• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - Capítulo 20

#Eduardo

- Estavam na casa do Nícolas essa tarde Cauê, passe os tamanhos para Leonardo. Olá Leonardo, bom te ver.

Ele cumprimentou Leonardo, e se aproximou de Miguel;

- Você eu não conheço, sou Cauã.

- Miguel, é um prazer finalmente conhecer o senhor.

- Ele quem desenhou todos os looks pai.

- Você tem muito talento meu rapaz, parabéns. Ah não queria atrapalhar, mas posso falar com Eduardo a sós?

Os meninos saíram e fecharam a porta, ele me abraçou forte;

- Estava com saudades do senhor.

- Eu também meu filho, muito.

- Onde está a mamãe?

- Deve chegar a noite, ela perdeu o voo.

Sentamos no sofá ao canto, juntos;

- Sei porque o senhor está aqui.

- Acho que não.

- Eu tinha que tentar pai, sei que estou errado agora, mas precisava...

- Esqueça isso meu filho. Se você apreendeu ótimo. Agora não desperdice a maior força que você tem. Eduardo na sua época eu não tive esses amigos, era sozinho, cresci dentro da revista, não tive tempo de amigos. Agora vamos e me mostra o que tem.

Vou avançar um pouco aqui, pois foram uma onda de acontecimentos. Participei do programa do Heitor, e foi excelente, junto com Leonardo, acabamos e atacados direta e indiretamente todos os presentes no desfile, isso virou a imprensa novamente pra mim, porem Cauê usou sua influencia com o futebol, e a influencia que o Futebol tinha no pais.

Jogadores comemoravam gols fazendo a nossa marca com as mãos, usando nossas roupas por baixo dos uniformes dos times. Isso foi um avanço, porque tive que abrir uma fabrica para produção das peças para venda, as pessoas queriam comprar. Não era minha intenção ser dessa forma, mas estava dando certo.

#Miguel

Graças a Deus estavam tudo começando a se encaminhar, com a ajuda dos amigos e familiares de Eduardo, estávamos conseguindo mudar tudo.

Antes de perguntarem, eu estava meio que sofrendo, porra, Eduardo me deixou mais abalado que qualquer um, porem estava naquela de "Esquecer".

Em uma pequena reunião que ele fez na casa dele, só estava eu, ele, os filhos, Nícolas, Luis e Cauê.

Depois do jantar eu e Luis lavamos a louça e acabamos jogando truco, eu nem acreditava que pessoas como eles sabiam jogar isso. Tomando um vinho e meu parceiro era o Eduardo, Nícolas e Luis.

Para quem conhece o jogo exites alguns truques, de piscadas de olho, jeitos com a mão, é uma forma de falar para seu parceiro as cartas que você tem, ele piscava, as vezes passava a linguá nos lábios, Nícolas rachava de rir, porque o Luis não conhecia os truques;

- Como não?

- Não sei amor.

- No quarto vocês faz isso direto.

- Cala a boca Nícolas.

- Olha o Eduardo, parece até estar afim do Miguel.

Eduardo sorriu e Cauê quase se afogou com o vinho que estava tomando, todos olharam para ele, até eu, só o que faltava ele perceber que eu tinha beijado o Eduardo sambem.

- SEIS MII LADRÃO.

Gritou Eduardo, é ganhamos deles, foi demais. Bem eles se despediram, dos meninos que estavam dormindo no quarto;

- Miguel, quer vir conosco, deixamos você em casa?

- Não Nícolas, obrigado, não é o caminho de vocês, vou pegar um táxi.

Bem eles sairão, peguei minha jaqueta;

- Eduardo onde colocou meu celular para carregar?

- Ao lado da minha cama.

Fui até o quarto dele, caramba que tamanho de cama, era tão aconchegante que era convidativa, a cortina branca como neve, tomando toda uma parede, muito lindo mesmo o quarto, cheio de detalhes pretos, curti. Peguei o celular e acabei derrubando ele, caiu saiu até a bateria, tive que abaixar para pegar debaixo da cama. Ao olhar vezo os pés dele dentro do quarto;

- Desculpe, é que deixei ele cair e saiu a...

Eduardo estava me olhando, ele passou a mão fechando a porta, e a trancou, estava de Camisa preta bem apertada a puxou e tirou, sem tocar no cabelo arrumado é claro, abaixou o short, e passou a mão retirando a cueca. Nada comparado a cara que ele fazia a cada peça de roupa, eu já estava molhado já. Eduardo deu a volta na cama, tirou minha camisa e soltou o botão do meu short, com o rosto bem próximo ao meu, sua respiração estava próximo ao meu ouvido. E aquele homem forte, e indescritível na minha frente, pelado. Seu rosto subiu um sorriso se abriu.

Se não entenderam vou explicar, ele pediu para que não rolasse mais nada entre a gente, e agora fez isso pra provocar, e eu dar o passo do beijou.

Ele ainda olhando pra mim, passei a mão sobre uma das tatuagens que ele tinha no peitoral, a outra peguei em seu membro, acho que se arrepiou pois respirou firme, aproximei minha boca da dele, beijando, mas dessa vez diferente, estavamos excitados com a situação, ele passou a mão em minhas costas novamente e caiu por cima de mim naquela cama que parecia me abraçar tambem.

Como sabem ele só teve sexo hetero, acho que isso explciava a pegada dele, tinha todo um gingado, de mãos e lingua, e respiração. Eu já estava na cama dele, com ele em sobre mim, virei por cima dele e mostrei o que queria, desci a mão dele na minha bunda e beijei seu pescoço, mordendo sua orelha, mordendo o queixo e lábios, neste momento sua respiração mudou, estava ofegante, seu coração pulsando no peito.

Suas mãos abriram minha bunda, ele brincava com os dedos na minha entrada, enquando tirava meu foelgo com o beijo. Não sei voces, mas a cara de tesão de um homem quando esta desejando você, é uma coisa magia. Aquela lingua, puta merda, que boca, para piorar minha vida ele era liso, peitoral liso, tinha pentelhos claro e as pernas, na virilha e pernas normal, pois é.

Desci beijando seu peitoral, beijei sua barriga, tentando morder os gominhos, tirei alguns sorrisos dele nessa hora, minha mão já punhetava ele, quando cheguei em seu cassete ele estava olhando, colocou um travesseiro e segurou seu cassete apontando pra cima.

Ele estava "babando", comecei a chupar, a fazer o que nós fazemos de melhor não é mesmo, os gemidos, caramba, as caras, aquele cara branquinho de labios vermelhos mordendo eles, contraindo seus musculos. Cassete de Eduardo era rosa, uns 18cm não sei, se encaixa no padrão "Perfeito". Eu engolia até onde conseguia, e era o bastante, pois ele estava gemendo bastante. Passar a lingua, descer em sua virilha fazia ele segurar o lençol querendo rasga-lo.

Eduardo segurou seu membro, veio e me beijou na boca, sentindo o proprio gosto dele, veio me empurando e caindo sobre mim, ele se levantou pegou uma camisinha e voltou colocando;

- De quatro.

Recebi como uma ordem, ao me possicionar, esperei ele começar a penetrar, mas senti um cuspi e uma mordida na nadega direita, uma passada de dedos e a lingua dele, tremi todo, outro cuspi. E Eduardo posicionou seu cassete forçando, porra quando senti aquele cara encaixado bem gostoso em mim, não poderia me encostar que eu gosava, eu gemi pouco baixo, e ele disse;

- Quer que tira?

- Continua!

Quase gritei, ele não tem culpa, sempre sexo com mulheres, e tipo é diferente. Tanto que ele deu um tapa na minha bunda, olhei para trás ele começou um vai e vem, aquele movimento, que... Indescritível ver aqueles músculos segurando minha cintura enquanto ele fodia com força, dessa eu gemia, ele subiu uma das pernas na cama, e cara estava fodendo com força demais, ao olhar pra ele colocou língua, da pra acreditar, o cara estava bombando freneticamente.

Ele parou e tirou a camisinha, ele tinha gozado;

- Você também?

- Ainda não.

- Não seja por isso.

Eduardo trocou a camisinha e fiquei de frango assado mais no meio da cama, ele veio e começou a penetrar, e péssima ideia frango assado, cara estava metendo bem mais fundo, eu não queria me punhetar, e sim beijar ele, segurar naquela bundinha redonda enquanto ele fodia. Cara ele parava de me beijar e bombando, sorria no meio do sexo, aquilo me deixava louco. Me punhetei e gozei como nunca, até sujando ele, que segurou firme no meu pescoço e freneticamente gozou novamente. Ele estava soando, deitou do meu lado;

- Ufa.

Não me aguentei e chupei ele, que ainda estava meio bomba, fiz Eduardo gozar pela terceira vez.

3 visualizações0 comentário
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia