• Richardson Garcia

Apenas Hoje - Estava de Olho em Nícolas

#Nícolas


Passei o fim de semana com Cauê  e seus pais em uma fazenda em Uberlândia-MG. Foi muito especial conhecer mais deles. Retornamos em uma tarde para o Rio, na casa onde eles  estavam era da família de Gabriel, descemos as coisas e o Luan viria me pegar enquanto isso;

- Venha quero te mostrar meu quarto.

- Vamos lá então.

Subimos a escada quando entrei,  o lugar parecia uma biblioteca com cama,

- Eai?

- Ou, Livros, que demais. Aqui não tem TV?

- Não passo a maior parte do tempo lendo.

- É  demais, escuta Cauê  quero te perguntar algo desde que te conheci, é...

Estava de frente pra ele, e perguntei;

- Lembra algo de nossa mãe?  Alguma lembrança?  Qualquer coisa?

Ele se sentou na cama, e disse;

- Não. E você?

- Também não,  nada por mais que eu esforce, nada.

- Hum.

- Já pensou em investigar como ela era, alguma coisa, registro,  fotos, amigos antigos.

- Não.

- E porque não?

-Nico’ meus pais foram a melhor coisa que aconteceu em minha vida, e agora você,  não quero procurar sombras do passado.

Abaixei a cabeça, pouco sem graça e disse;

- Desculpe, foi somente uma hipótese.

- Consegue imaginar a sorte que tivemos? Fomos adotados por pais que se amam e nos amam, pessoas que possamos nos espelhar, pessoas que merecem apreciação e respeito.

- Nícolas, seu pai lhe espera.

Disse Adrian na porta do quarto, nos interrompendo.


#Luis

- Como está você é o Eduardo?

- Estamos ótimos porque?

- Hiiih’ Agatha nunca diga isso, mesmo aquele bom magia tem defeitos, Ayla acabou com Fabrício, e você está indo pelo mesmo caminho.

- Credo Luis, porque fala assim.

- Esta na cara que tem algo acontecendo.

- Não é que...

- Que?

-Eu tenho vergonha de falar essas coisas.

- “Aham Claudia”, fala logo Agatha, não tem ninguém perto da nossa mesa.

- Eu e Eduardo ainda não transamos.

Engasguei com o sorvete,  fiquei vermelho pensei que morreria com aquilo... ela ficou brava.

- Esta brincando comigo?

- Acha que vou brincar com isso Luis?

- Porque não?

- Não sei, quando estamos quase la, ele se esvai.

- Eduardo não pode ser virgem, não pode ser.

- Ele não é  virgem.

- E como sabe?

- Ouvi uma conversa de Nícolas contando sobre uma garota que eles pegaram  juntos.

- Aí moço,  trás mais sorvete aqui, duplo por favor. Chegou a subir uma labareda.

- Idiota.

- Agatha se eu imaginar aqueles dois ficando com alguém meu cérebro “buga”.

- Aí tenho que ir, ele vai passar aqui daqui a uma hora e nem banho tomei.

- Vai la, eu vou pra casa. Depois quero detalhes em.

- Quer carona?

- Não eu pego um táxi.

Fiquei mais um pouco quando a sorveteria iria fechar eu sai, passei em uma distribuidora e comprei uma “Skol Beats”, fui tomando, a rua estava vazia e próximo ao meu prédio quando virei a esquina  vejo um garoto com uma garrafa sentado e uma garota do cabelo meio verde em pé,  os dois conversavam meio alto pela hora. Ao me aproximar percebo que o cara era magro e tinha o cabelo cumprido, olhos negros, realmente me chamou a atenção,  a garota era bonitinha, ela tinha estilo;

- Mano tem um isqueiro aí?

- Não tenho cara. (...) a resposta veio com uma carinha de pena que ele fez, poxa sabem aquelas pessoas que conseguem tudo só pelo olhar, ele fez um beicinho muito bonito eu automaticamente rebatizado,  acho que veio do instinto(...). Aqui compra lá.  Você vai lá?

Falei entregando o dinheiro para a garota, havia um posto na esquina a uns 50 metros, ela saiu e eu me sentei ao lado dele.

- Valeu mano, o que está tomando?

- Estava tomando cerveja.

- Vira aqui.

Disse ele me entregando a garrafa, eu virei um gole;

- Cara! Engarrafou o capiroto aqui dentro? Puta que pariu.

- Haha’ É vodka. Ei você não é  daqui não é mesmo?

- Não.  É vocês?

- Sim,  moramos perto daqui.

- Sua namorada?

- Não,  amiga, porque ficou afim dela?

Aí se ele soubesse do que eu fiquei afim, rsrsrs.

- Não de boa. Já ficou com ela?

- Não.

- Ah pode falar cara.

- Sim uma vez... (...) ele fez uma pausa tomou um pouco de vodka e disse (...) tá afim de comer ela?

- Oi?

- Sim, nós dois cara.

Nunca fui de ficar sem graça  são raras as vezes, ele disse de um jeito;

- Não sei não.

- De boa, eu pego ela, você pega, a gente se pega.

Ele disse rindo, com a mão na minha perna. Eu já estava dando “virote”, disfarces,  fiquei na minha. Ela voltou eles trocaram umas idéias enquanto a gente fumava um cigarro, e acabamos indo para a casa dele, bem até aí minha adrenalina estava no máximo,  sabe quando você entra no automático,  quando me dei por mim a garota estava descendo minha calça,  da pra imaginar, eu mais mulher  que ela, que estava me chupando já,  me senti uma lésbica,  kkkkkk. Foi quando sinto uma mão no meu rosto virando e ele me beijou, ainda com gosto de vodka, mas tem ideia de um beijo hétero, pronto consegui ficar excitado na hora ali, o jeito que o cara fazia sua mão forçava nossas cabeças,  tomei a liberdade de descer a mão em seu membro,  quando comecei a punhetar  ele, o garoto chegou a dar um suspiro, percebi alguém na seca ali, não acharam que eu iria ficar secando ele, me deitei ficando confortável e comecei a chupar ele, a garota riu ele ficou surpreso  mas não expressou pois o toque da minha boca tirou gemidos dele.

A me gera logo veio com sua boquinha nervosa e me beijou. Tudo bem sem comentários,  e também chutou ele, cara que suruba. Adoro isso,  fiz a linha hétero e empurrei ela de volta para me chupar, olhem meu cassete deve medir uns 18cm por aí,  não é  grande coisa o dele era encurvado e do mesmo tamanho, depois de quase fazer o garoto gozar, ele chegou a tirar da minha boca,  hilária a cena. Posso dizer que sou mais bonito que ele, o cara tem e faz faz a linha hétero  sacam.

A garota veio e deitou se abrindo para eu pegar ela de frango assado, ( era as inimigas tentando pregar uma peça em mim). Não olhei para baixo mas vi algo que animei, o cara estava colocando a camisinha, eu nunca havia feito aquilo, e como já havia ficado com vários caras tentei fazer com ela o que faziam comigo, assim que penetrei  já senti vontade de gozar, ( é quente e bem mais molhadinho, só não é  apertado, mas puta que pariu, não estou falando que gostei, e sim do que ainda estava por vir).

Ele ficou olhando ela gemer e como estava pouco atrás,  eu quase dancei ali, deixei minha bunda empinada, aberta as pernas  marcando, ele veio para eu chupar ele e ela fez algo que se prese;

- Come ele vai Sávio.

Ele se posicionou e começou a me penetraram,  cheguei a beijar ela esse momento, e puta merda o momento  que está sendo  penetrado  da vontade de mandar parar colocar a roupa e ir embora, até pensar nisso tudo tem um homem abraçado e todo dentro de você,  sentindo sua respiração no pescoço,  dizendo que você é  gostoso.

Os movimentos se ajudaram, posso aqui dizer uma das melhores fadas da minha vida, sem exagero, ser fudido e ter uma pessoa lhe chupando tudo bem, agora estar fodendo  também é  bom demais, depois de minutos ele gostou primeiro que eu, depois a garra começou com uns gritos que me assustaram, e mandava eu não para e não parar de jeito nenhum, eu estava até beijando seu pescoço me senti  um.  Hétero aquele momento,  ela gostou e depois eu, posso dizer que foi gostoso,  mais ainda o beijo triplo no banheiro.

#Nicolas


Estava voltando com o meu pai Luan, no caminho para o colégio, eu estava calado;

- Que foi?

- Nada pai, é que a pouco tempo eu não tinha um irmão, e agora que o conheci estou... Acho que realizado.

- Eu e seu pai ficamos felizes por você, por vocês dois.

- Obrigado.

- Pois é, nunca tivemos tantos dias de paz, desde que você atingiu a puberdade. Rsrsrsrsrs’.

- Hahah’ essa piada foi boa.

- Não foi piada não, é serio, depois de Cauê, você está mais calmo.

- Pode até ser. Hoje tem a festa no colégio!

- Estava bom demais pra ser verdade. Ei já se acertou com o Eduardo? Nícolas, por favor, já passou da hora não acha?

- Vou falar com ele pai.

Despedi dele e fui para o quarto, era por volta de umas três e meia da tarde, o quarto estava vazio, eu deixei minhas coisas e fui para a academia, depois de 2 horas de treino, o Fabrício me encontra saindo;

- Eai cara.

- Fala rapaz, quanto tempo.

- Fiquei sabendo do seu irmão, fico feliz que tenham se encontrado.

- Valeu, e ai afim de umas partidas de tênis?

- Cara eu sou muito ruim, mas vamos lá.

Descemos para a quadra e o Luis estava jogando com a Agatha;

- Podemos jogar com vocês?

- Não é justo o Luis joga muito mal, e vocês dois são bons.

- Não estou te entendendo gata, me difamando assim.

- Foi mal Luis, é que você é ruim mesmo.

- Nossa valeu pela sinceridade.

- Haha eu concordo com a Agatha, vamos vai ficar no nível, Fabrício também é maior bola murcha.

Começamos o jogo, e foi engraçado no começo, mas tenso no final, não queríamos perder e eles também não. Por fim acabei perdendo com o Fabrício, e caramba esse esporte sempre nos deixa muito soados, a Agatha estava com uma roupa curta, e o suor pelo seus peitos me deixou sem graça.


#Luis


Quando ganhamos eu não achei que poderia melhorar, quando os meninos tiraram a camisa, me deu palpitação, caramba pra que tanta perfeição?????

Tomamos uma ducha fria ali próximo a piscina e depois para o quarto;

- Eu vi que estava de olho no Nícolas.

- Agatha, viu aquele peitoral, os braços fortes, e o suor passando pela boca dele, gata não resisto.

- Ai, é desleal com o Eduardo eu falar que o Nícolas é um pedaço de mal caminho.

- Não garota, a sua sorte é que ainda tem o Eduardo pra te consolar né, e eu? Tenho o Resus.

- Já namorou Luis?

- Sim, Agatha.

Estava escolhendo a roupa que usaria a noite, enquanto esperávamos Ayla, e ela veio com essas perguntas;

- E porque terminou?

- Olha eu levei tanto chifre que poderia abrir uma fabrica de berrante.

- Haha’ ai desculpe mas você é hilário Luis, ai desculpe. Deve ser barra né gato.

- Não é fácil, mas vamos nos cuidando. E cada dia que se passa apreendendo mais com a vida.

- É não esta afim do Nícolas não né Luis.

- Ai garota já falei que não, olha enfia esse abajur na bunda e vai brincar de vaga lume e me deixa em paz.

Ela saiu rindo, eu tomei um banho arrumei meu cabelo, passei uma “make” pra disfarçar um pouco, e esperei dar a hora para trocar para a festa que já ouvia a musica.

2 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia