• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - Capítulo 22

#Eduardo

- Pai vamos também?

- Não meu filho, mas prometo levar vocês no natal, ou ano novo, vou para trabalhar, não vou ter tempo pra passear entende.

- Ta né. Olha o Tio Nico.

Buzinei e ele se aproximou do carro abrindo a porta do carro, soltou o cinto da Liza, e eu de Thiago;

- E ai Eduardo, tranquilo?

- Ótimo mano, e você!

- Nossa, rsrsrs’ Que isso em, a noite foi boa ontem em.

- Não vou te responder na frente dos garotos.

- Vamos pequenos, tio Nico também está atrasado.

Ao colocar Thiago no chão, fui pegar a mochila dele dentro do carro e alguém bateu no meu carro, o que me fez cair no chão, Porra me levantei imediatamente olhando pra ver os meninos, Thiago só estava assustado, Nicolas abraçando e protegendo Liza.

- Pra calçada meu filho.

O carro da frente encostou no meu carro, o que quebrou uma lanterna;

- Nicolas leva os meninos.

Um cara enorme tipo, gordo desceu do carro, ele não estava com a cara muito boa, muito menos eu. Desceu um garotinho do carro e ele mandou entrar;

- Desculpa ai irmão, foi sem querer. Não te vi ai.

- Não relaxa um carro de uma tonelada nem apareceu no seu retrovisor, esteva com crianças no carro, a próxima vez presta atenção, o espelho não serve pra se pentear.

- Ta me tirando mano.

- É to te tirando sim, espero que ficou na cara.

- Entra no seu carro florzinha é melhor pra você.

O cara me ameaçou levantando a camisa e mostrando uma pistola, eu não iria arriscar, por estar cheio de crianças por todo lado, e pessoas inocente, assim que ele levantou a camisa, levantei os braços dando passos para trás. Nicolas viu a cena, e se aproximou rapidamente, me assustei porque ele é meio doido né.

Nicolas tirou a jaqueta, deixando a mostra o distintivo, sua pistola eu não vi de onde ele havia tirado, Ele veio pela frente do meu carro, com a pistola apontada para o chão, disfarçando;

- Acho melhor você ir embora.

Disse ele tocando no distintivo, o cara deu uns passos para trás e entrou no carro, Ao virar a esquina Nicolas coloca a arma na calça por trás;

- Ta maluco? Está armado dentro de um colégio?

Falei empurrando ele.

- Por isso que mandei tirarem os meninos daqui, estão avisados.

Ele falou puto;

- As pessoas estão olhando, entre.

Fui embora com a cabeça quente pra reunião, graças a Deus Sergio cancelou e remarcou ela, fui para o escritório. Assim que cheguei, Leonardo veio com um monte de papeis;

- Eduardo, preciso que assine e analise todas esta....

- Leonardo, me traga um chá, e calmante por favor.

- Tudo bem, Eduardo está pálido.

- Por favor.

Ele abriu a janela para ventilar e saiu da sala, em seguida me entra Fabricio e Miguel;

- E ai Eduardo, olha isso que...

- Por favor agora não, saiam.

Acho que pela minha cara eles entenderam, sem questionar eles saíram, Leonardo ainda demorou alguns minutos;

- Aqui, beba isso, vai te acalmar.

- Valeu.

Fiquei alguns minutos olhando a paisagem, e ele na sala sentado;

- Que foi, quer falar sobre?

- Está acontecendo alguma coisa no colégio dos meninos, Thiago disse que Nicolas está dando aula na sala dele, hoje passamos por uma cena estranha na porta do colégio, receio pelos meninos.

- Se me permite Eduardo, Me preocuparia se Nicolas estivesse longe.

- É você está certo.

- Olha quem chegou.

Disse Agatha entrando na sala, me levantei cumprimentando ela;

- É vocês dois gostam mesmo de umas fotos em, Vi as fotos do aeroporto no EGO.

- Mas já.

- Fotos?

Perguntei;

- Havia uns paparazzi no aeroporto e Cauê fez uma brincadeirinha.

Eles me mostraram as fotos e ficaram muito engraçadas, e me deu uma ideia;

- Ah por favor me deixem falar com Agatha.

Eles saíram e ela deu uma volta na sala dizendo;

- Eduardo, fiquei sabendo da revista, mas deixar aquele prédio por um andar, está querendo mesmo fazer o que me disse?

- Com sua ajuda sim.

- Vou te ajudar, mas vou precisar de no mínimo um andar desses, não tem espaço aqui.

- Leonardo vai providenciar.

#Miguel

Estava na sala sentado para desenhar e Cauê entra;

- Miguel, essas peças são as de Setembro?

- Sim, sim.

- Ah está desenhando, cara, é... Uai tudo bem?

- Sim, só estou com a cabeça cheia.

- Quer conversar?

- Não, mas valeu.

- Qualquer coisa ok.

Ele se virou pegou a caixa e iria saindo;

- Cauê. Fecha a porta.

- Sim.

Ele colocou a caixa na mesa e se sentou do meu lado;

- Se nós transássemos, como você se comportaria depois? Digo sua reputação e vida sabe.

- Sim, Que pergunta em. Bem Miguel como eu vivo neste universo ficaria com você se sentisse algo mais forte, agora se for sexo, ou paixão passageira, algo normal, não iria fazer esforços. Está querendo saber se a pessoa.

- Se tenho chances.

- Ai depende muito cara, um hétero ainda, não sei. Não preocupamos com esses sentimentos sabe, quando gostamos realmente corremos atrás, mas mostrar sabe, não somos assim, como mulheres, que demostram a todo momento.

- Entendi.

- Uma dica, não se apegue, ou vai acabar sofrendo.

- Valeu.

- Respondido?

- Sim, Obrigado, você é demais.

Ele se levantou foram dois passos e disse;

- Não está se referindo a mim né Miguel?

- Não Cauê, você não faz meu tipo.

- Rsrsrs’ Como não, sou o tipo de qualquer um.

- Figurinha repetida não completa álbum.

Ele sorriu e disse saindo;

- Não sou Nicolas.


3 visualizações0 comentário
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia