• @rgpatrickoficial

Apenas Hoje - "internato?"

- Eu tinha que tomar esse calmante por causa do trabalho e não por causa do meu filho Caio. - Luan diz virando o copo de água. - Ei fica calmo, a gente na adolescência fazia coisas piores. - Ele faz isso porque sabe que vamos correndo até onde ele estiver. - Vem aqui. Abracei ele beijando em sua boca que estava gelada por causa da água, fomos para o quarto, nem entramos direito abracei Luan por traz beijando seu pescoço mordendo sua orelha, tentando fazer ele relaxar, ele levantou os braços tirou a camisa e eu desci a calça estava com meu cassete marcado na cueca ele ajoelhou e começou a me chupar por cima da cueca mesmo, até descer la somente com os dentes, caralho que tesão segurei na base do meu cassete forçando contra sua boca o empurrei más para trás ele encostou a cabeça na cama e eu subi uma perna

Fodendo com força sua garganta ele se engasgava com meu cassete, parei um pouco se não gozaria em sua boca, ele tirou o restante da sua roupa, e tirei minha camisa ele veio por cima nos beijávamos entre amassos mãos bobas, subi suas pernas no meu ombro e comecei bombando nele de frango assado somente encarando ele depois deitei ele de lado de costas pra mim e fui forçando no seu cuzinho, ele se contorcia e com a mão pressionava minha bunda contra seu corpo forçando ainda mais, eu passei o braço em seu pescoço como se fosse uma gravata coloquei ele por cima de mim com meu cassete enterrado em sua bunda comi ele com força e vontade ele gemia baixo, não consegui e gozei muito em seu cuzinho deixando ele todo cansado.


#Nícolas


No domingo iriamos almoçar na casa do Eduardo. Havia uns carros na porta e na sala estava Cauã, Amanda e os empregados preparando a mesa;

- Olá boa tarde a todos.

- Boa Tarde!

Todos responderam eu olhei para Cauã que logo apontou;

- Eduardo está no quarto dele Nico’.

Subi as escadas e a porta de seu quarto estava aberta,

- Fala seu muleque transão!

Gritei entrando, ele estava no closset colocando uma camiseta;

- Que susto Nico’. E ai, como sobreviveu a seu pai?

- Escuta muleque, estou sem celular, cartão de credito e meu carro. Ta ligado, Eduardo eu estou sem meu carro!

- Sorte seu pai não colocar você matriculado no meu colégio!

- Sorte? Que nada, aquilo não é um colégio e sim um Sanatório.

- Vai querer descer?

- Sim, a...

Eu estava deitado na cama dele, e Eduardo na frente da televisão em pé, quando Ayla entra;

- Oi meninos!

- Nossa agora sim! Fala princesa.

- Nico!

Disse ela deitando na cama me abraçando,

- Vem aqui Dudu’.

- Nossa que apelido mais gay.

Falei enquanto ele deitava e abraçava Ayla. Ela era filha de Henrique e Beto, eles são um casal como meus pais, Caio e Luan. Ela puxou mais o Beto tem a pele morena clara, cabelo liso e cumprido, olhos castanhos escuros muito atraentes, e um sorriso que sempre tive vontade de beijar, uma bunda redonda não muito grande, mas perfeitinha ela tinha uma baixa estatura. Ah e beto morre de ciúmes dela.

- Fiquei sabendo que ontem vocês estavam na inauguração da nova boate no Leblon?

- Ficou sabendo que quase fomos presos?

Perguntou o Eduardo, rindo;

- Não, Eduardo estragou tudo, ele disse o nome completo!

Ele me derrubou da cama, e a Amanda entra no quarto;

- Meninos vamos, o almoço está servido.

Durante o almoço alguns assuntos soltos;

- Henrique Luan estava perguntando não soube responder, quando o Beto volta de viagem?

- Será na próxima terça-feira.

- É verdade que Agatha irá ficar na sua casa?

- Sim, Matheus e Pedro ligaram, ela irá embarcar no começo das aulas!

Chegamos em casa na tarde daquele dia, eu e o meu pai Luan fomos para academia, ficamos meio em silencio, eu com meu fone de ouvido e ele treinando pouco pesado. Em casa antes do jantar (...).

- Nico’ venha aqui na sala, queremos conversar com você!

Estava no meu quarto com o notebook na cama, pensei que não poderia ser coisa boa, estava de cueca samba canção, meu pai Luan estava sentado em um sofá e o Caio em outro, em pé perguntei;

- O que aprontei dessa vez?

- Sente-se. Hoje conversando com o Cauã, e vendo a educação que o Eduardo está recebendo queremos que você seja transferido para o colégio dele.

Eu comecei a rir, na boa sério, porque só poderia ser piada;

- Estão falando sério ?

- Sim.

- Não porque já me castigaram, até meu carro já pegaram de mim, agora escola? Aquilo é um internato.

- Nícolas já decidimos, você será transferido para o colégio...

- Eu não vou já disse.

- Escuta não estamos te dando uma opção e sim uma ordem, ainda mandamos em você!

- Se querem se livrar de mim porque me adotaram?

- Não admito que fale assim conosco, eu e seu pai decidimos e não está mais em discussão, agora vá para seu quarto, essa conversa acaba aqui.


#Caio


Não tive escolha, ou falava em alto e bom tom, ou ele não escutaria Luan. Nícolas saiu de cabeça baixa e bateu a porta do quarto quando entrou, respirei fundo, eu queria entrar no quarto e pedir desculpas falar que não sei assim, mas era uma atitude agora para poupar a vida dele mais no futuro. Luan me olhou de um jeito, e fez que sim com a cabeça, aprovando minha atitude.


#Ayla


- Você será transferida para o Colégio de Eduardo Ayla.

- Oi? Pai, espera, como?

- Isso minha filha, conversei com Beto, e decidimos isso juntos.

- Pai, sabe que lá é um internato.

- Já me informei Ayla, você pode sair todos os fins de semana e virá para casa, o local é onde os filhos das grandes famílias do país estudam, lá você terá uma ótima educação e depois poderá ir para a Suíça como sempre quis.

- Mas e a Agatha também irá?

- Sim, Matheus e Pedro estão cientes.

- Nossa a coitada já vai chegar sendo rebaixada publicamente.

- Ayla.

- Poxa pai, internato?


#Beto


Cheguei no aeroporto por volta das seis hora da manhã, peguei um táxi e fui direto para casa, deixei minhas malas na portaria e fui comprar umas coisas para o café, voltei e subi deixei minhas coisas e preparei café abri a sala e Henrique e Ayla ainda dormiam, queria acordar os dois de uma só vez, mas cada um e um quarto fica difícil, entrei no quarto da Ayla, ela estava toda coberta!

- Ayla, minha filha, acorda!

- Pai, Pai, Beto, ai já chegou.

Abracei ela que ainda estava meio sonolenta;

- Meu cabelo, não olha!

- Esta ótimo, vamos vou acordar o Henrique!

Ela se levantou e saímos na ponta do pé, abri a porta e corremos pulando na cama, nossa ele ficou muito bravo!

- Ah mas eu mato vocês dois, que susto.

- Bem vamos tomar café, anda, tenho muita coisa pra contar!


#Nícolas


Acordei com o telefone da casa chamando, olhei no quarto e meus pais já haviam saído para o trabalho, fui até a sala peguei o telefone protegendo a visão do sol que entrava pela janela;

- Aló!

- Nico?

- Sim, quem fala?

- Beto, o que está fazendo?

- Estava dormindo.

- É sábado cara, isso não é hora de estar dormindo! Eu e Ayla vamos para a Barra está afim?

- Sim, passa aqui?

- E seu carro?

- Está com o capitão.

- Pega um táxi, estamos no quiosque 3.

- Beleza.

Peguei minha mochila, chamei um táxi e desci com a prancha.

2 visualizações
Assine para ser o primeiro a receber os capítulos 

Siga a gente:

©2015 por Armário Erótico Todos Direitos Reservados. Criado orgulhosamente com Richardson Garcia