• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - Eduardo e Luis

#Nícolas


Eu fazia a linha extremamente safado com Ayla, por ela ter personalidade forte, isso a deixava afim. Tranquei a porta, ela estava deitada em minha cama, com uma blusinha e um short de pano bem confortável. Deitei no meio de suas pernas já tirando sua blusa e beijando seu pescoço e descendo até sua barriga e subindo, ela segurava em meus cabelos muito forte, passei a mão colocando os dedos por dentro do short, ela estava molhadinha, tirei o short dela;

- Rápido Nícolas.

- Haha’ deixa comigo. Fica de quatro fica.

Acho que ela estava sem sexo por um tempo, comecei a penetrar nela que gemeu um pouco, nossa ter aquela morena de quatro na minha frente me segurei pra não gozar logo de cara, já no movimento de um vai e vem bem rápido, Ayla gemia tentando passar a mão em meu peitoral, segurei suas mãos nas costas, metendo bem fundo, ficamos um tempo assim eu soltei suas mãos peguei seu cabelo e dei a volta na mão, eu sabia que ela gostava quando eu fazia assim, nossa que tesão a cama chegava a sair do lugar, uns tapas de leve em sua bunda, parei um pouco, virei ela ficamos de frango assado, foder beijando na boca se tiver algo mais gostoso por favor me digam, foram poucas estocadas;

- Vou gozar.

- Não para estou quase.

Tive que me concentrar pois ela dava uns gritos muitos  gostosos, e ficava repetindo pra não para, nossa não consegui e gozei primeiro, mas sem parar logo ela tem o orgasmo, me arrepio quando consigo alcançar isso com uma garota, ela sorri e beijei sua boca, pouco sem fôlego.


#Agatha


- O que achou?

- Muito lindo, nossa muito tempo não paro pra olhar as estrelas.

- Venho aqui quando as coisas apertam pra mim.

Estávamos deitados no gramado da quadra de tênis, ele se sentou limpando as folhas e me olhou com aqueles olhos azuis,

- Você é muito linda Agatha, desde o dia que chegou queria te conhecer melhor.

Eduardo se aproximou e me beijou, somente nossas bocas se encontraram, foi um selinho sem língua, mas sabem aquele encontro de bocas que se encaixam, ele se afastou olhando, eu abri os olhos sorrindo e ele voltou a me beijar, desta vez senti sua língua e sua mão em minha cintura, ele meio que deitou sobre mim. Eduardo tinha uma pegada bem romântica, mais doce e delicado, sua boca singela um toque bem aveludado, mas sem perder claro a masculinidade, pois sua mão já descia até minhas pernas.


#Fabrício


- Que aconteceu cara? Fabrício, mano, quem fez isso?

- Foram uns boys, cara, me pegaram, não deu pra ver quem era.

Nícolas me ajudando a sentar em minha cama assim que entrei;

- Como não viu, me diz que foi que eu dou uma lição agora.

- Na real mano, não os vi, sei que foram dois.

Eduardo estava escovando os dentes veio se limpando;

- Foi o Diogo e o tal Fabio, essa foi à gota d’água, vou lá pegar eles.

- Não cara, nem sabe se foram eles, esta de paranoia depois que encrencaram com a gente.

Eduardo impedindo ele de sair;

- Tira essa roupa cara, vou te ajudar a tomar um banho.

- Não precisa Nícolas.

- Anda logo cara.

Eu estava com um lado do rosto na altura dos olhos rosado e as costelas doendo muito, tomei um banho e me deitei, Nicolas na cama dele e Eduardo na dele;

- Então como foi com a Agatha?

- Cara ela é demais.

- Vai investir?

- Não sei, o que acham?

- Passa a vara logo, pra acabar com essa fama que você tem de gay.

Começamos a rir de Nicolas e Eduardo ficou serio;

- Fama de gay? Tirou isso de onde?

- Boa Noite! Vamos dormir.

Ele desligou a luz rindo, ou melhor com gargalhadas.

Manhã seguinte (...) Acordei desligando o ar condicionado, pois o Nícolas tinha umas manias, eles já haviam saído para as aulas, como não havia atividades na parte da manhã, alimentei o Fumaça e sai, e estava mais frio ainda do lado de fora. Depois do café da manhã passando pelo teatro vejo Eduardo entrando no auditório, como eu queria falar com ele o segui, e me surpreendi, ele entrou e subiu no palco, estava somente os auxiliares e o professor, ele colocou um tipo de capa e uma espécie de coroa, e começou uma interpretação, na cadeira onde eu sentei havia um folheto de testes para a turma, eu não entendo muito, mas acho que ele foi bem.

Quando havia terminado e viu que eu estava La, ele conversou com o professor meio que me encarando e veio até mim;

- Olha cara!

- Ei, relaxa Eduardo, fica tranqüilo.

- Guarde segredo mano, por favor!

- De boa, estava querendo falar com você.

Estávamos saindo do teatro;

- Sim, fala.

Ao abrir a porta Nicolas nos encontra;

- Depois te falo.

- E ai caras, o que faziam no auditório?

- Vendo o ensaio das meninas.

- Legal, olha...

Ele estava falando, e Diogo passa no corredor, e faz um sinal com a mão com o punho fechado ele finge um soco no rosto, tipo mostrando pra mim, e saiu rindo, Nicolas me olhou, e tirou a mochila. Diogo a 2 metros já de nos três o Nicolas jogou com muita força a mochila nele, que caiu no chão;

- Opa foi mal, ela escapa as vezes.

Disse ele indo em direção, ao pegar a mochila falou próximo a Diogo;

- Fica esperto, se eu te pegar sozinho, acabo com sua raça.

Ele levantou e saiu;

- Nicolas é sempre assim?

- Acostume-se, ele parece um trator, então o que queria dizer?

Continuamos no corredor então tive coragem de falar;

- Eduardo assim, você é mais de boa cara decidi falar com você primeiro, eu estava pensando em... Investir na Ayla estou perguntando por serem amigos há muito tempo e conhece ela e tals.

- Bem cara.... É...

Ele demorou a responder meio que gaguejou;

- Fabrício, comigo tudo bem, mas Nicolas era que já ficou com ela, e mano depois troca umas idéias com ele.

- Hum valeu, vou dar ideia nele.


#Ayla


Bate no quarto de Luis, pela noite;

- Quem é?

- Sou eu Ayla.

Ele destrancou a porta quando entrei ele estava de toalha, com a barriga perfeitinha braços pouco fortes corpo bem desenhado pelas linhas, pensei “Só pode ser um carma”.

- Agora entendi o porque estava trancado.

- Acabei de sair do banho linda, vou me vestir no banheiro fica ai.

Deitei na cama dele, e Luis voltou já vestido passando uns cremes no rosto;

- Que foi gata, que cara é essa?

- Ai posso confiar em você?

- Está grávida?

- Não, idiota!


#Luis


Eu sabia que era homem, mas quando ela disse fiquei boquiaberto;

- Eu fiquei com o Nícolas!

Cheguei a sentar na cama;

- Não brinca, mas sexo?

Ela olhou com uma carinha;

- E ai como ele é na cama?

- Luis, estou na “bad” aqui e você querendo saber de sexo.

- Ai é que o Nícolas gato daquele jeito.

- Oi?

- O que?

- Você disse que o Nícolas é gato? Não foi você mesmo que não suportava ele Luis?

- Ai confundi com o Eduardo.

Graças a deus fui salvo pelo Eduardo batendo no quarto;

- Entra.

- Oi pessoal, Ayla tudo bem?

- Tudo sim Eduardo, bem meninos eu vou nessa.

- Então o que tem pra hoje?

- “Sonho de Uma Noite de Verão” de “William Shakespeare”.

- Qual seu personagem?

- Vou fazer o Lisandro.

Ele disse deitando na cama, com o script;

- Quer ajuda pro texto?

- Sim, é importante então...


- TA, ta, ta venha me de minha parte.


#Nícolas


Dei umas voltas com o Fumaça, pra sair um pouco e pegar um ar, estava próximo as piscinas e Fabrício me chama ao longe nas escadas;

- Nico’!

Acenei com a mão e ele desceu até onde eu estava;

- Queria falar com você!

- Diz ai cara!

- Escuta, quero investir em Ayla, mas queria saber se não se importa!

- Não me importo, mas cara temos um lance saka.

- Não tranqüilo, mas se rolar tudo bem com você?

- Fica tranqüilo, ei vou comer algo leva o Fumaça pro quarto, e cuidado para ninguém te ver em!

- Valeu.

Ascendi um cigarro e dando umas voltas passo por trás dos dormitórios, a maioria com as luzes apagadas, e quando passei percebi que era o quarto de Luis, o que me surpreendeu foi o que vi.

Ele estava com as duas mãos dadas a Eduardo, um falando vidrado no olho do outro, de repente Eduardo fez um carinho no rosto de Luis, não acreditava no que estava vendo. Então Eduardo aproximou seu rosto ao de Luis para beijá-lo. Senti meu cigarro queimar nos dedos, joguei ele fora quando olho, eles já estavam sentados na cama um do lado do outro. Sabe quando você descobre algo de uma pessoa próxima a você, mas não acredita, pois é, não queria acreditar no que via, voltei atordoado para o quarto, no caminho dei de cara com Agatha;

- Oi Nico, jóia?

- Ótimo princesa.

- Hum, sabe de Eduardo?

- Não o vi agora a noite Agatha ele não esta em nosso quarto?

- Não, vou procurar nas piscinas.

- Boa sorte.

Entrei no meu quarto branco, Fabrício olha;

- Tudo bem cara?

- Sim, vou tomar outro banho.

Ao terminar ouço a porta abrir, e a conversa dos meninos;

- Estava onde Eduardo?

- Com Agatha, porque?

- Não é que ela veio aqui te procurando.

- Ah, beleza.


Confesso que fiquei pouco puto com ele por mentir, mas tudo bem.

2 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia