• Richardson Garcia

Caprichos do Acaso - Capitulo 04

Fizemos algumas compras, andamos muito e comemos bastante terminamos a noite em um bar bebendo chop, Joel já estava mais "tranquilo", com Beto, isso me deixava bem mais aliviado, com o dia foi bem corrido fomos embora umas 3 da manhã caindo de sono, ao chegar logo fomos para os quartos e nem vi quando deitei.

No dia seguinte Acordo com barulho de motor, quando cheguei na janela Beto estava saindo de barco.

Me preparei e desci, Heloisa e Joel estavam tomando café,

- Onde o Beto foi? Logo perguntei.

- Ele tomou café e foi conferir o barco, para a gente partir. Respondeu Joel, de uma forma que eu desconheci.

- Partir? Como assim? Para onde?

- Para a colônia da Faculdade esqueceu?

- Assim. Tomei café e peguei algumas coisas pois voltaríamos somente a tarde,

- Pronto? Disse Beto entrando no quarto.

- Sim, já pegou suas coisas?

- Nossa, está parecendo minha mulher! Sim minhas coisas são só você.

- Ata o você, não vai te vestir não está.

Beto pegou umas roupas e colocou para que eu levasse junto com as minhas, descemos e colocamos tudo no barco que por sinal era bem grande, eu e Heloisa estava saindo da casa e Beto próximo à piscina todo lindo;

- Sabia que você está lindo?

- Haha' Valeu nem preciso falar de você não é!

Partimos e dentre uns minutos em meio a sol quente e a brisa do mar chegamos na colônia da faculdade, eu e Joel conversamos com algumas pessoas conhecidas e Beto mais Heloisa estavam se divertindo no meio da galera pois Heloisa era muito linda e chamava muito atenção.


#Beto


Retornamos ao barco e prometi levar eles na Praia do Dentista, um lugar muito lindo e deserto com a lagoa com águas claras, deixei Henrique pilotar um pouco ensinei ele que achou demais por não saber nem dirigir um carro, quando chegamos eu apreciei à vista e logo pulei na água.

Fiz alguns mergulhos enquanto eles se deslumbravam com a paisagem.

- Helo vamos com a prancha? Convidei ela, que logo pegou uma prancha sentou na frente e eu a atrás;

Joel foi nadando até a margem e estava lá com Henrique, eu fui com a prancha pegá-los primeiro o Henrique que veio sentado, e depois voltei e peguei Joel, no meio do percurso ele dá um grito e cai na agua derrubando, eu fui ajudar ele mas sem querer o encoxei ele subiu normalmente disse que algo encostou nele até aí tudo bem, entramos no barco mas no meio do caminho Henrique me pede pra ir pilotando eu sentei perto e me pego olhando pro nada pensando alto,

Quando voltei o olhar Joel estava me olhando, tipo secando mesmo, mas ele disfarçou, peguei o leme e parei em uma ilha com águas azuis magnífica, Henrique estava nostalgiado com o lugar,

Eu o olhava na água e mandava beijo e Tals, ele todo sem graça, mas feliz, liguei e avisei que iríamos ir para almoçar, eles estavam famintos Pedi Maria pra caprichar, quando chegamos à mesa cheia de maravilhas,

- Perdi meu regime. Falou Heloisa,

Que fiz na cozinha batendo palmas para a cozinheira, depois do almoço eles tomaram um banho, e eu deitei na rede ao lado de fora,

Acabei pegando no sono.

Estava sonhando que Henrique estava massageando meu cassete por cima da sunga, muito gostoso mesmo, eu só dizia seu nome, de repente abri meus olhos Joel agachado do meu lado, assustei na hora,

- Cadê Henrique?

- Foi a cidade com Heloisa, foram comprar bebidas para hoje à noite.

- Hum. Olhei para baixo e estava excitado e sem graça de sair dali, quando Joel me beija, ou tenta fazê-lo, eu sentei rapidamente;

- Você está maluco?

- Eu pensei.

- Não pense nada, sobre mim.

- Desculpa. Sai puto da vida como eu queria socar ele, tomei um banho fui a cozinha e eles chegaram com as bebidas;

- Vem comigo? Disse eu chamando Henrique.

- Vamos onde?

- Surpresa!

Subimos o morro atrás da casa que era na faixa de 1 km, era bem alto, quando chegamos já no pôr do sol, ele se deslumbra com a vista e tudo;

- Henrique, quer namorar comigo? Ele se virou rapidamente não acreditando e junto com lágrimas nos olhos respondeu.

- Mas é claro que eu quero, Beto muito, muito mesmo.

Ficamos namorando por um tempo, mas logo descemos, primeira coisa que ele mostrou para Joel foram as alianças;

- Eu falei que ele iria gostar. Disse Heloisa.

- É falou mesmo.

- Você sabia? Perguntou Henrique.

- Sim, acha quem foi que escolheu? Beto queria umas de latas, kkkkkkk'.

- Cala a boca Helo!

- Então vamos começar os trabalhos? Fomos para a cozinha preparamos alguns petiscos, e ficamos à beira da piscina bebendo e falando besteira, e do passado, de tudo mesmo, Joel foi o primeiro a subir, ficamos até mais umas 5 da manhã;

- Eu vou dormir, os pombinhos ficam aí, nada de namorar na piscina em Beto.

- Haha engraçadinha.

- Geme baixo em Henrique. Disse ela para ele que ficou vermelho na hora, estava abraçado com ele deitamos e ficamos lá conversando só nós dois.

- Porque você não apareceu antes? Disse ele olhando no meu olho.

- Como assim?

- Queria ter te conhecido antes para aproveitar cada momento.

- Estamos aproveitando e vamos aproveitar gato.

- O que depender de mim, ainda vou te dar muito trabalho.

- Trabalho como assim?

- Até parece que você não me conhece. Em alguns beijos ele para me olha e eu perguntei.

- O que foi?

- Quero te pedir uma coisa e estou com vergonha!

- Henrique vergonha de mim? O que é!

- Quero fazer amor! Ri muito dele.

- Amor?

- Ai Beto, foder tá bom pra você assim?

- HaHá' me divirto com você! Mas vamos dar uma metidinha, vem vou dar um trato em você.

- Aí convencido. Disse ele subindo as escadas.

- Trato sim, vou te mostrar o poder do Alberto Tavares.

- Acha que dá conta disso aqui é?

- Acho sim, vem cá! Puxei ele joguei na cama, ele sorriu e com uma cara de assustado,

- Hoje vou te pegar gostosinho, mas ainda vou fazer você subir paredes. Falei roçando meu cassete em sua bunda sobre a roupa, depois de umas reboladas sarrando ele e mordendo sua orelha, meu cassete iria estourar dentro da roupa, me virei e deitei ao seu lado abrindo o calça, ele já mordendo minha barriga, abriu minha calça e cuspia a lambia minha cueca branca que deixou meu cassete aparente por baixo, quando tirou pra fora já estava todo melado, às vezes que transamos sua boca sempre me surpreendia, dessa vez não foi diferente, Henrique passava sua língua com saliva em meu cassete eu ia para colocar a não e ele tirava, a saliva puxava pela sua língua eu estava rasgando os lençóis com aquele boquete, logo engolia e chupava em volta;

- Para se não eu vou gozar! Falei quase implorando, ele veio tirando a roupa e como eu estava todo babado Henrique foi sentando em meu cassete e com uma cara de dor, a melhor é quando ele sente que está tudo dentro, faz a cara de tesão que me deixa louco e tenho que controlar para não gozar, me apoiei em travesseiros e ele cavalgou em mim logo voltou a rebolar em cima de mim, eu abracei ele com a mão abrindo suas nádegas, bombei tão forte que ele deu uma gritinhos, me levantei com ele no colo encostei na parede e metia forte e fundo,

Abaixei apoiando ele na cama e meti segurando sua perna, e sinto esperma em mim ele olhou e havia gozado sem tocar em seu cassete, foi quando lotei seu cuzinho com a minha porra, foram tantas jorradas é tão forte que assustei, ele iria levantar, mas fui carregando ele para o banheiro, no banho;

- Você me surpreende cada dia com essa sua boca!

- Não tem ideia o quanto eu curto você na cama.

Ri e depois daquela foda era só carinho e amor, deitamos de conchinha abraçados, pois no dia seguinte voltaríamos para a "vida real".

Galera desculpem o atraso de hoje, foi minha internet mesmo, quero contar a vocês que a Segunda Temporada de Pecado do Interior, estamos trabalhando nela e logo, logo será postada! Obrigado!

Assim que amanheceu eu estava na sacada tirando uma foto da paisagem;

Quando Beto acorda e vem me beijando;

- Bom Dia!

- Bom Dia, dormiu bem?

- E como dormi, vou descer e ver como está o café.

- Já estou indo também. Tomei um banho e Heloisa me gritava lá em baixo, desci e estava na mesa somente Beto e Heloisa,

- Vou ver se ele está no quarto. Falei saindo.

- Nossa que bunda em. Heloisa disse eu olhei tipo muito sem graça.

Ele ainda dormia, o chamei e depois do café pegamos o helicóptero e de volta para o Rio de Janeiro, assim que cheguei em casa, Joel estava estranho e foi embora sem nenhuma palavra, fiquei no celular umas horas conversando com Beto, que estava em casa.


#Beto


Na segunda-feira acordei cedo para ir correr na orla, e Anderson estava saindo do apartamento do lado, chamei ele que logo aceitou e descemos juntos e depois de umas voltas paramos no Quiosque do Mário, sentamos e tomamos uma agua de coco, quando meu celular chama, era a Heloisa;

- Amor, estão à sua espera aqui na agência!

- Aí caralho, esqueci total.

- Então corre que seguro as pontas até você chegar. Sai como louco e deixei Anderson ali.

O que Beto não sabia é que Joel viu ele com Anderson e não iria perder a oportunidade, ele viu Beto e Anderson conversando no quiosque, assim que Beto saiu ele se aproximou, pediu uma água de coco e puxou papo com Anderson,

- Olá.

- Oi.

- Tudo bem?

- Sim, e você?

- Bem também, sou Joel!

- Anderson.

- Lindo.

- O que disse?

- Lindo você e seu namorado!

- Ele ah, não é meu vizinho.

- Nossa me desculpe, mas que vizinho em.

- Pois é, muito lindo ele.

- Queria eu ter um vizinho assim.

- Haha’, ele é bem simpático.

- Gosta dele?

- Ah, não, só estou comentando.

- É que do jeito que falou parece que vocês já tiveram alguma coisa!

- Bem, sim já ficamos, mas estávamos bêbados a não conta.

- Que isso, é valido, mas e aí bom de cama?

- Ele?

- Sim.

- Ele é um pouco masoquista, mas sim é ótimo.

Pronto era tudo o que Joel queria saber, um ponto fraco de nosso protagonista, ele usaria isso contra o namoro de Henrique. Logo que chegou em casa ligou para Paulo.

- Preciso de você amanhã.

- Não vai rolar, vou em São Paulo.

- Paulo é a nossa oportunidade, peguei o Beto, mas preciso de você.

- Fala.

- Beto tem um amantezinho que mora do seu lado, mas ele é meio idiota, leva Henrique para a orla ás 08:00 da manhã para que ele veja os dois juntos, eu vou fazer a cabeça dele aqui.

- Aí Joel eu já estou aceitando eles.

- Paulo, para de ser frocho, é sua chance vai desperdiçar?

- Tudo bem eu faço.

Joel correu para casa de Henrique e “preparou o terreno”.


#Henrique


Estava na casa de Beto já indo para casa, e quando sai do seu apartamento, esperando o elevador sai um cara de boa aparência e cumprimenta beto entrando no apartamento ao lado, achei estranho dele nunca ter me dito sobre ele, mas relevei, fui pra casa e assim que entrei Joel já chega nem me deixa entrar direito em casa,

- A gente precisa conversar. Falou ele.

- Diz Joel.

- Beto está te traindo, Henrique.

- Joel você não cansa.

- Henrique dessa vez eu estou falando sério, está ficando com o vizinho dele. Estava tirando a camisa e fui para cima dele;

- Fala de onde tirou isso?

- Eu vi eles juntos hoje de manhã, e estavam no maior love.

- Joel na boa não acredito em você, eu confio no Beto.

- Depois não diga que eu não avisei.

- Já terminou?

- Já.

- Eu preciso descansar. Ele foi embora e essa história estava me cansando ele não desistia dessa história que o Beto não prestava.

Deitei para dormir, mas de certa forma suas palavras ficaram sempre na minha cabeça, eu não entendia o porquê dessa loucura de Joel, não compreendia essa mania de não querer ou não poder me ver, bem, feliz, e alegre com uma pessoa que amo, existem pessoas que não gostam de ver sua felicidade não gostam de ver você melhor que ela.

Acordei cedo e Pulo estava tomando café com meus pais, veio com uma história de correr na orla e tals, eu aceitei, pois, minha mãe viria conosco, Paulo em vez de correr na orla de Copacabana, quis ir para Ipanema, depois de umas voltas eu e Paulo entramos no mar,

- Vou comprar uma agua de coco, aceitam? Disse eu perguntando. Os dois aceitaram eu fui até um Quiosque próximo, e vejo Beto saindo com o cara de ontem, eles estavam tomando sorvete, e em um certo momento vejo o cara limpar um pouco de sorvete no canto da boca de Beto, meus olhos saiam lagrimas minha mão estava fechada tão forte que estava machucando meus dedos, pra completar os dois entraram no carro dele todo alegres e vejo o cara beijar Beto na boca dentro do carro, nesse momento ele me vê, estava olhando pra mim, estava olhando no fundo dos meus olhos, ali beijando outro cara com uma aliança escrita meu nome em sua mão.

Me virei na hora esbarrando em uns caras, Beto saiu como louco do carro veio correndo em minha direção, eu já estava na areia quando ele pegou meu braço;

- Henrique espera. Disse Beto me puxando pelo braço.

- Não encosta em mim. Gritei com ele.

- Calma eu posso explicar.

- Como você teve coragem?

- Não foi culpa minha, Henrique ele me beijou, acredita em mim, por favor.

- Não, Não Beto não dá para acreditar.

- Henrique... disse ele enquanto eu tirava a aliança de meu dedo, joguei na areia próximo a seus pés. Me virei saindo Paulo se aproximou, mas Beto falou em um tom alto,

- Mas Eu Te Amo. Saiam lagrimas de seus olhos.

- Eu também te amava Beto, agora não mais. Eu respirei fundo para dizer a ele. Não me procure, não me ligue, não me mande mensagem finja que eu não existo, nem pense em mim, eu tenho nojo de você. Ele sentou na areia sem reação, me surpreendi comigo mesmo pelas palavras, eram duras mas tinha que ser assim. Paulo estava do meu lado colocou a mão em meu braço eu só o empurrei, e fui andando sem rumo, me lembro que andei por uma distância grande na areia, só chorava, não tinha vontade de fazer outra coisa.

A dor, pois é a dor, era algo indescritível em palavras, eu queria arrancar meu coração com a mão, queria morrer era meu único desejo. Sempre sonhei com um cara como ele, tudo, tudo o que eu queria havia no Beto, poderia elogiar ele durante o dia todo que seria poucos elogios, mas como somente Deus é perfeito e não os homens, e eu fui acreditar e me entregar 110% para aquele sentimento desconhecido até então por mim, eu estava sofrendo, sofrendo por amor, talvez possa não me compreender e eu desejo do fundo do me coração, do fundo do meu quebrado e machucado coração que não conheça tal sentimento...


#Beto


Me levantei em choque, nunca vi Henrique daquela forma, suas palavras me assustaram, me deixou sem reação peguei sua aliança no chão, e pedi para Anderson sair ele não entendia nada, fui para casa de Heloisa mas não desci, voltei a chorar lá de fora mesmo dentro do carro, o que eu havia deixado acontecer, em segundos acabei com minha vida e provavelmente com a de Henrique. Assim que Heloisa iria entrando no meu apartamento ela olhou e vendo meu carro, veio correndo assustada, entramos contei tudo a ela que ficou puta.

- Beto, ah pelo amor de Deus, um beijo, o quer que Henrique pense? Me fala?

- Já disse Helo, foi ele que me beijou, não foi eu, foi um selinho.

- Ah um selinho, e Henrique como está?

- Não sei ele saiu doido na praia... Heloisa ele falou que não quer mais me ver.

- Desculpe gato, mas eu faria o mesmo.

- E agora?

- E agora? É esperar, o tempo a seu favor, ou não.

Conversamos muito, muito mesmo, mas ela não me ajudou digamos assim, mesmo minha amiga ela viu o lado de Henrique que não estava fácil.

Peguei no sono ali no sofá de sua casa, quando acordei ela não estava em casa.

Heloisa havia ido à casa de Henrique, solicitou a entrada no condomínio como colega de classe dele, foi autorizada sua entrada más sem sucesso quando sua mão havia informada o que ele não tinha retornado depois que sumiu na praia, ela foi até Joel a, mas sem sucesso ele também sabia de Henrique, ela retornou, mas não contou sobre o “sumiço” de Henrique para Beto, somente que havia saído para resolver uma questão pessoal.


#Henrique


Cheguei em casa já no dia seguinte, tomei um banho e deitei com a porta de meu quarto trancada e celular desligado, no fim do dia me arrumei e fui para a faculdade. No intervalo vejo Paulo e Joel vindo em minha direção, Joel me abraçou,

- Desculpe, por não acreditar em você. Disse eu abraçando ele.

- Esquece Henrique, esquece. Assim que me deixou conversamos e no fim da aula voltei para casa andando, para pensar e refletir no caminho.

2 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia