• Richardson Garcia

Apenas Hoje - Ele é Meu Filho

#Fabrício


Acompanhei o Nícolas na enfermaria, e Eduardo foi para outra, o diretor já havia feito a carta de expulsão dos dois, só faltava falar com os pais.

Deixei ele e fui no quarto pegar uma camisa que Nícolas havia pedido, e vejo o Thiago e o pai de Eduardo que eles sempre falavam, indo para a direção. Voltei e entreguei a camisa a ele, que com cuidado foi se vestindo;

- Acha que agora consigo sair desse inferno?

- Cara, acho que não, o próprio Thiago está no colégio. O Diretor não vai segurar a pressão de ter alguém como ele aqui.

- Senhor Barreto, por favor me acompanhe! Você também garoto.

Disse o inspetor, nos levou para uma sala que era de espera dos pais que visitavam seus filhos no meios das aulas, assim que entramos os pais de Nícolas estavam sentados, e havia duas cadeiras, um onde Nícolas se sentou, a outra para Eduardo, eu fiquei próximo a Ayla Agatha e Luis, no canto da sala, quando ele se sentou entra o diretor com Thiago, Cauã e Eduardo. Nícolas estava com uma compressa de gelo na altura do olho e Eduardo na boca.

- Vocês infringiram 7 regras em menos de 10 minutos, o regimento me obriga a expulsar vocês imediatamente, mas como as famílias mais importantes e influentes que contribuem com o nome desta instituição vocês serão punidos de acordo com o regime interno, e cumprir horários e notas medias até o fim deste ano. Com licença.


#Thiago


- Vocês já usaram e abusaram do nosso tempo, estava entrando em um avião a uma hora e vim acompanhar o Cauã para evitar a expulsão dos dois, até ai tudo bem, mas a razão ser uma briga, Nicolas? Eduardo? Estou com vergonha pelos pais de vocês, espero que tenham uma boa explicação para tal atitude antiquada e imoral.

Cauã interviu, ele estava sentado do meu lado, olhando fixamente para Eduardo, seus olhos pouco piscavam;

- Está esperando o que pra falar Eduardo?

Ele demorou, respirou olhou para o Nicolas e disse;

- Algumas pessoas não suportam ouvir a verdade.

Luan perguntou a Nicolas com a voz firme;

- Então Nicolas?

- Ah’ Verdade? Eduardo é gay, eu só bate nele por ele partir pra cima de mim, estava traindo Agatha, pegando o Luis pelo colégio.


#Fabricio


Tudo bem eu me assustei e não acreditei, Luis gritou para Eduardo desmentir, só que não foi bem assim;

- Mas que mentira, Eduardo conta pra ele.

- Conseguiu o que queria, acabou com minha.

Ele foi se levantando da cadeira, mas pulou em cima de Nícolas, eles caíram com cadeira e tudo, tivemos que tirar Eduardo da sala, seu pai saiu uma fera, então eu acompanhei Agatha e Ayla, ficou somente Caio, Luan e Nícolas. Eduardo, Thiago e Cauã foram para o quarto, do lado de fora, Agatha repreende Luis;

- Tira a mão de mim, como pode seu falso, nas minhas costas, eu confiei em você!

Luis olhou pra gente, Ayla saiu com Agatha. “Estava tudo de cabeça para baixo”.


#Caio


- Eu tinha medo quando esse dia chegasse, sabe o porque Nícolas? Olha pra mim quando falo com você! Não sei mais o que fazer, a quem recorrer. Você venceu, eu e seu pai estamos sem saída.

As palavras de Luan doeram até em mim, foram muito pesadas;

- Você agrediu o Eduardo porque ele é gay Nícolas?

- Não pai.

- Então porque meu filho?

- Ele me disse que... Não sei amar, sou um mimado e faço tudo para aparecer, por isso minhas atitudes.

Gaguejando, e com dificuldades essas palavras saiam da boca de Nícolas;

- Eduardo realmente te conhece. Ta ai conseguiu quase foi expulso do colégio, agrediu seu melhor amigo e porque? Porque ele falou a verdade na sua cara.

Não vamos te defender dessa vez, se for denunciado por agressão ou seja lá o que Eduardo e Cauã queira fazer, irá se defender com murros e tapas, porque eu e Caio não vamos participar mais do seu teatro, chega Nícolas.

- Luan.

- Caio, por favor. Está sem seu aniversario, mesada, carro, e qualquer coisa que for pedir já sabe a resposta! Vamos Caio!

Fomos esperar o Thiago no estacionamento, Luan estava muito estressado;

- Você foi muito cruel falando aquilo pra ele, Luan o Nícolas tem 17 anos.

- Eu com 17 anos ajudava em casa Caio, ele está acabando com minha vida, se não cortamos agora em pouco tempo Nícolas estará fora de controle. Se é que esse tempo não chegou.

- Não acha que deve pedir.

- Não termine o que vai falar, eu já pedi Caio, abra os olhos, e tente enxergar! Não quero brigar com você sobre esse assunto.


#Eduardo


Entrei no quarto arrumando minhas coisas na mochila, meu pai e avo entraram logo em seguida;

- Está fazendo o que?

- Arrumando minhas coisas, vou embora deste lugar.

- E vai pra onde, você não tem lugar pra ir Eduardo.

- Qualquer lugar pai, é melhor que aqui.

- Largue isso Eduardo.

- Me solta.

Falei enquanto ele segurava meu braço, meu pai me soltou e me deu um tapa no rosto, não pegou direito e nem doeu, mas a atitude fez meu avo pular nele;

- O que deu em você?

- Ele precisa de uma lição!

- E acha que vai resolver estapeando do garoto.

- Sai da frente ele é meu filho, e vai aprender de um jeito ou de outro.

- Sai você desse quarto (...) Ele se levantou e ameaçou vir pro meu lado mas meu avo gritou com ele, Thiago empurrou meu pai que teve que sair do quarto (...) Cauã Alves Monteleoni, saia daqui agora!

Eu estava no chão, e lá eu fiquei, meu avo fechou aporta, virou a chave encostando a cabeça e respirando, ele me olhou e se aproximou sentando e me abraçando. Ao seu toque comecei a chorar;

3 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia