• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - Capítulo 5

#Leonardo

“- Sim, pode deixar, dou um jeito nisto. Até, tchau.”

No telefone era o Cauã, somente deu algumas ordens e sugestões. Pois é a revista foi vendida mais ainda fico rendido a essa família, para que?

Eduardo estava acabando com o nome da família, e quando se pensa que não poderia fazer mais, ele dá dois passos para trás. Essa nova de agredir a namorada, afasta ele dos filhos, da família, e de certa forma de amigos.

- Anh Fabrício?

- Sim.

- Seu voo chega quando?

- Em 23 horas Leo.

- Porra está mesmo dando a volta ao mundo em.

- Isso pode haver atraso.

- Tudo bem então.

Deleguei o telefone, peguei as chaves do carro e um book que Eduardo havia me solicitado, e fui para casa dele, ao chegar passando pelo jardim, vejo ele jogando golfe, parei o carro e desci fui andando mesmo;

- Muito bem, senhor, ótima jogada.

- Anh Ravier os deixe a sós por favor.

- Como queira senhor Leonardo.

Ele saiu, Eduardo havia acabado de dar uma tacada, ainda com o taco no alto, segurou ele atrás da cabeça dizendo;

- Eai Leo, conseguiu?

- Consegui.

Ele estendeu a mão para pegar o book, mas eu não o soltei;

- Você bateu na Danielle mesmo?

- Sim, ela me avançou varias vezes, e em uma dessas eu dei um tapa em seu rosto.

- Espero que saiba o que fez Eduardo.

- Ela me atacou primeiro Leonardo, ela quase mata a nos dois naquele banheiro.

- Sabe que anda justifica você bater em uma mulher certo. E sua autorresponsabilidade fica onde?

- Vai ficar me dando lição de moral como meu pai? Deixe me ver.

Ele pegou o book, eu peguei uma taça de champanhe no carrinho enquanto ele folheava, pois é o cara estava tomando champanhe as 14:00 hrs da tarde.

- Onde conseguiu Isso .

- Arthur da baldin, vários estilistas mandavam desenhos para a gente.

- Quem é esse Casey Jackson?

- Anh deixe me ver. A esqueci de tirar, ele agora trabalha para a Aeropostale.

- Eu quero ele.

- Eduardo não me ouviu?

- Você não entende Leo, olha os traços, como são os loques que são desenhados por ele.

- Como você pode entender de moda?

- Não entendo, estou seguindo meu extinto.

- Seu extinto então vai te levar para o desfile na cidade que esta acontecendo agora.

- Qual a possibilidade de eu aparecer por La?

- Nenhuma, então escolha outro.

Pessoal Eduardo foi para dentro, de calça jeans e sapato, para piorar colocou um sobretudo, sem camisa, tem ideia disso, os motoristas nos levaram, e já dá pra imaginar a chegada dele em um evento como este.

Fomos aparados até o tapete onde estavam os jornalistas, depois de fazerem milhões de perguntas se nos estávamos como um casal, ouvi uma repórter dizer que Eduardo estava lançando moda, rindo pensei se ela entenderia algo.

Entramos no evento sem convite sem nada, no literal com a cara e coragem, era um evento beneficente, e a presença dele era inusitada, claro que Eduardo seria bem recebido, logo que pegamos uma bebida estávamos um de frente para o outro, ele me pergunta;

- Está vendo ele?

- Não, meu deus isso parece um desfile de circo, e você fazendo parte disso.

- Cala a boca Leonardo, e fica de olho ele pode estar em qualquer lugar.

- Um membro da família Monteleoni, é quase como ter uma realeza entre nos está tarde, prazer sou...

- Casey Jackson.

- Hum vejo que andou se informando de mim.

- Claro, uma pessoas com seus talentos, é de obrigação minha conhecê-lo. Anh este é Leonardo...

Por eu estar acompanhando Eduardo, ele não me cumprimentou, havia um assistente com Casey que Eduardo fez o mesmo, fingiu que não existia, mas o troco viria em seguida;

- Diga Eduardo, somente depois de anos após mandar meus desenhos para a Baldin você vem atrás de mim, agora que foram vendidos por milhões.

- Por quanto foram vendidos?

- 5 milhões de reais.

Assim que Casey falou, Eduardo babou na taça;

“- Hoje temos um Benfeitor entre nos meus caros amigos (...) Dizia o locutor do evento, as grandes doações ele anunciava no microfone (...) Temos aqui a quantia de dez milhões de dólares doados pelo neto de um dos pais da moda nesse pais, Eduardo Monteleoni, palmas por favor.”

Sim a doação que fizemos era o dobro do que Casey se vendeu, ele só virou as costas e saiu, não quis mais falar com Eduardo.

Bem estávamos no bar, bebendo e olhando de longe ele;

- Vai falar com ele.

- Porque eu vá você.

- É que vocês se entendem os dois são.

- Gays? Acha que por sermos gays ele vai aceitar falar comigo.

- Sim, se La fala da Lady Gaga, vocês gostam, e tem.

- Eduardo, nem todos os gays gostam da Lady Gaga.

- Ah gostam de quem mais?

- Anh sei lá, Beyoncé, Britney.

- Lady Gaga. Beyoncé. Britney. Lady Gaga. Beyoncé...

Ele saiu repetindo isso pra não esquecer, e foi enfrentar a fera. Do meu lado o garoto que estava com Casey diz;

- Não é Casey quem faz os desenhos, sou eu.

Depois do susto, olhei pro garoto, e repreendendo disse;

- Ah Serio? Prazer sou o Thiago Alves Monteleoni, reencarnação.

Falei tirando sarro da cara dele. O garoto puxou um guardanapo e fez um desenho, tudo bem eu havia bebido e mas o desenho estava perfeito, muito parecido com o que havia no book;

- Ah me desculpe, não quis ofender.

- Tranquilo, vocês são todos farinha do mesmo saco.

- Não saia daqui, tenho alguém pra te apresentar.

Sai como um louco atrás de Eduardo, mas não encontrei, quando entrei no banheiro ele estava beijando o Casey, sentados juntos naqueles sofás;

- Eduardo?

- O que?

- E o lance das cantoras?

- Não deu certo, ai pensei.

- Que nojo cara. Venha.

Puxei seu braço quase arrancando do corpo, ao chegarmos próximo ao bar, o garoto havia sumido;

- Que foi?

- Casey não faz desenhos, ele tem um ghost por trás.

- Sério?

- Pois é, beijou ele sem razão.

- Esqueceu isso, fiz pois não tinha outra saída.

- E aí, o que faremos?

- Primeiro! Descobrir quem é aquele cara, depois decido, agora vamos, antes que ele saia atrás de mim.

3 visualizações0 comentário
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia