• Richardson Garcia

Apenas Hoje - Baldin a Joia da família

#Luis

“A Semana de Modas em Paris, Outono-Inverno este ano foi marcada, por surpresas, dois modelos escorregaram e vieram ao chão, um deles foi aparato pela plateia, ambos do estilista Saint Laurent. E Essa é a primeira vez que uma marca brasileira é destaque, a Baldin da família Monteleoni que em peso esteve presente, até mesmo na passarela, no desfile usando a coleção de “Zuhair Murad”, o herdeiro conhecido no rio de janeiro como príncipe da moda, Eduardo Monteleoni  desfilou e mostrou o sangue que corre em suas veias.

Mas Carmem, o destaque veio logo em seguida, o amigo da família, Nícolas Barreto, trouxe a Baldin mais uma polemica, o garoto de 17 anos também fruto de uma união homoafetiva, quebrou protocolo e entrou despojado, em momentos acenando e "desfilando" do seu próprio jeito, usando a peça destaque da coleção, foi criticado por estilistas mais tradicionais, e ovacionado por novos empresários que aplaudiram de pé sua nova roupagem."

- O que esta assistindo Luis?

- Olha você mesma Ayla.

- Ai mas que cafajeste estão em Paris?

- Não já estão aqui novamente, mas estavam lá.

Sentamos assistindo aos desfiles importantes no noticiário, Agatha ainda estava dormindo e Henrique também, Beto chegou, com umas sacolas, ele estava soado como se estivesse correndo;

- Pai sabia disso?

- Sim, está já em todos os Jornais. Escutem...

Disse ele abrindo um jornal;

- “A Forbes declara a Baldin a maior e mais bem sucedida empresa no ramo de marketing do Brasil.” Thiago conseguiu, ele colocou ela no topo.


#Nícolas


Estava em casa por volta de sete horas da noite, quando Eduardo chegou;

- Nico vou na casa de Ayla, Luis está por lá, não quer...

- Sim. Pai vou na casa do Luis!

Gritei pegando o casaco e saindo, assim que chegamos no prédio, Eduardo mandou uma mensagem e logo mais, Ayla apareceu na recepção;

- Gata chama o Luis aqui em baixo.

- E Nícolas ele foi para casa dele, acabou de sair.

- Me empresta do carro Eduardo?

Ayla me explicou onde ele estava morando, assim que cheguei o porteiro disse que ele não estava, achei estranho, e voltando para o carro, liguei e consegui que ele atendesse ao celular;

- Oi Nícolas.

- Está onde?

- Indo pra casa, porque?

- Quero falar com você!

- Não temos nada pra conversar.

E desligou o celular, fiquei puto, estava passando pela entrada da garagem, e um carro deu seta para entrar, percebi que era ele, eu pulei na frente do carro;

- Você ta maluco?

- Não. Estou. Eu não sei, Luis a gente precisa conversar.

Parou dois carros atrás dele e começou a buzinar,  eu parado na frente dele, Luis desceu do carro, então foi minha oportunidade, dei a volta no carro;

- Olha só o que você...

Abracei e beijei sua boca, caralho como estava com saudades daquele gosto, do cheiro dele. Luis ficou puto, entramos no carro pois ele não tinha escolha já estava uma baderna na rua em frente a entrada da garagem.

Brigando no elevador, até o apartamento;

- Você conseguiu me deixou com mais raiva de você Nícolas, Já falei não temos nada pra conversar.

Ele falava enquanto andava pela casa comigo atrás, ele parou abrindo a sacada eu me aproximei beijando seu pescoço, passando a mão em sua cintura;

- Vem aqui, vem.

- Me solta, que coisa Nícolas você não entende?

- NÃO, NÃO ENTENDO, QUAL É O SEU PROBLEMA?

Gritei indo para cima de Luis, ele afastou de mim, estava possesso;

- VOCÊ NICOLAS, VOCÊ É O PROBLEMA.

- Eu? Eu Luis, quem correu atrás de você? Quem passou por cima tudo e todos por você? E o problema é comigo?

- Não seja hipócrita Nícolas, eu sofri muito quando estava apaixonadinho por você. Nem vou citar a Rebeca, muito menos quando me agrediu. E o que estou passando com minha família. E você ai, só pensando em sexo.

Estava com as mãos na cintura, língua passava na parte inferior dos lábios, a raiva deixava o coração a mil, que por fim se misturava ao medo;

- Você realmente não me conhece, não sabe o que estou passando, só de estar aqui na sua frente, o que enfrentei, eu só quero você Luis, entenda isso.

Falei me aproximando, e tentando abraçar ele que revidou novamente e me empurrou no sofá;

- Entender você Nícolas? Não queremos a mesma coisa. Não quero só sexo, e status. Pode não perceber mas preciso de alguém. Você não...

- Eu te amo Luis, o que mais quer de mim? Eu Estou te amando, estou lutando comigo mesmo a cada segundo, não estou comendo direito, dormindo ou vivendo, cara só penso em você, só quero estar na sua presença, se isso não for verdadeiro estou sofrendo em vão.

Eu como um bom chorão deixei as lagrimas caírem, limpei meio que sem jeito com a manga fina da camisa, Luis se aproximou, como eu estava sentado no sofá ele sentou no meu colo me abraçando, caramba apertei tão forte ele.

Luis pegou minha mão colocou dentro do peito dele mostrando seu coração, que estava como o meu, batendo muito rápido;

- A sete meses, sempre que te vejo fico assim (...).

Ele mostrou a mão tremendo, e soando frio, ele também estava meio que com os olhos lacrimejando, seu beijo molhado, “cara que alivio”.

- Eu te amo Nícolas, do fundo do meu coração, mais que tudo na vida.

- Rsrsrs’ eu também.

- Está chorando porque?

- Nada, É que você não foi para Paris.


#Luis


Dei dois murros no peito dele, Nícolas me segurou e viramos deitando abraçados no sofá;

- Te odeio.

- Sabe, eu até aceitaria morar nesse apê, sem problemas.

- Ah é. Como iríamos viver? Vai arrumar um trabalho?

- Posso pensar na proposta que recebe de “Sergio K” em paris.

- Vai falar sobre essa viagem até quando?

- Até a gente transar.

- Um sei, e eu vou transar com você quando me pedir em namoro!

- Estou com sede, onde tem água?

- Viado, vem comigo.

Fomos até a cozinha, ele tomou água, se vocês gostaram de Nícolas do passado, tinham que ver esse. Ele me dava um beijo a cada segundo, ou a cada gole de água. Ao terminar me pegou no colo e fomos pro quarto, a cama pegava fogo, Nícolas beijava meu pescoço como um vampiro, mordia meu queixo, passava a língua em cima de meus lábios nossa que delicia. Ele desceu e mordia minha bunda, passava os dedos, até tapas, eu gemia e mordia os lençóis, ele estava inspirado.

Deitado de lado, Nícolas veio deitou atrás de mim, beijando minha boca e posicionando seu cassete em minha entrada, ele colocou a cabeça no travesseiro;

- Se for assim em todas as brigas vamos na sala ter... Huuuuum FILHO DA PUTA.

- Cala a boca vai.

O viado enfiou de uma vez, cheguei a gritar, caralho doeu demais. Nada comparado a ter ele segurando meu cabelo e fodendo com força, até ele gemia, e eu mordia o lençol branco, segurava em sua cintura sentindo ele em mim;

- Você gosta né safado.

- Você fode muito gostoso.

Acho que subi demais sua auto estima. Nícolas me colocou de costas, e apoiado em minhas costas com movimentos muito mais forte, caramba eu gemia alto ouvindo o bater da virilha dele em mim.

Ele tirou seu cassete, me virou e punhetando nos dois de uma vez só, gozamos no caso em mim;

- Eca!

Disse ele rindo.


#Nícolas


No caminho para o colégio, Cauê já no Brasil, Luan dirigindo, e como sempre discutindo;

- Foi só uma brincadeira, sabe quanto paguei naquela arma pai?

- Nícolas de AirSoft ou não, eu já dei um rumo pra ela.

- Não sei porque isso agora.

- Já basta o que fez na casa de Eduardo, não quero mais problemas.

- Depois a gente conversa Cauê.

- Não foi culpa dele, eu que pressionei Nícolas.

- Não é isso pai, é sobre Cancún.

- Não falei nada pro Luis, ele descobriu sozinho.

- Descobriu? O que sendo que nem você sabia.

- Ou, Ou, Ou! Descobriu o que?

- Nada pai. (Vou pegar você).

Falei para ele que apontou a língua;

- Chega os dois! E vocês Nícolas como estão?

- Acho que vou pedir ele em namoro!

Meu pai me zoando, freou fortemente o carro no semáforo que cantou pneu, ele rindo olhou pra mim;

- Espera, calma, o que disse meu filho?

- Pedir o Luis em Namoro.

- Ah, como eu queria ouvir isso vem aqui.

Ele me abraçou sorrindo, Cauê zoando de mim;

- Ta chega, vamos logo.

#Cauê


- O que fariam se a garota que esta afim de você, é legal, e simpática, mas não é o que você quer, não agora?

Perguntei como um pensamento alto, saiu da boca pra fora, lembro de Luan olhar no retrovisor, Nícolas se virou e perguntou;

- Esta falando de Kelly não é mesmo?

- Sim, é minha única amiga na classe,  não quero desapontá-la.

- Cauê se não sente a mesma coisa, fala isso pra ela, não a Iluda e não há deixe sofrer.

Eu sorri agradeci Luan;

- Porque quando é com a gente nunca sabemos o que fazer?

- Bem vindo ao mundo.

Nos despedimos e descemos, como chegamos nos horários de aula, deixei a mala no quarto e fui voando pra sala, ao chegar o professor de Frances estava na sala, ele me olhou;

- Atrasado novamente Cauê?

- Desculpe senhor.

- Da próxima vez irá levar uma advertência, ou caso contrario estivesse em Paris.

- Estava em Milão se servir.

Os meninos riram, olhei para a mesa de Kelly ela sorrindo e piscou pra mim;

- Engraçado, muito engraçado, vamos ver se vou estar sorrindo quando for lhe dar a nota do bimestre. Bem vamos lá, quem será o primeiro grupo a se apresentar?

As apresentações começaram, e acabei ficando com Kelly por ultimo, como na decisão do tema;

- Senhor... Cauê e Kelly, finalmente a vez de vocês.

- Vai lá casal.

Um grito ao fim da classe;

- Eles são bonitinho juntos.

Outro comentário, dessa vez de uma garota;

- Casal de nerd, grande coisa!

- Não fique com ciúmes, vai encontrar alguém, mesmo sendo feio desse jeito.

- Ei vocês, vamos para, silencio para eles se apresentarem.

Depois da apresentação, fomos liberados para um intervalo, eu iria encontrar Nícolas, quando três caras da minha sala me encurralaram, eu nem ao menos os conhecia direito;

- Olha quem está sozinho aqui, o nerdizinho.

- Não quero confusão cara.

- Quem é feio agora, em? Esta sem sua namorada pra te defender é?

Dois empurrões, abriram minha mochila meus materiais caíram no chão, eles pisara em cima e chutaram, o maior deles veio me levantando pela gola da camisa, ele me ergueu pensei que levaria um murro, cheguei a fechar os olhos.

De repente eu cai no chão, era o Nícolas, deu um tapa na cabeça do menor que saiu correndo feito louco, o mais gordinho, foi só um grito, bastou pra fazer ele sumir, pegou o garoto como um saco vazio;

- Posso saber porque esta ameaçando meu irmão? Sua sorte é que é menor de idade, se não iria de deixar banguela agora garotinha.

O cara chorou, Nícolas soltou ele que ia saindo correndo;

- Ei vai aonde? Seus amigos fugiram mas você não vai escapar. Volta de quatro e pegue os cadernos de Cauê e coloque na mochila.

O cara estava de quatro no chão, Nícolas gritou com uma voz grossa até eu assustei;

- Aqui. Me desculpe.

- Oi? O que disse? Eu não ouvi.

- Desculpa cara?

- Só vai chamar ele de senhor daqui pra frente, não olhe na cara dele, ai de você se mexer com meu irmão novamente, te encontro até nos seus sonhos. Agora vaza e é bom falar pros seus amigos o que aconteceu aqui. Vai logo.

- Não precisava.

- Um obrigado já esta de bom tamanho.

- Sei me virar sozinho.

- É deu pra perceber.

Virei as costas saindo;

- Cauê!

Me virei olhando de cabeça baixa;

- Estava só te protegendo. #Agatha - Mas porque voltar? - Não me encontrei aqui, e sinto falta de meus pais, tenho 17 anos amiga. - Vou sentir saudades Agatha. - Ei calma ainda falta 2 meses. Tenho muitos gatinhos para ficar ainda. - Fabrício ainda continua na sua viu. - Ele é fofo bonitinho, mas não sei se dá conta disto tudo. - Haha você é convencida como o Luis. - O que estão falando de mim? Suas raparigas. Luis disse entrando no banheiro, Ayla estava depilando as pernas, e nós três no quarto; - Eu e Ayla estávamos falando que você foi o mais sortudo de todas. Ficou com o gostoso do Nícolas. - Ah Agatha o Eduardo é mais lindo que o Nícolas amiga. - Luis eu estava falando na cama, não de... - Ah isso e verdade. Mas diz ai Ayla como é o Eduardo na cama? - Gente não vou falar disso pra vocês. - Até parece né. Luis rindo e sentando no chão, eu estava na privada e Ayla dentro do Box; - Ele é carinhoso quando precisa ser, e safado quando precisa também. - Quem vê ela falando assim, não imagina que ela chupa ele. - Que horror Luis. - Ah mais é verdade, qual tamanho do (...) do Eduardo? - Chega desse assunto. - Ah amiga, vi fala estamos curiosos, se contar eu falo do tamanho do Fabrício. Falei demais né. Pois então os dois me olharam, Luis rindo, Ayla ficou branca; - Meu Nícolas deve ter uns 19, 18, não sei ao certo mas é perfeito. O Eduardo tem o mesmo tamanho, mais fino um pouco. - Luis, como sabe? -Gente tenho 18 anos e sou gay, já vi mais pirroca do que vocês duas juntas, consigo saber. - Ai que vergonha gente. Fala amiga como é a do Fabrício. - Adivinha Luis? - Do Fabrício, sempre tive duvidas, porque ele faz aquele modelo brasileiro, deve ser moreno e grosso o tamanho não sei. Rindo iguais loucas, ouvi bater na porta; - Luis está ai? - Quem é? - Nico. Abri a porta a Ayla se protegeu com a toalha; - Eduardo está no teatro te procurando. Luis saiu do quarto Nícolas entrou no banheiro; - Preciso da ajuda de vocês duas. - Nícolas eu estou pelada. - Ayla agora eu sou gay beleza, não sei se isso significa algo, mas.. Puta merda Eduardo ta comendo bem em. - Cala a boca e sai daqui. - Desculpem é serio, quero a ajuda de vocês para pedir o Luis em namoro. - Para o que? - Pedir o Luis em namoro.

5 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia