele gesticula.

- Ele tem esse vídeo salvo no celular cara, apaga isso Samuel. – Elias aponta o dedo.

- Eu apago, se você me deixar em paz, caso contrário mando para o jornal da escola. – Samuel ameaça.

Mano o Elias veio para cima, eu me assustei porque Guto empurra ele, fazendo o cara quase cair junto as pias, ele deu uns passos para trás todo desajeitado;

- Qual é Cara, está defendendo essa bicha aí é? – Elias vai para cima de Guto novamente, o encarando mano a mano.

Ele fica encarando o cara, tipo;

- Não to defendendo ninguém não, panaca foi você de ficar com amiga da sua mina.

Elias se afasta muito puto, era possível ver a raiva na cara dele;

- Samuel apaga o vídeo. – Guto se aproxima.

Samuel também cheio de raiva, pegou o celular apagou o vídeo, e o entrega para o Guto que confere a veracidade;

- Está apagado, agora vê se pensa antes de fazer merda.

Samuel cruza os braços coçando a garganta, chamando a atenção do Guto, que olha para trás e diz;

- E pelo amor de Deus, larga o cara em Paz Elias. – Ele diz saindo.

Os meninos começam a sair do banheiro e Elias ameaça;

- Ainda te pego.

- Você não faz meu tipo. – Samuel debocha.

Samuel segue na frente para o refeitório, eu entro na biblioteca e deixo meu celular carregando, lá dentro havia um local especifico. Depois eu sigo para o refeitório, e enquanto me servia, olhava onde o Samuel estava sentado, mas o Fabiano estava com ele, eu me aproximo e ele diz;

- Combinado então, até mais.

- Até. – Samuel o responde.

- Oi Caio.

- E aí. – Ele pisca para mim.

- Nossa as vezes eu penso o porquê fui escolher logo esse colégio. Isso é tudo culpa sua Caio.

- Minha? – Falo de boca cheia.

- Nem era para eu estar naquela festa.

- Você quem fez os Stories. Não reclama, Guto ainda defende você, eu tenho que me defender sozinho.

- Você tem que parar de ser bobo Caio, até perece que não entendeu a jogada desse bando de trogloditas.

- Ah não! Qual é?

- Guto. Acredita que a Marcela veio falar comigo hoje só porque o Guto havia me levado para casa dele, olha que coisa mais banal, ela queria saber o porquê, e que fazemos lá, tem ideia disso. Do quão fútil ela é.

- Ela parece ser bem falsa. – Concordo.

- Ela e todo mundo aqui. Querem estar perto de você se você tem algo para oferecer.

- Eu e você não.

- Não temos nada né Caio, é o que quis dizer!

- E Guto? – Indago.

- Que tem ele?

- Disse que todos aqui são puxa sacos e querem aproveitar de tudo e todos, ele também né?

- Ele é um cara inteligente, mas só pensa em si mesmo, e também quem não quer ter o saco “massageado” pela escola inteira. Você vai ver, vou colar na Marcela e descobrir o porquê Elias puxa tanto saco do Guto, aí tem.

- Eu acho que você está pirando, só isso.

Ele faz uma careta, e o Elias passa em nosso lado. Mano ele passa sem mexer com o Samuel.

Nós ficamos encarando um ao outro, sem entender.

- Está de amizadezinha com o Fabiano? – Pergunto meio com ciúmes.

- É o único gay desse lugar que tenho para conversar.

- Ah beleza, pensei que nossa amizade tinha algum valor. – Falo provocando.

- Amigo, você é minha cota hetero, rsrs. Todo gay tem o seu.

- Não vou com a cara desse maluco... – Gesticulo.

- Fabiano?

- Sim, sempre que me olha, ele pisca, manda beijo, fica encostando na gente, não curto isso.

Ele solta as batatas que estava comendo, com cara de deboche fala;

- Caio, eu faço isso com você.

- Mas você me respeita cara, e eu te respeito! Ele não tem intimidade e nem converso com o cara, para ficar dando em cima.

- Ele está jogando verde.

- Está com a língua afiada hoje em Samuel.

- Relaxa, vou falar com ele que você não curte o melhor da vida.

- Eu agradeço.

E lá vou eu para o treino, o Elias separa os meninos e ficamos treinando uns passos, depois ele me colocou no gol novamente, e treinamos penalts.

Foi de boa, porque ele queria sair mais cedo com a namorada, então guardamos as coisas e no vestiário, eles estavam tomando banho.

Eu tiro a minha roupa e entro no chuveiro, escutando a conversa deles;

- (...) É um pau no cu. Veio falar para mim não chegar mais no viadinho... Não to suportando mais aquele filho de costureira.

Eu pensava que estavam falando do Guto, mas “costureira”? Não entendi mais nada.

Os meninos do time que estavam, comenta;

- Novato está aí, cuidado com o que fala.

Elias me olha, pensei pronto to fodido;

- Se ele abrir a boca para o Guto, nem goleiro vai ser. – Ele me encara pegando a toalha e desligando o chuveiro.

- Pensei que eram amigos! – Falo enquanto ele vai saindo.

Ele ri, e os meninos fazem o mesmo. Elias senta secando o cabelo e falando;

- Irmão, quem quer ser amigo daquele cara! Tudo dele é melhor, ele é perfeito, sem defeitos, a vai se foder.

- Pensei que, naquele dia....

- Se liga. – Ele fala mais alto. – O próprio pai enviou ele para fazer o Ensino Fundamental na França. O cara chegou esse ano aqui no Jaó, e já sentando na janela...

- Porque?

- Não basta ser pobre, é burro também! – Ele sorri com os meninos. - Metade dos alunos desse colégio tem pais trabalhando nas empresas da família dele. O meu pai é o Presidente da AFAIR. A mãe da Marcela está no concelho da Nice Petrini. Por isso engolimos o “Mr. Perfect”! – Ele olha para os meninos e comenta. – Meu pai disse que Senhor Machado não quer saber do filho. Se o próprio pai faz isso, imagina a gente.

- Só precisa de um empurrão e o pai envia ele de novo para França, já te falei Elias. Faz ele pisar na bola. – O cara fala.

- Boa, eu estava pensando em algo, mas não sei se vai rolar. E você não ouviu nada em favela.

- Relaxa.

Eles se vestiram, saindo do banheiro e eu com o chuveiro ligado, ainda sem acreditar que Samuel estava certo.

50 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia