• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - Pai Cadeira de Rodas?

#Fabrício


Na sexta-feira...


- Marcado amanhã então?

- Sim, me manda uma mensagem.

- Pode deixar.

Falei beijando o rosto de Ayla, Eduardo se despediu de Agatha, e elas foram embora, Eduardo voltou a arrumar sua mala, e Nícolas volta junto a Luis;

- Eu já disse ele vai comigo.

- Nícolas, para de ser cabeça dura, eu vou levar ele.

Os dois brigando para decidir quem iria levar o gato pra casa;

- Se quiserem deixar eu cuido do Fumaça.

- Resus e eu vou levar ele.

Nossa Eduardo me olhou rindo ignorando eles e perguntou;

- Não vai ver seus pais?

- Não, não tenho grana para pegar o ônibus.

- Onde mora?

Perguntou o Nícolas arrumando sua mala;

- Jacarepaguá.

- É caminho, eu moro na Barra, te dou carona, vou levar o Eduardo mesmo.

- Te liberaram o carro Nico?

- Sim.

- Aceito cara, vou arrumar minhas coisas.

Arrumamos nossas coisas e quando estava com o Nícolas colocando no porta malas vem o Luis com a cara fechada;

- Me dá uma carona?

Nícolas sorriu, mas não sacaneou ele;

- Entra ai, eu te levo.

Em menos de 2 horas já estávamos na porta do prédio onde Luis iria ficar, que era muito bonito por sinal, bem próximo a praia, mas nada comparado a mansão onde Eduardo ficou, depois que entramos na propriedade passamos pelo jardim que era enorme até chegar na casa, que era perfeita, bem grande e alta, bastante imponente;

- Fabrício desce ai, vou pegar meu computador.

Entrei com eles e o lugar era inacreditável, fomos até o quarto de Eduardo que era do tamanho de minha casa, na sacada dava para ver o restante do jardim até o altos muros, 2 piscinas enormes, e quadras de esporte, havia um heliporto também, mas não demoramos despedi dele e Nícolas foi me deixar em casa, foi até rápido, quando chegamos alguns vizinhos chegaram a olhar, pois o carro dele era importado, e tipo não se via muito aquele tipo de veiculo por ali;

- Valeu cara.

- Mano posso usar o banheiro, to mega apertado.

- Sim, entra lá.

Assim que entramos minha mãe estava na cozinha com minha irmã que tinha 4 anos;

- Oi que saudades meu filho!

- Também mãe, muita. Mãe esse é Nícolas, estuda comigo.

- Oi moço, prazer.

- Prazer todo meu senhora, bem onde é...

- Assim, a primeira porta a esquerda, é simples então.

- Não se preocupe.

- Ele não me é estranho Fabrício.

- É filho daquele policial mãe, o que lhe falei.

- Ah, entendi.

Nícolas retornou em seguida;

- Bem Fabrício, vou nessa, foi um prazer conhecer a senhora. Ei te pego na segunda de manhã beleza?

- Fechado, Nícolas obrigado mesmo cara.

- Até mais então.


#Nícolas


Cheguei em casa, subi com dificuldade minha coisas, e o fumaça já estava perturbado por tanto tempo no carro, abri a porta do apartamento, entrei deixei as malas na entrada, com o Fumaça no braço ao chegar na sala me deparo com meu pai Luan em uma cadeira de rodas, quando voltei para as aulas e ele ainda estava no hospital, quando vi ele, foi como um golpe, fiquei meio em choque, sem o que dizer;

- Olha quem chegou!

- Oi pai, está sozinho?

Disse me aproximando e beijando ele;

- Sim, Caio está no trabalho, e quem é esse pequeno?

- Resus!

- Resus? Que nome lindo.

- Não, não, fumaça.

- Fumaça Nícolas, coitado.

- Pai? É... Cadeira de rodas?

- Senta ai.

Disse ele apontando pro sofá na frente dele, confesso que me tremi naquele momento com medo do que viria.

- Será por 3 meses, estou fazendo fisioterapia, volto para o quartel em 5 meses.

- Ah entendi, mas pai...

Eu tentei perguntar, mas só coloquei a mão sobre seu joelho;

- Nícolas, pronto assim melhora.

Disse ele levantando;

- Sim, desculpe.

Fui levar minhas coisas para o quarto e ouvi o telefone chamar, logo meu pai chega no quarto;

- Vamos na revista, Thiago quer falar comigo.


#Caio


Estávamos em uma reunião muito exaustiva com o Thiago, toda a direção, por ser sexta-feira todos estavam com umas caras de animação.

Estava com o olhar vidrado na apresentação, e com uma caneta batendo a tampinha no rosto, quando vejo Nícolas passar empurrando a cadeira com o Luan, tipo correndo os dois, logo voltaram e pararam olhando pra dentro, mas o Thiago não viu eles, pensei que estariam me esperando. Foi ai que Luan cochichou algo para Nícolas, pessoal ele entrou na sala na frente de todos e deu um tapa na bunda de Thiago, o engraçado foi o susto dele, que chegou a deixar cair os papeis que estava auxiliando, ele olhou pra trás com raiva e saiu da sala, eu o segui.


#Nícolas


- Tinha que ser você né garoto. Olha quero falar com vocês, me esperem na minha sala. Ah Caio leve eles até lá.

- Oi pai!

- Como está Nico?

- Bem.

- Vamos é por aqui.

Entrei eu peguei umas balas da mesa de Thiago e fiquei próximo a janela, enquanto meus pais conversavam, logo Thiago entra;

- Por favor, sentem-se. Como esta a recuperação Luan?

- Bem, Marcelo pega mesmo no pé, não me do descanso.

- Eu que o diga. Bem acho que sabem que o Eduardo assinou com a revista certo?

- Assinou?

Perguntei cruzando os braços;

- Ele agora é contratado da revista, como modelo. E chamei vocês aqui, pois quero estender o contrato a você Nícolas?

- Não.

Respondi, seco, meu pai o Luan começou a rir, Caio meio que olhou torto;

- Mas nem expliquei ainda.

- Não precisa, Não quero, obrigado.

- Não adianta Thiago, ele é assim mesmo.

Disse Luan rindo, meu pai Caio logo questionou, ele estava com vergonha;

- Mas porque não Nícolas?

- Só não quero ser capa de revista. Passar maquiagem, ou ficar famoso.

- Olha Nícolas, lhe chamei pois preciso trazer o Eduardo mais para dentro da empresa.

- Thiago, se ele que é seu neto não quer vir por vontade própria, quem dirá  eu que não gosto de revistas de fofocas.

- Não adianta Thiago, esse ai é cabeça dura.

- Tudo bem, tudo bem, já vi que não vou conseguir. Posso lhe pedir uma ajuda então?

- Pode tentar!

- Preciso de uma polemica! Assim como pegaram vocês naquela blitz, preciso de algo que coloquem vocês nos tabloides, essa semana saiu a noticia que ele assinou os contratos e não houve alvoroço algum da mídia.Olhei com a cara mais lerda, por nem estar acreditando que eles queriam que eu aprontasse, e melhor que isso, com o aval dos 3;📷

- Isso é fácil.Falei abrindo sorriso de canto de boca;- Não, Thiago eu não posso ajudar estou de licença.

- Eu sei Luan, mas e o Caio?

- Perceberam o que querem fazer Luan e Thiago, ou melhor, o que vai fazer Nícolas?

- Não sei pai, mas relaxa.

- Não to gostando da ideia.

- Nícolas, o Eduardo não pode saber, combinado?

- Tudo bem, deixa comigo.

- Ta, nada de rachas e nem brigas.

- Ok pai.


Sábado de manhã...


- Cara isso é vida, como poderia ter um mar dentro daquele colégio.

- Eu não conseguiria viver naquele lugar, Henrique convenceu colocar Ayla no colégio, se fosse eu nem precisava dela estudar.

- Porra Beto, quer ser meu pai não cara?

- Não diz besteira, Caio é muito de boa. Opa olha essa é das grandes.

Falou ele remando com os braços e eu seguindo subimos na prancha e passamos pelo túnel formado pela água azul do mar. Todo sábado era sagrado eu e o Beto sufarmos juntos.

Logo mais estava guardando as coisas no carro e meu celular chama;

- Nico’.

- Fala gata!

- O que vai fazer hoje a noite?

- Sair com o Eduardo Ayla, porque?

- Eduardo? Mas ele vai sair com a Agatha.

- Ai caralho, esqueci total, porque?

- Vamos sair todo mundo junto, o Fabrício vai passar aqui em casa.

- De boa, fechou, mas quer ir onde?

- Tem um show em uma boate perto aqui de casa.

- Combinado, beijo nessa boca.

- Tchau.

Liguei para o Fabrício, para combinar com ele;

- Alo!

- Fabrício é o Nícolas firmeza?

- Fala cara!

- Vamos a uma festa perto da casa de Ayla essa noite, pego você ai ás 21:00, beleza

- Combinado, você que manda.

- Quem era?

- Fabrício, o cara que esta afim da sua filha.

Beto estava tomando água, quando falei ele chegou a derramar um pouco em sua camisa.

- Se eu pudesse escolher por ela queria você, mas não posso obrigar, confio em você em, fica de olho.

- Fica de boa, eu cuido das meninas, são como minhas irmãs.

(Se ele soubesse que eu como uma das “irmãs”). Passou duas garotas olhando pra gente uma com tanga e a outra de biquíni, eu assoviei para elas e Beto só ficou olhando;

- Cara olha que delicia, “OBRIGADO VERÃO”. Gritei pra elas ouvirem.

- Rsrsrs’.

Ele riu, ai que me toquei, olho rachando de rir para o Beto;

- Ah cara, eu me esqueço, nossa ainda não me acostumo que você é gay.

Ele me jogou a água da garrafa e se despediu indo embora.


#Eduardo

-Você e esse espelho! Não mandei colocar um em seu quarto?- Sim, mas ainda não instalaram.Estava escovando os dentes e postando no Snap, quando meu pai entrou em seu quarto;📷- Só não é mais metido que seu avô. Sua mãe disse que queria falar comigo?- Sim, Posso ir na "Wood's" com o Nícolas e as meninas?- Não!

- Pai é só uma boate, Ayla e Agatha vão estar também.

- Eduardo já falei, você não vai sair com o Nícolas.

- Pai ele está diferente, acha que Nícolas vai aprontar com o Pai, depois que quase matou os dois.

- Não confio nele Eduardo. Não vou repetir, você não vai sair essa noite.

Subi as escadas furioso, caramba, me sentia melhor no colégio interno do que na minha própria casa;

- Me ligou Eduardo?

- Nícolas meu pai não me deixou sair.

- Que merda em cara.

Falei me aproximando da sacada do meu quarto;

- Pega todo mundo, vou te esperar no portão principal as 22:30.

- Uai, mas. Beleza. Hahaha’.

Não me privaria de sair com meus amigos por problemas pessoais que meu pai tivera.


#Fabrício


Minha mãe ficou louca quando soube que iria sair com o Nícolas, foi bem difícil, mas consegui, porem quando ele chegou, ela foi até no carro pedir pra ele tomar cuidado;

- Meu filho vão com Deus, e Nícolas cuida do meu tesouro  pra mim.

- Pode deixa.

Ele acelerou o carro e deu altas gargalhadas;

- Ai tesouro! Hahahahahah’, nunca vou esquecer isso.

- Viado, cala a boca!

Nossa foi até a casa de Ayla me enchendo, quando chegamos, ele desligou o carro;

- Porque não liga pra ela.

- Conhece o pai dela mano? Na real, vamos subir e se apresente para criar confiança, beleza.

- Ok.

Entramos no elevador, eu estava nervoso;

- Então Nícolas, como estou?

- Está lindo Tesouro.

- Filho da mãe.

Ele tocou a campainha e um homem loiro abriu a porta;

- Nico, quanto tempo! E você é?

- Fabrício prazer senhor.

- Henrique, prazer todo meu, entre fique a vontade.

Pensei, nossa foi melhor que eu pensava, entramos ao chegar na sala o lugar era enorme, o Henrique disse;

- As meninas estão se arrumando.

- Oi garotos, como estou? Eu sei estou linda.

Disse Luis vindo bem arrumado;

- O que está fazendo aqui?

- Vou levar a Ayla e Agatha no meu carro e os meninos vão com você Nícolas.

- Seu carro Luis?

- O Meu irmão deixou ele sair no carro, para pegar as “mina”.

Todos riram quando um outro cara veio, ele moreno, mas forte veio direto até mim;

- Boa Noite , e você quem é?

- Fabrício, senhor, Fabrício Moraes.

- O ultimo que subiu nesse apartamento foi jogado daquela janela, você é corajoso.

Eu dei um sorriso meio de canto de boca e ele cruzou os braços ficando do meu lado;

- Beto, para ta assustando o menino.

Falou o Henrique puxando ele pelo braço e abraçando, quando as meninas saíram;

- Pronto vamos?

Agatha estava com um vestido que deixava aparente as coxas, um cabelo volumoso, já Ayla de saia de couro e blusinha branca, poxa fiquei sem graça, o quanto ela estava linda;

- Vamos, eu ainda tenho que pegar o Eduardo, e Luis dirija em uma pista oposta a mim, não quero você perto do meu carro.

4 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia