• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - Queria me Desculpar

#Nícolas


Sabe quando está com tesão e não consegue nem explicar, era eu, bem eu sempre estou com tesão então, já sabem né.

- Só uma rapidinha, olha ai também está excitado.

Falei deitando por cima dele;

- Claro Nícolas, você esta pelado e vindo para me beijar.

Beijei ele puxando sua cintura para ele deitar confortavelmente, beijando seu pescoço,

- Nico.

- Que foi? Namorados não transam?

- Não somos namorados Nícolas, já te...

- Ah. Vai voltar nesse assunto Luis.

Me levantei colocando minha cueca, e sentando na cama, ele veio me abraçou por trás;

- Só falei que não namoramos, só estamos juntos.

- Porque precisamos de ser taxados como namorados para transar?

- Não disse que não podemos transar, só que não namoramos.

Ele passou por mim e se sentou no meu colo, me beijou, eu fiquei grilado com o que ele disse, mas estava passando com seu terceiro beijo já;

- Não quero mais falar disso. Ok.

- Certo Nícolas, eu gosto de você.

- Eu também.

Adoro essas discussões que sempre acabam em sexo, abracei Luis virando ele que prendeu as pernas em minha cintura, e deitamos, não dei chance para ele respirar ou dizer algo, beijei ele com vontade, eu fiquei sem fôlego em momentos;

- Nossa você nunca me beijou assim.

- Estou beijando agora, kkkkk’.

Me virei para ele ficar por cima, mas acabei caindo da cama com Luis em cima de mim;

- Ai meu Deus, Tudo bem, Nícolas? Te machuquei?

- Espera, deixa eu tirar essa cueca, pois estou igual pedra, se continuar sarrando nem vou te comer e já gozar.

- Me comer?

- Larga de frescura, gosta de mim safado desse jeito mesmo.

- Nícolas.

- Cala essa boca e me beija Luis.

No carpete do chão ficamos, ele já estava pelado em meio a amassos, meu cassete igual pedra, pelo tempo que fiquei sem sexo, Luis mordia minha barriga, passava a língua quente em meus peitos, até chegar em meu cassete, ele sempre começava a me chupar da base, descia nas bolas, mordia a virilha, nesse ponto eu já estava me contorcendo com os dedos dos pés contraídos, segurando seu cabelo que era um pouco grande conduzindo, quando falo que a chupada dele é uma das melhores não estou exagerando, quando coloca meu membro em sua boca, ele já de inicio tenta engolir todo, o Maximo, nesse dia eu cheguei a me sentar, para me segurar, caso contrario não me aguentaria.

Eu segurava sua cabeça e fazia movimentos de vai e vem em sua boca, que me deixava todo babado, ele limpava a boca tão sexy, os lábios avermelhados, me arrepio de lembrar.

Me sentei passando os dedos e dando tapas em sua bunda, sempre e nossas transas fazíamos como se fosse a ultima. Beijei ele sentindo o gosto do meu cassete em sua língua, de quatro mesmo me levantei e mandei ele;

- Abaixa e empina pra mim vai.

- Vai com calma, tem um tempo que não fico com ninguém.

- Sabe que não vou.

Cuspi em sua entrada, passei a língua e mordi suas nadegas, me punhetando comecei a penetrar em Luis, ele gemendo e eu não parei até ele sentir meus pentelhos em sua bunda branca, eu passava as mãos nas costas dele, descia até seu peitoral e subia ele para beijar seu pescoço, morder suas costas, enquanto minhas mãos desciam até suas pernas e voltavam, ouvindo ele gemer próximo ao meu ouvido.

Me sentei a beira da cama e Luis se sentou de costas para mim, me apoiei e ele cavalgando em meu cassete, nessa posição enfiava bem mais fundo nele, que gemia com vontade. Sacanagem era ele rebolar em mim, caramba eu segurava sua cintura para não gozar;

- Viado, isso é jogo sujo.

Ele rindo e se punhetando mexia muito gostoso, não agüentei e gozei dentro dele, mordendo suas costas, ele ejaculou junto comigo, eu cai na cama e ele se levantou;

- Ai caralhoooo.

Quase gritei, eu estava ainda em êxtase e Luis me chupou, nossa quase dei um pulo, me arrepiei todo.

Ele foi pro chuveiro, eu só me lembro de subir direito na cama, peguei no sono daquele jeito mesmo.


#Eduardo


No dia anterior não vi Ayla, ela saiu do colégio e foi em um evento do pai dela o Henrique, estava tomando café sozinho, quando o Nícolas chega, com um sorriso no rosto;

- Que isso em está radiante.

- E ai mano, ai estou ótimo e morrendo de fome.

- Noite foi boa ontem.

- Boa não, ótima.

Ele se serviu e sentou do meu lado;

- Eduardo, você que já namorou algumas vezes, mano suas namoradas no sexo ficavam falando, tipo muito?

- Que foi? Luis está exigindo algo na hora do sexo?

- Não, porque ele falou com você?

- Hahaha’ não Nico, mas é normal, quando estamos namoramos elas acham que mandam na gente, e podem exigir, no seu caso ele.

- Eu gosto dele mano, na boa, mas na hora do sexo é foda.

- Isso porque está só namorando.

- Cauê está vindo, corta  assunto beleza? Ele estava bebendo algo, com uma cara, meio que cabisbaixo;

- De boa. Fala Cauê, cara dormiu direito?

- Não.

- Que foi maninho?

- Acho que a Kelly está apaixonada por mim.

- Uou! Haha’ mas e você gosta dela Cauê?

- Não Eduardo, não do mesmo jeito que ela.

Vi Ayla entrar no refeitório, se serviu e sentou com Agatha e outras garotas, distante da gente;

- Cauê depois conversamos, vou falar com Ayla.

- Eduardo, segredo em.

- Pode deixar Nico.

Odeio a ideia de que você tem que falar com uma pessoa e ela esta rodeada de garotas, me aproximei de Ayla que se virou e todas ficaram caladas;

- Podemos conversar?

- Sim, claro, até logo meninas.

Ela foi na frente eu dei um tchauzinho pras meninas e acompanhei Ayla, ela só foi para um lugar no terraço onde ficávamos anteriormente, se sentou no chão, e eu me abaixei meio que vergonhoso ao seu lado;

- Queria me desculpas por ontem.

- O que houve?

- No teatro, a cena que tive que protagonizar com Yasmim.

- Ah, Eduardo não entendi ainda o motivo da desculpas.

- Pensei que ficou brava comigo, você saiu no meio da peça.

- Sai porque tinha algo pra resolver, e não me importo com o que aconteceu, você sim parece estar preocupado, como se estivesse devendo algo.

- Não eu não estou, é que...

- Esquece, deixa pra La.

- Você é demais.

- Eu sei, e só uma coisinha se beijar outra garota alem de mim, eu mato você.

- Posso até beijar, mas elas nunca vão ter o sentimento que tenho por você.

- Ouhn! Ainda estou desconfiada.

- Haha’, escuta, que tal acamparmos esse fim de semana?

- Fabrício comentou algo, mas onde?

- Na minha casa, meus pais viajam essa semana.

- Vamos dar uma festa?

- Não Ayla, cara todo mundo só pensa em festa.

- Ai tudo bem, é que aquela vez que seus pais viajaram...

- Eu sei, eu sei... mas não se preocupe, será somente nos mesmo.

Beijei a boca de Ayla,dei uma pegada em sua cintura, pressionando ela, quando ouvimos alguém coçar a garganta, era a bibliotecária;

- Aqui não é lugar para namorar, os dois se não forem ler um livro, ou estudar, fora.

- Nossa que mal humor.

Saímos e topamos com a tal Kelly;

- Oi, bom dia meninos, é Eduardo será que posso falar com a Ayla?

- Sim, claro. Beijo vou nessa a gente se fala.

Na sexta-feira a tarde na academia;


#Fabrício


-  Vai Cauê, isso, vai. Haha.

Cauê havia conseguido mobilizar o Nícolas com uma seqüência de golpes. Nos estávamos apreendendo com ele a um tempo;

- Parabéns maninho, foi demais, agora se alguém vir com graça pro seu lado você parte pra cima.

Nico se sentou do meu lado nas escadas e Cauê de pé na nossa frente, todos os 3 muito soados, estava tomando água e eles Tonico ou algo do tipo;

- Estava pensando em levar a Kelly amanhã, o que acha?

- Cauê, disse que ela esta gostando de você, mas e ai esta gostando dela?

- Já falei que não Nico.

- Então, isso fará com que ela fique com mais esperanças ainda.

- A gordinha?

- Sim Fabrício, Nícolas se eu arrumar uma namorada? Ai ela desencana não é mesmo?

- Sim, ela vai sofrer um pouco mas desencana.

- Na minha época, eu pegava a gordinha, namorava outra garota e se der mole ainda pegava mais uma.

- Não está conseguindo pegar a Agatha e ta falando que pegada 3.

- Vai se foder Nico.

- Opa Luan esta ligando, vai com a gente Fabrício?

- Não, vou com o Luis, minha mãe esta visitando a minha avo, eu e Luis vamos amanha.

- De boa.

Fomos tomar um banho, e preparar as malas, Eduardo e as meninas já haviam ido para casa, Nícolas e Cauê saíram em seguida. Fui ao quarto de Luis mas ele já estava vindo até o meu, nos encontramos no corredor;

- Pronto?

- Sim, vamos?

- Vamos.

Ao sair não havia carros do lado de fora, descemos ate a garagem, o Luis desativou o alarme de uma BMW, a mesma que havíamos ido a festa, ele foi dirigindo até a zona sul do rio de janeiro, estacionou em um prédio;

- Está morando aqui agora?

- Sim, no apartamento de minha avo, ela não esta no Brasil.

Assim que chegamos, o elevador nos levou até dentro do apartamento, C.A.R.A.L.H.O. só o que tinha que tinha pra dizer;

- Isso aqui parece uma mansão Luis.

- Nossa, não me lembro de ser tão bonito.

Procuramos e separamos os quartos a vista era perfeita, jantamos fora e na manhã seguinte acordei com o Nícolas me ligando;

- Mano já esta acordado?

- Não cara, é oito da manhã, em um sábado, que foi?

- Vamos tomar café na casa do Eduardo, ele já esta nos esperando, as meninas já estão lá falta vocês.

- Ta. Vou chamar o Luis.

- Falou.

Chamei o Luis, demoramos um pouco até sair, voltamos com as malas pro carro e fomos para o condomínio onde Eduardo morava, eu mesmo já havia contado a vocês da residência dos Monteleoni, entramos e ouvimos gritos, os empregados pegaram nossa bagagem, passamos pela imensa sala e estar, como era tudo de vidro vimos que eles já estavam na piscina.

5 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia