• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - Pense no que está Falando

#Eduardo


O sol estava baixo estávamos sentados e deitados em estilos de bangalôs a beira da piscina, acho que estávamos sozinhos no colégio, pois feriado e domingo a tarde.

- E a Agatha? Cheirou a Vodka e caiu no chão, umas 4 vezes.

- Diz ela que estava bêbada.

Risos e mais risos e risos. Estávamos na beira da piscina falando da festa do dia anterior, eu ao lado do Cauê e a Ayla no meio das minhas pernas, Fabrício em pé imitando a Agatha, ela estava deitada no colo do Luis, junto de Nícolas, que fazia cafuné nos dois.

- Não, Não, e o Cauê no palco? Gente ele só queria tirar a roupa mesmo, porque não sabe dançar nada!

- É mas eu o vi ficando com uma garota da minha sala no corredor!

- Eu sou demais.

- Esse é meu irmão.

- E o Nícolas e Luis se beijando? Fabrício disse isso cortando o barato de todo mundo, porque não entendemos, ele percebeu o que havia falado, o silêncio se instaurou.

- Fabrício não teve graça! Disse  Nícolas a ele que concordou; - Pensei que teria, foi mal. - Eu já vou pois está esfriando, e tenho que terminar de ler um livro. - Quem te conhece Cauê não cogita a ideia de ser irmão do Nícolas. - Haha’ Também sei ler Ayla. - Pelo menos isso. Cauê saiu, e ficamos mais um tempo conversando, até que eu e Ayla iríamos para dentro e Agatha e Fabrício também, Nícolas havia pegado no sono no colo do Luis. #Nícolas - Vai acordar ele? - Estou acordado. - Vamos entrar cara, está esfriando. Entrei abraçado com o Luís, diferentemente dos outros dias, havia um sorriso no rosto dele; Semana de aulas começou (saco). Na manhã de quinta-feira eu havia acabado de sair da aula, estava almoçando com o Cauê, assim que os meninos chegaram; - E ai? - Tranqüilo. - Nícolas, vai no acampamento? - Onde? - No acampamento do colégio, nossa turma e a de Luis foram convocadas. - Não to sabendo de nada. - Nem eu. - O Aviso esta nos quartos, Cauê não sei se a turma de vocês vão, afinal os calouros não participam dessas atividades. - Hum que pena. - Vocês vão? - Eu e o Fabrício não queremos, é o fim da copa do Brasil, e ficar no mato sem internet. Mas... - Mas? - As meninas querem ir, e acampar tals, em casais, nas barracas já sabe né. - Estão achando que vão traçar elas. Eduardo vem falar que não comeu a Ayla no hotel em Cancún? - Não mano. - Ah cara, que isso. Representa. E você Fabrício, está pensando que vai conseguir ficar com a Agatha? - É a ideia. - Vão acabar dormindo juntos isso sim. - Para de jogar praga Nícolas, vamos cara vai ser massa, bom que o Luis tem com quem dormir. -Vocês são fodas, vou decidir, afinal Cauê não poderá ir. - Tranqüilo, pode ir, não se preocupe comigo. Não deu para irmos para casa na sexta-feira, Caio veio nos pegar no sábado de manhã, fomos no shopping, assistimos um filme e almoçamos por lá. Luan estava trabalhando, já em casa; - Cauê, quero te levar em um lugar você vai gostar. - Onde Nícolas? Chega a dar medo quando fala assim. - Fica de boa. No meu carro mesmo fomos ao estande onde Luan treinava, como ele não estava, assim que chegamos, um dos colegas dele me reconheceu e conseguimos tranquilamente, entramos eu estava colocando o colete em Cauê, assim como Luan fazia comigo; - Isso é pesado. - Para te proteger. - Será só nos dois? - Sim eles já terminaram. - O que vamos fazer? - Tiro ao alvo, e vou te levar no campo também. Ei Cauê se acalme. Depois que estávamos prontos, eu preparei a arma de Cauê que ficou só olhando, ele me acompanhou até as mesas; - Segure desse jeito,  olha assim ela está desarmada,  os pés nessa posição,  firme você puxa aqui para trás,  e dispara. - Uso isso para mirar? - Sim,  assim... Nada mal. #Cauê Como estava concentrado nem percebemos quando o Luan chegou; 📷 - Não ensinou a ele a respiração! Disse ele vindo atrás de nós,  me assustei, assim como Nícolas,  olhem ele se aproximou abaixou do meu lado e me explicou; - Foca no seu alvo. Imagine acertando ele, inspira, e expira, inspira.(...)  Acertei não no meio do alvo, mas acertei, pra mim estava valendo (...) Sorte de principiante. Fiquei ali até acabar as balas do pente, depois entreguei a arma para o Luan. - É pesada. - Você acostuma com o tempo. Nícolas estava atirando, nós dois de costas pra ele; - Isso lhe acalma? - Não! Mas a questão de treinar sim, não atirar, a concentração do treino. - Por isso que ele gosta tanto disso. - Nícolas desde a sua idade me acompanhava, tentei impedir, mas deu pra perceber. - Ele atira bem. EI NÃO TEM MAIS ALVO VOCÊ ACABOU COM ELES TODOS. Ele olhou rindo todo exibido, eu e Luan saímos e deixamos ele, que ficou por um bom tempo. #Luis - Acho melhor não.  Vamos deixar pra lá. - Luís,  a escolha foi sua, vim porque conheço seu pai, seja corajoso. - Aí tudo bem, vamos lá. Estava em frente em casa, junto com meu tio Beto,  decidi de vez contar aos meus pais que eu era gay. Assim que entramos minha mãe estava na conta e meu pai jogando na televisão. - Até que enfim chegaram. - Mãe, Pai. Precisamos conversar. - Que cara é essa Luis? Beto o que aprontaram dessa vez? - É pouco sério,  senta aí Garoto. Disse ele a mim, meu pai estava no sofá na minha frente, abaixando o volume da TV, minha mãe de pé atrás dele, e Beto do meu lado. - Fala logo Luis,  esta me deixando preocupada. Acho que a mesma sensação de dizer a sua mãe que quebrou uma coisa que ela presa.  Ou ao seu pai que vai repetir de ano no colégio, coração na mão,  eu estava suando, mas aquilo estava na garganta. - Pai, Mãe,  eu queria ter falado antes, como agora não sei usar as palavras então lá vai. Eu sou gay. Como em um salão onde se escoa sua voz foi a minha naquela sala, ninguém falou nada, vi minha mãe apertar o ombro do meu pai, ela olhou para baixo, Ele se levantou e foi em direção a janela, Beto passou a mão em meu cabelo como carinho. 4 segundos que pareciam 4 horas, - Por favor falem alguma coisa. - Gay Luis? Mas de onde tirou  isso? - Mãe! Falei represando ela, porém o pior estava por vir. - Isso é tudo culpa sua Alberto! - Eu? Gustavo eu? Como assim? - Gustavo meu amor, Beto não tem nada haver com isso. - Você também Heloísa! Não sua mãe cuidará melhor dele, Suíça é um ótimo lugar para se educar. Olha ai,  Agora temos uma menina na família. - Menina? Me respeita. - Cala a boca! Não quero mais te ouvir Luis! Como ousa me desrespeitar. Está feliz? Não conseguiu com sua filha mas levou o Luis pro seu lado Alberto. - Não admito que fale assim, ele é só um garoto, não temos escolha, nascemos assim, é você seu marxista do caralho? Comigo tudo bem, o irmão gay tudo bem, mas o filho não? - Vocês dois saem daqui. Saem da minha casa. - Gustavo? - Pai? - Não sou mais seu pai. - Pelo amor de Deus, Gustavo, pense no que está falando, é nosso Filho. - Seu filho Heloísa, seu. Estão surdos, vão,  anda, pra fora. - Saem deixe ele se acalmar, Beto cuida dele, meu filho se acalme, eu vou... - Vai onde? Quero todos fora, FORA DA MINHA CASA.

1 visualização
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia