• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - Colégio Internacional

#Eduardo


Escovando os dentes e vendo as fotos da Ayla no celular, quando ouço a porta abrir e umas conversas, me lavei e desci quando chego na sala;

- Vovô!

- Ah meu garoto! Olha como está lindo, Viu Marcelo, puxou sangue meu.

- kkkk’ Olá Marcelo, como vai?

- Ótimo Eduardo!

- Chegaram agora?

- Sim, o voo atrasou, seu pai onde está?

- Na revista vô.

Ele se sentou e a empregada serviu um suco, Marcelo se afastou atendendo o Kened no celular, e sentei ao lado de Thiago;

- Ei, brinco novo é?

- Sim, estou pensando em furar aqui também.

- Ah, e vai colocar o que? Uma argola?

- Sim, não tão grande!

- kkkkkkk’ você ainda mata seu pai sabia!

- Saudades suas.

- Eu também, bastante querido.

- Amor vou ter que ir, minha mãe esta no Rio, quero vê-la antes de viajar!

Disse Marcelo beijando meu avo e saindo;

- Vai, melhor ela indo do que chegando.

- Thiago!

Disse Marcelo saindo.

- Então, vou na casa do seu primo o Heitor, vamos comigo?

- Ah vô! Ele vai insistir de novo nas fotos!

- E porque você não fez ainda?

- Se eu fazer o book, minha tia me coloca na hora como modelo, sabe que não quero!

- Eduardo você não quer ser ator, modelo é um dos caminhos!

- Vovô.

- Eu seu pai, todos passamos por isso um dia, vamos ao menos me acompanhar!


#Leonardo


Estava eu e Jade trabalhando com a Ayla, filha de Henrique para uma campanha, quando ao longe um helicóptero desce, era o Thiago, Heitor e Eduardo, bem nos assustamos afinal de contas ele estava fora do pais.

- Thiago que honra, quanto tempo!

- Olá Leonardo, Jade. Ayla, bem? Como estão essa?

Cumprimentou a gente e no meio dos maquiadores Ayla, os meninos estavam conversando entre eles mesmo e Thiago olhando as fotos e comentando;

- Caramba, ela tem o talento dos pais, olhem isso. Estão ótimas parabéns.

Continuei as fotos quando Thiago interrompeu novamente.

- Eduardo, vem aqui.

- Sim.

- Tire sua camiseta!

- Oi?

- Tira logo garoto!

Ele pegou um moletom que tem detalhes de couro e colocou no garoto deixando aberto. Eduardo estava de tênis branco e calça rasgada na altura do joelho. Ele é loiro assim com o pai, olhos azuis muito fortes pele branca e 3 tatuagens no peito, muito atraente.

Thiago levou ele até ela e mostrou umas posições que queria, no começo Eduardo ficou com vergonha mas quando se sentiu melhor, foi assustador, como se eles fossem um casal literalmente, as fotos ficaram perfeitas.


#Heitor


Eles ficaram trabalhando voltei para casa, iria postar uns vídeos e editar outros, passei a tarde toda nisto, o Leonardo chegou com  com beijos e amasso, sua boca percorria todo meu pescoço e descia ate meu peitoral e subia até minha orelha me fazendo tremer, seu corpo quente tão quente que já soava, não segurei fomos para o quarto e nossos corpos rolavam um por cima do outro, estava muito gostoso.

Eu estava por cima de Leonardo e entre os beijos ele força minha cabeça para baixo, fui descendo beijando seu peitoral e seu abdômen, tinha um cheiro de homem forte, mas não se compara quando cheguei a seu cassete, gosto muito forte que se foi logo em seguida cheiro de homem não uma mistura de perfume e sim o cheiro dele mesmo, ao toque de minha boca na cabeça de seu cassete sua reação foi de chegar a tremer, ele se apoiou e olhou pra mim com uma cara lerda, seu cabelo estava no olho, e de uma forma diferente percebi aquilo como um tesão a parte, eu descia e subia até onde eu conseguia, Leonardo já gemia alto com isso, cara era um sabor, diferente do que eu acostumara, aquele gosto me deixava com tesão, a forma que ele agia era maravilhosa, em um momento ele me segurou e disse;

- Para se não vou gozar!

Eu somente sorri e fui subindo novamente e do mesmo jeito Leonardo desceu, não sabia que ele iria me chupar, pois é sua boca quente chegou com vontade ao meu cassete que minhas pernas tremeram na hora, caramba assim como ele pedi para que ele parasse antes que eu ficasse louco com aquela boca, aquele boquete já era bem mais gostoso que um sexo com qualquer mulher que já fiquei, o primeiro sentimento era de surpresa, ele parou e subiu me beijando e segurando meu cabelo, me virou, eu mega receoso com tudo, ele deitou por cima de mim me mordendo as costas e roçando seu cassete em minha bunda, cara se eu encostasse no meu cassete gozaria, Leonardo passou cuspi em sua mão e passou em minha entrada e também em seu cassete, colocou na minha entrada e subiu seus braços me abraçando e foi forçando lentamente, para a cabeça de seu cassete entrar foi uma dor descomunal, que me fez por tempos tentar me dispersar, mas quando senti todo seu membro dento de mim foi bem diferente, Léo tirava e colocava, bem devagarzinho para eu ir acostumando, poxa sentir seu corpo no meu, sua boca em minha nuca, e seu pés passando nos meus, eu percebia o tesão de Leonardo, ele assim como eu estava explodindo de tesão, e me fodia com força e desejo era tão forte que eu gemia alto e ele tentava me beijar em meio a estocadas segurava minha bunda para enfiar mais fundo que conseguia e  eu somente gemia, suas bolas batiam nas minhas, e Leonardo rebolava e não suportou por muito tempo logo gozou dentro de mim, sem tirar seu cassete eu rebolava devagar ele gemia e tremia, estava suado, eu encostei em meu cassete e havia gozado também, me virei e ficamos os dois ofegantes olhando para o teto, sem nenhuma palavra, tomamos um banho aos beijos, e eu me vesti e deitei do seu lado.


#Nícolas


- Ah caralho, isso não pode ser verdade!

- Nico’ já chega!

Caio disse no banco do carona, estávamos chegando ao colégio novo, eu ainda não acreditava que aquilo estava acontecendo. Sentado quase deitado no banco de trás enquanto Luan estacionava próxima a entrada do colégio. Havia alguns pais deixando os filhos, outros com malas, uns chorando, aquela maior baboseira.

Luan desligou o carro respirou fundo e olhou para trás onde eu estava,

- Vão querer fazer isso mesmo?

- Nícolas já conversamos sobre, e esc...

- Não conversamos vocês escolheram não me deram chance alguma

Caio desceu abriu a porta, Luan foi para trás pegar minha mochila;

- Vem! vamos te acompanhar.

- Já não basta me deixar aqui, quer me passar vergonha, valeu!

Peguei minha mala da mão de Luan virei às costas fazendo sinal de “paz” com os dedos pra eles, e entrei “puta que pariu” que arrependimento,

- Olá, Seja bem vindo, seu nome?

- E ai! Nícolas.

- Nícolas de que?

- Nícolas Borges Barreto!

- Ou sim, por favor, me acompanhe.

Fui seguindo uma senhora com uma prancheta, como se fosse guia do lugar, ela me mostrou os corredores as salas de aulas, até chegar ao dormitório;

- É este aqui, pode escolher a cama Nícolas, seu companheiro de quarto ainda não chegou.

- Eduardo, não e mesmo?

- Isto, Eduardo Monteleoni!

Fechei a porta olhei ao meu redor, literalmente me senti em uma prisão, deitei na cama com uma puta vontade de chorar.


#Ayla


- Não acredito que o Henrique não pode vir.

- Ele já se despediu minha filha, sabe que esta trabalhando.

- É tanto faz. Quando Agatha chega mesmo?

- Em dois dias.

Estávamos entrando fomos acompanhados até o quarto, confirmei se Agatha seria minha parceira, e depois conferi onde os meninos ficaram, andei com meu pai o Beto pelo colégio, fomos nas piscinas, ao longe ao lado de um heliporto uma quadra de tênis e futebol, bem mais afastado um jardim como uma pista de golfe, o local era como um hotel fazenda de luxo;

- Tenho que ir minha filha.

- Ai, mas já.

- Na sexta-feira venho te  pegar.

Abracei bem forte Beto e acabei chorando e tirando lagrimas dele também.


#Eduardo


Meu pai não pode me levar e minha mãe estava fora, arrumei minhas coisas e o motorista colocou no carro, em pouco tempo estávamos no colégio, desci minhas coisas e fui para meu quarto, no caminho, me esbarrei em Diogo, minha mochila caiu no chão, me abaixei pra pegar e ele ficou tirando uma com minha cara;

- Olha quem esta de volta Fabio.

- A florzinha do colégio!

Só olhei e me virei indo para o quarto, mais distante sinto uma bola de papel jogada por eles que saíram rindo;

- Babacas.

Disse em voz baixa, entrei no quarto e me deparo com o Nícolas trocando a camisa, ele estava de calça jeans tênis branco, e aparentemente meio bravo;

- E ai cara!

- Até que enfim, alguém que eu conheço. Mano não sei se vou suportar isso aqui.

- Relaxa as aulas nem começaram.

- Viu Ayla?

- Não, acabei de chegar. Ei vou ficar com essa cama e esses armários, você se vira com esse lado ai.

Falei abrindo minha mala, ele ascendeu um cigarro e sentou na janela fumando para a fumaça sair. Ouvi alguém bater na porta, como eu estava próximo logo abri;

- Oi!

- Ai que bom ver vocês!

Ayla disse entrando e me abraçando, fechei rapidamente a porta, e ela foi em direção ao Nícolas que rindo falou;

- Porque a felicidade?

- Ai, são os mais gatos que vi até agora, que isso Eduardo, só tem dragões neste colégio, nem São Jorge conseguiria contra todos.

- Sacanagem Ayla você com essa blusinha e esse shortinho, se não fosse minha ex te pegaria, de novo.

- Cala a boca Nícolas.

Disse Nícolas olhando para Ayla que estava muito gostosa, cabelo solto, ela morena bronzeada, a blusa deixando aparecer a barriga e um short jeans curto e desfiado nas postas;

- Ele tem razão, está linda.

- Ai, estou falando, vocês são uns fofos. Agora vamos, quero conhecer esse lugar. Vamos Nícolas pegar um ar puro, larga esse cigarro.

Ayla pegou na mão dele e saímos mostrei a sala pra eles, fomos até as piscinas e passando pelo centro de convenções onde o diretor estava reunindo os alunos;

- Não vamos assistir?

- Claro que não, vamos antes que nos vejam.

Disse Nícolas, passando pelas quadras iríamos descer até a pista de golfe, para darmos uma volta nos carrinhos quando um helicóptero vem pairando e pousa, como estávamos passando por perto, desceu uma garota, não desculpem um “garoto"! Ele estava de calça preta justa, camisa preta, botas cano curto e um sobretudo, com uma bolsa de mulher no braço, a bolsa era muito grande mesmo, acho que uma “Louis Vuitton” e um cigarro preso na orelha;

- Luis?

Disse Ayla se aproximando e cumprimentando ele, nos chegamos mais perto, um rapaz do colégio pegou suas malas,

- Ai Gata, gente como você está fazendo a linha blogueira hoje. Está um bafo.

Deram dois beijinhos, ele deu uma olhada para a gente, tipo de desdenho e entrou no carro, Ayla entrou dizendo;

- Vejo vocês depois.

Olhei para o Nícolas ele riu e voltamos, o tal anuncio com o diretor havia acabado, encontramos Ayla próximo ao quarto dela estava na porta do quarto do tal garoto.


#Nícolas


- Quem é ele? Ou ela?

Falei rindo mais o Eduardo.

- Filho da Heloísa, meu primo.

- Heloísa?

Perguntei sem me lembrar.

- Do tio Gustavo irmão do meu pai!

- Ah sim.

Respondemos juntos ao ouvir palmas atrás de mim, quando me virei dois caras de minha altura rindo;

- Então é verdade Fabio.

- O que Diogo?

- A alta socialite do Rio de Janeiro vai estudar aqui.

- A alta socialite ou a mais colorida?

Um falou rindo para o outro, mordi o lábios e olhei para Ayla me segurando já;

- Não vai apresentar suas amiguinhas Duda’?

Falou tirando uma mecha do cabelo do Eduardo do olho, ele somente abaixou a cabeça, não sei como me segurei tanto;

- Pelo menos você se salva em gata! Quarto 202 quando estiver afim.

O mais atrevido acho que Diogo, passou a mão no rosto de Ayla, Ah deu pra adivinhar que não aguentei, dei um empurrão no peito do cara com as duas mãos, o fazendo cair longe no chão, o outro veio para me dar um murro bem sem jeito mesmo, eu peguei seu braço e virei prendendo ele de cara para a parede segurei firme o outro se levantou e ameaçou vir pra cima, eu apertei o braço do tal Fabio que deu um grito alto, o Diogo ficou quieto;

- Já chega, mas o que é isso. Senhor Barreto solte o senhor Fabio agora.

11 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia