series

Girlboss: Da jaqueta colorida ao glamour.

27/04/2017

Junta meu cobertor + Netflix + Girlboss = Que série! Vamos começar a falar de uma menina não ingênua, e sim batalhadora. Com suas dificuldades iniciais nada a impediu de fazer o sucesso que ela fez, e claro, revolucionar o mercado de e-commerce da moda. Uma vendedora não tão simpática (por não gostar do que faz), decide comprar roupas em brechós e depois revender na internet. Assim, Sophia Amoroso criou a Nasty Gal, começou com uma loja online e depois abriu dois espaços físicos em Los Angeles.

A jaqueta é como um talismã. É um símbolo de sua descoberta e, posteriormente, dela ter crescido o suficiente para ser capaz de abrir mão dele novamente. A importância do casaco foi literalmente escrita no roteiro. Eu comecei a procurar jogando ‘casacos minúsculos’ no eBay [em função da atriz Britt Robertson ter apenas 1,60 de altura e ser bem magra]. De lá, busquei vendedores de roupas vintage em Los Angeles e o que ouvíamos de volta era ‘sim, temos um tamanho 10, mas é preto…’ ou ‘temos um tamanho 6, mas…’, tudo tinha algum problema. Até que fui em uma loja em Coronada e vi a jaqueta o primeiro no estante. Era linda. Quer dizer, custava US$ 3,5 mil. Não era uma peça de US$ 9.” (Audrey Fisher)

A série tem uma pegada bem clássica misturada com atual, a atriz Britt Robertson deixa seu talento cômico e natural fluir para nos encantar. Então, abram o Netflix e vamos conferir alguns looks vintage de Girlboss.

13 razões pelas quais a história de Hannah Baker nos tocou.

23/04/2017

 

Família: Os pais da protagonista se importavam com a Hanah, talvez se tivesse tido uma maior abertura entre os três as coisas poderiam ter sido melhores.

Amor: Desde o início, percebemos uma forte amizade entre o Clay e ela, na minha opinião o amor dos dois poderia ter sido melhor explorado na história, e não somente no fim da série próximo dela morrer.

Amizade: Clay a série inteira defendeu os princípios de Hanah.

Bullyng: Um dos temas principais da série, todo personagem passa por algum tipo de prova pessoal e luta interior.

Estupro: O mais tocante na minha opinião, foi uma situação bem explorada e impactante para abrir os olhos de muitos.

Depressão: Não houve indícios diretos de depressão na personagem da Hanah, mas se prestar atenção em alguns momentos podemos perceber algumas passagens de tristeza e baixa estima.

Suicídio: Tema central da série, também serviu para abordar e destacar que esse é sim um dos maiores problemas de saúde pública da sociedade atual.

Esperança: Em alguns momentos da série ela me passou esperança, era fato que a protagonista estava morta mas ao ouvir as histórias nas fitas, podemos ter impressões de que ela estava viva.

Justiça: Clay fez jus á Hanah em algumas passagens, estava bem claro o seu sentimento de fazer justiça por ela.

Indiferença: A total indiferença dos diretores e professores aos acontecimentos de bullyng e problemas da escola, muita coisa foi ‘’tapar o sol com a peneira’’

Traição: Inimizades e provocações entre os casais.

Arrogância: Como o personagem que realizou o estupro era arrogante…maior e mais nojento exemplo de arrogância da série.

Desamparo: E por fim, o sentimento de desamparo da Hanah que acabou guardando tudo, acumulando os sentimentos ruins e descontando no fim que todos sabem.

Essa é uma série que com certeza marcou muitos na sua primeira temporada! Estamos aguardando segunda com ansiedade.

Resenha: Desventuras em Série – Netflix.

14/01/2017

maxresdefault

Desde criança eu era fã do trágico filme Desventuras em Série! Confesso que nunca cheguei a ler nenhum dos livros pois histórias assim em livros não me chamam tanto atenção. Mas adorei o filme, os atores, e não via a hora de chegar a série no Netflix.

”Cada dois episódios conta a história de um livro, fazendo com que essa primeira temporada aborde os acontecimentos de Um Mau Começo, A Sala dos Répteis, O Lago das Sanguessugas e Serraria Baixo-Astral, dando tempo suficiente para que as tramas sejam bem exploradas, mas sem que sobre sequer um momento tedioso em meio às duas horas dedicadas aos arcos.”

desventuras-em-serie-olaf-klaus-violet-sunny

Sabe o que aconteceu comigo? Eu fiquei muito preso ao filme, e isso fez com que eu assistisse a série comparando os acontecimentos dela com o que aconteceu no filme. Se você fizer isso saiba que você não vai assistir com tanto entusiasmo, pois a narrativa do filme acontece com mais rapidez e velocidade, e na série há mais detalhes a serem explorados, como acontece no livro.

A produção foi boa, mas não me cativou tanto quanto o filme, acredito que o Netflix explorou tudo que estava ao seu alcance. Agora sobre os atores, eu adorei as crianças…excelente a escolha dos atores, principalmente a Violet. Enfim, a surrealidade e o pessimismo em que os fatos são contados pode te render boas horas de maratona! Que venha a 2ª temporada, que por sinal, já está confirmada.

Conheça o set de filmagens de Once Upon a Time.

29/03/2016

20160328_191400000_iOS

Quem aqui é fã de Once Upon a Time? Nossa colunista Gabriela Petersen foi visitar o set de filmagens e olha que legal o que ela preparou para vocês:

A série voltou essa semana e eu fui visitar Storybrooke! Vou contar e mostrar para vocês como foi tudo.

As filmagens que não têm efeitos especiais são feitas em externas, o que significa que não são gravadas em estúdios. Toda a cidade de Storybrooke é na verdade uma cidade real! Fica em uma vila chamada Steveston em Richmond que fica na “grande Vancouver” no Canadá.

20160328_191319000_iOS

Lá fica o Granny’s Dinner, a loja do Mr. Gold, a biblioteca da Bella e a torre do relógio (que na verdade não tem relógio nenhum, ele é colocado com efeitos especiais). Também é lá que são gravadas as cenas no porto de navios.

20160328_191308000_iOS

Fui dois dias, um que não estava tendo gravação para ver como que era a cidade sem nada montado e outro que estava tendo gravação, com tudo montado, equipe de filmagem e muito mais!

20160328_191334000_iOS

Não vou contar muita coisa pra não perder a graça quando vocês assistirem o vídeo. Espero que gostem!

Teasers de retorno e estreia das séries Netflix.

26/01/2016

card

Eu sou fã de carteirinha do Netflix, ainda mais das séries originais. Minha preferida é Orange is the New Black? O serviço já anunciou as novas datas de House Of Cards, Orange is the New Black, Demolidor, entre outras.

Novas temporadas:

House of Cards: 4ª temporada – dia 04 de março.

Demolidor: 2ª temporada – dia 18 de março.

Orange Is the New Black: dia 17 de junho.

Estreias:

Love – dia 19 de fevereiro.

Ele é nerd, ela é escrachada, mas Mickey e Gus acabam se encontrando justamente na confusão que é viver um relacionamento no século 21. Uma nova comédia de Judd Apatow, com Gillian Jacobs e Paul Rust.

Fuller House – dia 26 de fevereiro.

Aventuras de Três é Demais continuam com D.J. Tanner-Fuller, sua irmã Stephanie e sua melhor amiga Kimmy sob o mesmo teto para criar os três filhos de D.J.

Marseille – dia 05 de maio.

Robert Taro, o prefeito de Marseille, é prefeito há 25 anos. Só que nas próximas eleições, o candidato da oposição é jovem, ambicioso e seu ex-afilhado político. Com Gérard Depardieu.

The Get Down – dia 12 de agosto.

Um grupo de adolescentes do Bronx vive a transformação e evolução cultural da Nova York dos anos 1970. No dia 12 agosto será lançada a primeira parte da temporada, com a disponibilização de seis episódios dos 13 previstos.

E aí o que acharam das novidades? Vamos aguardar ansiosos.