• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - Fim de um Sonho

Manhã de sexta feira, o tempo estava chuvoso, uma chuva fina como de um dia triste, o tempo nublado. No teatro do colégio Eduardo ensaiava no palco, antes mesmo do café da manhã, incansavelmente e repetidamente as palavras saiam de sua boca, de suas mãos e gestos, e de seus olhos, lagrimas de dor, uma dor desconhecida, ele caiu em prantos ao chão do teatro, sem ao menos saber o que houve, na peça que estava ensaiando não havia nem ao menos a palavra “Lagrimas”, mas ele sentiu que precisava, por para fora...”.

Em uma distancia do local, minutos mais tarde daquela manhã, uma multidão de alunos extasiados de frente a TV, o noticiário prendia a atenção de todos, para uma péssima pior noticia...

“Está confirmado, agora as oito e vinte e um da manhã desta sexta-feira, está confirmado à morte do empresário Thiago Alves Monteleoni. Thiago estava lutando contra um tumor no cérebro a vários meses, ele foi encontrado morto em seu apartamento pelo marido o Doutor Marcelo Liriato, relatos dizem que ele faleceu essa manhã, pois quando as autoridades chegaram no seu apartamento, havia minutos desde sua morte, empregados disseram que Marcelo ao adentrar nos aposentos Thiago já morto segurava em suas mãos uma foto de sua família, família essa que leva o legado de um Ícone do Empreendedorismo. O corpo do empresário será cremado neste domingo e as cinzas jogadas no lago na mansão de seu herdeiro, conforme pedido pelo próprio Thiago.”

Na Revista Baldin, um grande luto, no colégio de Eduardo luto, possivelmente todos os órgãos nesse dia triste estavam de luto, e na tarde de sábado no velório, e lembranças de Thiago, as mais acalentadoras e belas formas de amor deixadas pela sua passagem na terra.

Eduardo no seu quarto se preparando, ele colocará a camisa branca, se encarando no espelho como um estranho, Cauã adentra seu quarto;

- Meu filho, vamos? Marcelo está aguardando.

- Pai, eu não quero ir!

- Precisamos Eduardo.

- Só queria que ele entrasse no meu quarto gritando comigo. Me assustando, ou sei lá fazendo qualquer coisa, me pedindo pra ir na revista.

Eles se abraçaram e quando se imaginasse não existir mais lagrimas, elas escorriam pelo rosto.

Do outro lado da cidade, uma alma estava calada, sem palavras desde a noticia, era Luan que estava em choque, ele não tinha reações. Caio o auxiliou para se aprontar, Nicolas o abraçou e direcionou até o carro, todos de preto, para uma das piores reuniões de pessoas já participará.

Com a presença de Matheus e Pedro, Heloísa e Gustavo, Leonardo  e Heitor, Cauã e Amanda, Jade e Danilo, Henrique e Beto, Caio e Luan, Kened e Marcelo, Eduardo sendo consolado pelos amigos e namorada, Ayla, Agatha, Nicolas e Luis, Fabrício e Cauê e seus pais, Adrian e  Gabriel, entre outros...

Luan começará o discurso póstumo...

- Queria agradecer a todos e a oportunidade de falar aqui a vocês hoje. Eu  não gosto de falar em publico, mas a ocasião me... caramba não sei ao certo o que vou dizer. Marcelo, Jade, Cauã e Eduardo, e aos demais, meus sentimentos, hoje estamos nos despedimos de um anjo que Deus nos disponibilizou, para mim Thiago era um anjo, mesmo me alfinetando sempre que podia, sua alegria profissionalismo o destacou para mim, mas acima de tudo sua forma de proteger sua família.

Quando conheci ele, eu estava indo trabalhar, sou policial, e acompanhado de Caio meu marido, ele disse o seguinte, “ Caio você anda com segurança ainda armado?” Eu sorrindo mostrei a aliança ele sorriu pouco sem graça e então me conquistou, Marcelo se aproximou cumprimentando e em seguida Cauã veio correndo, ao ver o sorriso no rosto dele, e com o passar do tempo Thiago me surpreendia, a cada atitude. Uma alma pura e alegre nos deixa, Como isso é difícil. Adeus meu caro e velho amigo.

Em seguida seria a vez de Cauã falar de seu pai...

- Sei o que cada um de todos estão sofrendo e respeito isso, mas se não fosse minha família eu gostaria de estar onde meu pai está neste momento (...) Cauã começou a chorar, e com a voz rouca, e lagrimas caindo ele não parou, continuou fortemente, tentando ao menos (...). Quando eu tinha 3 anos ele me pegava no colégio e atrasava, eu ficava muito bravo. Uma vez ele não foi, estava preso em uma reunião, eu fiquei perdido, desesperado, tive um sentimento de vazio, claro que logo o motorista chegou. Hoje sinto a mesma coisa, ele não vem mais, quando o vi na Quinta-feira ele me abraçou forte, dizendo, “Eu te amo meu filho, Amo nossa família”... Desculpem...

Cauã finalizou pois não conseguia terminar. Marcelo era o escalado para encerrar. De terno escuro, olhos avermelhados, sem Cesar as lagrimas devagar percorriam seu rosto, e atrás do púlpito olhando a sua esquerda ao corpo de Thiago;

- Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. Amanhã... Desculpem... Não sei como colocara cabeça no travesseiro, não sei viver sem minha alma gêmea...  Poucos sabem, mas conheci Thiago em uma cama de cirurgia, ao adentrar naquela sala aquele dia, os enfermeiros e médicos, me disseram, o que fazer daqui pra frente será com as mãos de Deus, e sim, ele estava lá conosco como esta aqui agora, depois da operação que percorreu muito bem, encontrei ele em uma madrugada na observação e ficamos ali conversando por horas e horas... Ontem quando cheguei em casa do trabalho, a janela estava aberta, o vento fazia a cortina dançar, ao entrar no quarto e ver ele segurando a foto de nossa família, acomodado aos  travesseiros ele somente me olhou a lagrima desceu em seu rosto, eu me sentei ao seu lado peguei em sua mão, e estava com medo de estar certo, não tive reação, nos últimos suspiros dele e suas palavras foram, “CUIDE DE MINHA FAMÍLIA MEU AMOR”.

4 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia