• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - Capítulo 36

- Rsrsrs’ ei vocês dois, estão com muita intimidade.

Disse Cauã rindo;

- Eduardo temos que pedir Miguel e Luís em casamento.

Eduardo estava bebendo café, e quase derramou no terno;

- Que? Namoro com Miguel tem pouco tempo.

- Graças ao casal perfeição aqui, afinal foi top o que fez Heitor, Leonardo não te merece, rsrsrssrs. Como estava dizendo, Luís quer porque quer casar, consegui acalmar a fera, mas tenho que casar cara.

- E o que eu e Miguel temos a ver com isso?

- Não vou fazer isso sozinho.

- Nicolas, casa com a gente.

- Não, vocês, não iriam me aguentar na cama. Então Eduardo?

- Não Nicolas.

Respondeu ele empurrando a xicara de café para frente, eu sentei na cadeira do Cauã que estava de pé e disse;

- E você Cauã?

- Já estou bem casado, obrigado.

- Rsrsrs’ Não. Não acha que já está na hora de seu filho sossegar? Com alguém que ele ama?

- Ah isso sim.

- Viu Eduardo.

- Pai ignora ele, é doido. Vamos ao que interessa?

Todos concordaram, um advogado da empresa do meu pai veio para ouvir o que tinham para falar. Heitor se despediu e saiu, Cauã pegou uma pauta e começou;

- Nicolas conversei com Eduardo e Leonardo, e como você foi matéria em algumas revistas, até recebeu propostas de outras grifes, queremos você conosco?

- Conosco?

- Sim, queremos que seja o garoto propaganda, você irá representar a Monteleoni.

- Ah, tipo o palhaço do MC Donald?

- Isto.

- Eu não sei Cauã, Eduardo eu gostaria muito, mas não levo jeito para isso.

- Faz o seguinte, fique um tempo, para ver se acostume, aqui, este é o contrato, analise se está de acordoo com tudo, isso será bom para você, e cara vamos trabalhar juntos, como sempre brincávamos quando criança.

Eduardo me empurrou uns papeis, eu folhei e folhei;

- Não sei mano, vou pens... esse aqui é o salário?

- Sim, pois irá representar, a revista e a grife.

- Alguém me empresta uma caneta?

Assinei, contrato de um ano com Eduardo, e Leonardo, o Cauã participou por causa da influência que ele tem sobre mim.

Almocei com Eduardo naquele dia, Miguel estava fora da cidade.

- Não dá para fazer juntos.

- Hum, então vamos um ajudar o outro?

- Pode ser, mas Miguel chega no fim do mês.

- De boa completo oito anos de namoro com Luís em dois meses.

- Hum, por mim, beleza.

Como eu gostaria de pular está parte, pois então vamos lá, afinal tenho que ser forte e vocês também, para as mudanças desse mundo.

Foram meses depois do evento em Paris, meses de alegria, ele estava mais próximo de todos, Cauã voltou para o Brasil para ficar mais próximo, e Eduardo o visitava toda semana, no domingo ao certo, pois sempre levava seus filhos para ver o Marcelo, bem é o que estão imaginando, Marcelo foi deixar o céu com um brilho a mais, sim, aquele anjo foi reencontrar sua alma gêmea, que o aguardava. Ele veio a falecer no mesmo apartamento, na mesma cama que Thiago, se estão tristes não fiquem, acho que nunca vi uma pessoa tão feliz e proativa quanto ele...

Gostaria muito de colocar um ponto final aqui mesmo, para isto, passei por muitas coisas, muito ruins, e muito boas, mas a melhor delas confesso que foram as discussões com Luan, as brigas, e gritos dele, os abraços, cara como ele era um murro, uma muralha, não, um forte que não se abalava por nada, a pessoa mais competente que conheci, o mais lindo em quem puxei, e o melhor pai do mundo.

Me ensinou milhares de coisas, com as que eu apreendi e vocês também, não se lembram, “Sempre o Melhor Amigo”, Luan foi o primeiro a adentrar este mundo, mundo esse que você conhece como “Sua Imaginação”. Eu sei muito bem como foi a passagem dele por ai viu! Cada risada e cada discórdia, como gostava de uma briga, e quando se pensou Ufa, acabou por aqui, veio Thiago.

Esses dois juntos era uma bomba atômica, não poderiam estar ou ficar no mesmo local.

Eu não tinha seu sangue. Eu não sou seu filho biológico, mas foi eu quem ele e Caio escolheram para cuidar, para educar e amar, e como amaram, como cuidaram.

Deus me fez despedir dele da forma mais severa, nos meus braços, no local onde cresci, ao lado do meu Pai Caio. Ele se foi. Seus olhos se fecharam, mas o sorriso ficou como sempre, como essa dor é incessante, no abraço de Luís eu não me encontro mais.

#Luís

De uma forma instantânea, a morte de Luan e Marcelo em um curto fração do tempo tirou o chão de todos nós, Nicolas estava se recompondo aos poucos, assim com o Eduardo e Cauã, desculpe. Assim como todos nós, são perdas que não conseguimos evitar, da mesma forma que são perdas que entendemos, Deus quis assim, levar estes anjos para perto dele.

Sei que está difícil para todos, então vamos a diante. Dois meses, estávamos bem digamos assim.

Nicolas vindo de um evento que houve com Miguel e Leonardo em Curitiba, eu trabalhando muito no tribunal, mas estava sozinho em casa, Cauê estava concorrendo a tal melhor gol do ano, aí já sabem né, ele mal para em casa.

O garoto tem 20 anos tem que curtir, e estava, ele não tem vícios, opa desculpa, ele é mulherengo, tipo muito, vocês sabem, e com sua cara estampada na mídia o dia todo ele nem fica em casa mais. É gravando entrevistas aqui, saindo com fulana e ciclana.

Eu estava indo visitar Agatha que havia ganhado o filho a pouco tempo, seus pais estavam no Rio, e precisam ver Fabricio, é um pai e tanto. Ayla estava ajudando também, vocês sabem Agatha é muito “fresca”.

E por falar em filho, eu e Nicolas antes mesmo de Luan ir, decidimos adotar um, mas agora ele quer inseminação artificial, já estamos em uma época bem avançada e concordei com isso. Hora de parar com resumos? Vamos lá.

Nicolas chegaria essa tarde eu preparei o jantar que ele gostava, seria uma noite especial pois no dia seguinte completaríamos aniversario de namoro.

Eu terminei o jantar, e fui na adega pegar um vinho, a porta se abriu e eu subi como um louco;

- Oi amor.

- Eita saudade.

Disse ele me abraçando bem apertado;

- Como está amor?

- Com pressa, tenho que estar em um evento em dez minutos.

- Nicolas, eu preparei o jantar para você, ficou oito dias fora e quando chega vai trabalhar?

- Luís, olha sei que está bravo, mas preciso ir não posso perder essa chance.

- E eu? Nós?

- Você vai entender amor, pode guardar essas malas por favor.

Ele saiu do apartamento. Sim, ele saiu me deixando com jantar pronto vinho em uma mão e a “vela” na outra.

Eu não briguei pois fazia pouco tempo que ele estava se recuperando do pai, mas dessa ele não me escapa.

Jantei sozinho, naquela enorme copa, o mais estranho era que nem no whatsapp ele falava, ninguém falava, eu já estava ficando preocupado.

Odeio estar com ciúmes, procurei na agenda e não havia nada dizendo sobre festa, ele nem tinha eventos, gente se Nicolas estiver me traindo eu mato ele.

Três da madrugada, três da madrugada foi a hora que ele chegou, no dia seguinte eu estava de folga, pois estávamos completando oito, OITO anos de namoro quando acordei encontrei um bilhete do meu lado.

“ Vou passar a manhã em uma secção de fotos. Onze horas no quiosque sete da praia do Leblon vamos almoçar com Eduardo e Miguel. Prometo que te recompenso pelo nosso dia.

Ps. Te amo. Nico”.

Viado, safado. RAIVA.

Nossos oito anos era dez de Eduardo e Miguel, como eu queria dar o bolo nele assim com ele me deu o bolo, mas tinha pessoas envolvida.

Nicolas chamou eu pois assim me obrigava a comparecer. Adivinhem café da manhã sozinho, assisti um filme e relutei em comparecer nesse almoço, me arrumei, infelizmente não poderia recusar, antes de sair pela minha surpresa Cauê aparece;

- Está pronto?

- Ah sim, como sabe que vou sair?

- Nicolas pediu para te pegar, vamos?

- Sim, escuta seus pés estão sujos de areia Cauê, estava na praia?

- Sim, é.… que... na secção de fotos está sendo lá.

- Não acredito que Nicolas vai ficar trabalhando?

- Provavelmente.

Fui calado no carro com Cauê, para ele saber que eu estava bravo;

- Porque não para na orla.

- Aqui é menos perigoso, e olha a vaga embaixo da sombra.

- Cauê está chuviscando.

- Desce logo.

Estava alguns pingos solitários no céu, acho que nem molhar direito eles conseguiam. Ao me aproximar, vejo um estande montado da Monteleoni, e mais algumas coisas mais a frente, mas não prestei muita atenção pois Miguel estava sentado, me aproximei e olhei para trás e Cauê sumiu;

- Viu Cauê atrás de mim?

- Acho que voltou para o carro. Sente-se.

- Escuta, onde está Nicolas e Eduardo?

- Lá em baixo já estão a caminho.

Miguel estava nervoso, já fiquei preocupado, nossa que raiva;

- Está me escondendo alguma coisa?

Ele sorriu, para mim pareceu cinicamente, do nosso lado havia um tipo de lençol branco escondendo a praia, algo muito estranho, pois só dava para ver o quiosque e o calçadão, um garçom se aproximou;

- Boa tarde senhores, é Luís Tavares?

- Sim, porque?

- Tenho um Recado para você.

O cara me entregou um Ipad, coloquei os fones de ouvidos e o que eu ouvi foi o seguinte.

Nicolas estava sentado de terno sem gravata, suas mãos tremendas e...

2 visualizações0 comentário
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia